Engenharia 360

Qual tipo de pós-graduação devo fazer?

Engenharia 360
por Victor Peron
| 18/04/2022 4 min

Qual tipo de pós-graduação devo fazer?

por Victor Peron | 18/04/2022
Engenharia 360

Você é recém-formado ou está prestes a terminar a sua graduação e tem dúvidas sobre como dar continuidade aos seus estudos? Saiba que não está sozinho! Em um mercado de trabalho desafiador como o brasileiro, é essencial que o profissional se destaque dos demais. Nesse contexto, muitas vezes pode fazer sentido para o estudante buscar um curso de pós-graduação para poder desenvolver ainda mais as suas habilidades.

Uma coisa é certa, a tecnologia avança muito e rápido. Infelizmente, as ofertas de cursos de Engenharia não evoluem na mesma velocidade. Por isso, uma pós-graduação pode fazer muito sentido para quem quer se manter atualizado ou ser um vetor do avanço tecnológico no nosso país.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Continue Lendo

Este post especial Engenharia 360 busca guiar recém-formados e estudantes de Engenharia como você, que estão planejando os próximos passos de sua carreira. Trata-se de algumas perguntas simples que serão feitas, visando, em um primeiro momento, ajudar a organizar o seu pensamento para tomar a melhor decisão possível. Aliás, recomendamos que, a cada pergunta na lista abaixo, dedique um tempo para refletir se as informações fazem realmente sentido para você.

pós-graduação
Imagem reproduzida de Mensagens Com Amor

Por que devo fazer uma pós-graduação?

Nessa primeira etapa, é necessário que se tenha uma ideia do propósito por trás da sua escolha. Uma pergunta muito importante que você deve fazer para si mesmo é:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Se eu fizer uma pós-graduação, será para a minha carreira como um todo ou somente para o meu emprego atual?”

Explicação: grande parte dos engenheiros que buscam uma pós o fazem baseados apenas no seu emprego atual – seja para tentar um diferencial competitivo dentro da empresa ou até mesmo por requisitos da própria empresa, para assumir cargos mais altos – e não necessariamente por vontade de desenvolvimento pessoal e profissional sem a necessidade de recompensa imediata. Saber qual é o motivo principal que está fazendo você cursar uma pós é, sem dúvida, o primeiro passo para que você tome uma decisão assertiva.

Como devo fazer a pós-graduação?

Neste aspecto, é importante avaliar quais as condições que você tem para realizar o curso. Algumas perguntas a se fazer são:

“Devo cursar presencial ou EAD? Quanto tempo posso me dedicar semanalmente aos estudos? E qual a minha disponibilidade financeira para o curso?”

Que tipo de conhecimento eu desejo ter?

A seguir vale a pena entender, baseado nos conhecimentos que você já tem da Engenharia, quais habilidades espera agregar. As principais opções são:

1. Focar em uma área dentro da engenharia graduada

Principalmente em engenharias com muitas áreas de atuação diferentes – como a Civil, Mecânica, Química e Elétrica, por exemplo. Pode ser útil que você busque alguma pós-graduação que permita que foque em algum nicho de mercado dentro da sua própria formação inicial.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

2. Focar em uma área fora da engenharia graduada

Assim como há muitos estudantes que amam e buscam desenvolver suas habilidades dentro da Engenharia que se formou, outros assumem que não tomaram a melhor decisão possível e gostariam de seguir uma carreira diferente daquela graduada. Felizmente, a pós-graduação auxilia esses profissionais a conseguirem seguir a sua carreira em uma área diferente.

A necessidade crescente de engenheiros nos mais diversos setores, como o financeiro, demonstra a possibilidade dos mesmos trabalharem fora da área de graduação. A saber, uma pós-graduação pode te ajudar muito nesse aspecto, possibilitando também, em alguns casos, que se trabalhe em uma Engenharia diferente da graduada!

3. Aprender competências complementares

Pode acontecer da graduação realizada não se aprofundar em algum tema específico em que você gostaria de se especializar e, nesse caso, uma pós-graduação ser a resposta, te guiando nesse caminho tão desejado. Ainda, um importante aspecto aqui é conseguir se atualizar conforme o avanço da tecnologia e das novas demandas.

Finalmente, qual tipo de pós-graduação devo fazer?

Possivelmente a pergunta mais difícil de se fazer é qual o tipo de pós-graduação fazer. Entender esse desejo é crucial, pois definirá os tópicos e a profundidade do conhecimento a ser adquirido. Mencionaremos a seguir, de forma resumida, os dois principais tipos.

1. Pós-graduação lato sensu

É o tipo de pós-graduação mais abrangente e que fornece um conjunto de conhecimentos em um tópico específico. Muito voltado para a atividade profissional, este tipo de especialização oferece técnicas consolidadas prontas para serem implementadas. Neste nível encontram-se:

  • MBA;
  • Aperfeiçoamento; e
  • Especialização.

2. Pós-graduação stricto sensu

É o tipo de pós-graduação mais restrita e que permite maior aperfeiçoamento do estudante em alguma parte bem específica da ciência em si. Este tipo de pós-graduação se concentra mais no desenvolvimento de profissionais com conhecimento mais apurado, seja para a formação em trabalhos técnicos de maior complexidade ou para o ensino e pesquisa. Neste nível encontram-se:

  • Mestrado; e
  • Doutorado.

Em posse de todas essas informações, já vale a pena procurar os cursos que façam sentido para você, sempre pesquisando sobre todas as áreas possíveis para saber qual a melhor decisão. As nuances de cada uma das pós-graduações serão melhor desenvolvidas em textos futuros. Mas temos a certeza de que, depois de reler este texto e fazer mais algumas pesquisas, será possível encontrar o curso de pós-graduação que melhor se encaixa à sua realidade.

Alguma dúvida ou sugestão sobre o tema ‘pós-graduação’? Escreva-nos nos comentários!

Veja Também: Renove-se para o mercado: as especializações mais buscadas em Engenharia 2022


Fontes: Making the Most of a Master’s Degree.

Comentários

Engenharia 360

Victor Peron

Engenheiro Mecânico formado pela FEI cursando mestrado na Poli USP com pesquisa em interação fluido-estrutura. Possui experiência em CFD utilizando principalmente o método dos elementos espectrais em solvers de código aberto. Formação extracurricular em matemática aplicada no curso da Prandiano. Tem experiência como empreendedor entregando soluções em engenharia mecânica e também com gerenciamento de projetos na indústria. Tem interesse por máquinas térmicas, otimização, aerodinâmica e física.

Assine nossa newsletter
e receba
uma curadoria exclusiva de conteúdos:

Continue lendo