Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

O papel do profissional de Engenharia Clínica e a atuação no Brasil

por Luciana Reis | 07/03/2019
Copiado!

O profissional de Engenharia Clínica pode atuar em instituições de saúde, como hospitais, na gestão da tecnologia médica, sendo responsável pelo bom funcionamento dos equipamentos de saúde. A Engenharia Clínica é considerada no Brasil como uma subárea da Engenharia Biomédica. A profissão, no entanto, não é regulamentada no país, e os profissionais adquirem ou aprimoram conhecimentos através de cursos técnicos e de especialização (pós-graduação lato-sensu).

Engenheiro consertando equipamento de saúde

Imagem: Instituto de Engenharia

A própria definição “engenheiros clínicos” é questionada, uma vez que não há formação específica na área, sendo mais aceito denominar os profissionais como especialistas, mestres ou doutores na área. Mas é inegável a importância desta profissão, principalmente em uma área primordial que é a saúde. Desde a década de 80, os engenheiros clínicos deixaram se ser apenas quem cuidava dos equipamentos dos hospitais, para terem uma participação direta na avaliação e gerenciamento da tecnologia de saúde, de maneira a auxiliarem os profissionais, como médicos e enfermeiros, em suas atividades.
Atualmente, há uma média de 4 mil profissionais atuantes, entre técnicos e engenheiros, de acordo com levantamento da Associação Brasileira de Engenharia Clínica (ABEClin).

+ Os desafios no Brasil

Para bons resultados é essencial que os engenheiros atuem paralelamente ao avanço da tecnologia. Já há softwares, por exemplo, que auxiliam no aumento da produtividade, eficiência e nos detalhes obtidos a partir das imagens e informações geradas pelos equipamentos. Saber trabalhar com essas novidades, assim como com a inteligência artificial, se torna diferencial entre os profissionais. Já há possibilidade, inclusive, de os engenheiros clínicos monitorarem os equipamentos à distância, o que é proporcionado pelos avanços tecnológicos no setor.

profissional de Engenharia Clínica

Imagem: Sensorweb

Entretanto, essa mesma necessidade de união entre o trabalho dos engenheiros com a tecnologia que tem avançado, é vista como um desafio no Brasil. De acordo com o professor titular aposentado da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Saide Jorge Calil, em palestra para engenheiros clínicos ocorrida neste ano, ainda é necessário que os profissionais se atualizem e se aproximem mais da tecnologia. “Tem muita coisa chegando quanto a novidades e tecnologias para hospitais. É preciso saber ousar, entender os equipamentos e saber comprar e utilizar cada um”, destacou Calil.

+ O curso de Engenharia Clínica

Os profissionais da Engenharia Clínica são definidos pela Associação Brasileira de Engenharia Clínica, a ABEClin, como aquele que aplica as técnicas da engenharia no gerenciamento dos equipamentos de saúde com o objetivo de garantir a rastreabilidade, usabilidade, qualidade, eficácia, efetividade, segurança e desempenho destes equipamentos, no intuito de promover a segurança dos pacientes.

profissional de Engenharia Clínica

Imagem: Vestatech

Os cursos encontrados no país são os técnicos, de especialização, além de pós-graduação e mestrado, e geralmente relacionam conteúdos de distintas áreas, como os próprios da Medicina, como fisiologia, além dos conceitos fundamentais de instrumentação. Alguns cursos são ministrados em parceria direta com instituições de saúde, como a Santa Casa de São Paulo e o Hospital Albert Einstein.
Para conhecer os diferentes cursos certificados pelo MEC, vale acessar o site da ABEClin.

Referências: Época Negócios, TerraConfeaRevista Organização Sistêmica, Vol. 7, Nº 4, jan/dez 2015

Copiado!

Matérias Relacionadas

Comentários