Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

NASA quer dar uma lua para nossa Lua

Engenharia 360

2 min

POR Colaboradores BDE 03/01/2013

A NASA deve achar que a nossa Lua está ficando solitária, porque está ponderando a ideia de capturar um asteroide e colocá-lo em órbita lunar. Assim, a Lua terá um pequeno satélite rochoso para chamar de seu.

De acordo com a New Scientist, pesquisadores do Instituto Keck para Estudos Espaciais “confirmam que a NASA pondera sobre” um plano para oferecer um amigo à Lua.

O plano envolveria o lançamento de uma nave espacial robótica para capturar um pequeno asteroide com apenas 7 m de largura, que depois seria colocado em órbita lunar alta. A missão iria custar cerca de US$ 2,6 bilhões – um pouco mais que a missão do Curiosity a Marte – e poderia terminar na década de 2020.

Isso levanta várias perguntas. O asteroide poderia alterar os movimentos da Lua, que impactam as marés na Terra? Provavelmente não, já que ele é muito pequeno: a largura média do asteroide seria 500.000 vezes menor que o diâmetro médio da Lua. (Como referência, a Lua possui diâmetro médio 3,7x menor que o da Terra.)

Mas e se o asteroide for atraído para a atmosfera terrestre e cair na Terra? Bem, na verdade objetos com diâmetro de 5 a 10 m já atingem a atmosfera uma vez por ano. Em geral, eles explodem na camada superior da atmosfera, e os detritos resultantes são vaporizados bem antes de chegarem na superfície.

E por que a NASA está tão interessada em dar uma lua para nossa lua? Bem, a administração Obama disse que quer enviar astronautas a um asteroide próximo da Terra. Atualmente, o melhor destino para uma viagem dessas – um pequeno corpo celeste chamado 1999 AO10 – exigiria uma viagem de seis meses, perigosa para os astronautas em questão. Trazer um asteroide para a órbita da Lua é uma opção mais segura, apesar de ser mais complexa.

A proposta atual de capturar um asteroide usaria uma espaçonave especialmente concebida. A New Scientist explica:

A equipe de Keck imagina o lançamento de uma nave espacial lenta, impulsionada por íons aquecidos pelo Sol, em um foguete Atlas V. A nave, então, se impulsionaria até um asteroide alvo, provavelmente uma rocha espacial pequena com cerca de 7 metros de largura. Depois de estudá-la brevemente, o robô pegaria o asteroide em um saco medindo cerca de 10 m por 15 m e voltaria em direção à Lua. No total, seriam necessários cerca de seis a dez anos para colocar o asteroide em órbita lunar.

Não seria fácil, é claro, e de acordo com Louis Friedman, da Sociedade Planetária, a proposta ainda precisa de “alguma sintonia fina técnica e científica”. Há também alternativas, inclusive colocar um asteroide no ponto L2 do sistema Terra-Lua. Mas, se o Instituto Keck conseguir o que quer, a Lua poderá enfim ter um amigo para brincar. [New Scientist]

Imagem por lrargerich sob licença Creative Commons, via

blog da engenharia
Blog de Engenharia
Blog Engenharia
dicas de engenharia
Dicas do curso de Engenharia
Engenharia
Engenharia no Brasil
Estudantes de Engenharia
NASA
site da engenharia
site de engenharia
Site Engenharia

Colaboradores BDE

mais
Imagem padrão usuário Engenharia 360

VEJA TAMBÉM

6 Resultados
O que você precisa saber sobre o BIM?
As 3 características fundamentais para você vencer na carreira
Tesla está trabalhando em ventiladores pulmonares feitos com partes de carros
6 dicas para otimizar seu home office | Lista 360
Robô delivery de medicamentos desenvolvido pela USP pode evitar contágio por coronavírus
Bioesterelizador desenvolvido em universidade paraibana pode atuar como mais uma frente contra coronavírus
Podcast 360
Ouça ou baixe podcasts
exclusivos da engenharia
Ver Todos

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ