Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Concreto sustentável: descubra esta versão que leva diferentes materiais em sua composição

por Simone Tagliani | 24/02/2021

Existem muitas variações da receita do concreto, mas sua massa pode ser composta de elementos diferentes e, assim, ficar mais sustentável e verde

O concreto é o material mais utilizado na Indústria da Construção Civil brasileira. E, justamente por isto, precisamos começar a debater sobre como tornar mais este material mais sustentável! Afinal, com todas estas mudanças climáticas acontecendo, parece que chegou mesmo a hora de nos importarmos mais com a natureza e com a nossa responsabilidade social, não acha? É uma questão urgente reduzir a quantidade de cimento nas estruturas erguidas!

Sim, o cimento é um material utilizado há séculos e faz parte da composição do concreto tradicional. Só que ele é responsável por grandes quantidades de emissão de carbono na atmosfera, contribuindo para o efeito estufa do planeta. Porém, para a nossa sorte, há alternativas mais sustentáveis que isto, sabia?

concreto verde
(imagem de Dreamstime)

Quais são as boas novidades do mercado?

Em grande parte por conta da pressão externa causada pela opinião pública, muitas empresas no setor da construção civil passaram a ficar mais atentas quanto à origem e o destino dos materiais adquiridos por elas – se são biodegradáveis, recicláveis e mais. O objetivo é diminuir o impacto sobre o ambiente! E, nesta linha, a discussão sobre a utilização de um concreto mais sustentável e verde nas obras está em alta!

Ao optar por materiais mais ecológicos, a indústria consegue achar uma resposta para a geração de resíduos, diminuindo a dependência das fábricas da utilização do petróleo para o seu funcionamento e fazendo um reaproveitamento dos dejetos. Há uma maior preservação dos recursos naturais, inclusive a areia do leito dos rios. E, mesmo assim, seus produtos não perdem qualidade alguma! Mas a maior vantagem, sem dúvidas, é o bem que isto faz para os ecossistemas!

“É uma tecnologia que precisa ser escalada, e é difícil levar para o mercado de uma forma rápida, porque exige toda uma mudança na cadeia produtiva de agregados.”

– Bruno Luís Damineli, professor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, em reportagem de Casa Vogue.
Dois engenheiros conversando e apontando para máquinas
Engenharia de Mineração. Créditos: www.lgnpneus.com.br

Como é o concreto sustentável?

O concreto sustentável então é produzido de um jeito diferente. Sua composição leva menos quantidade de água e muitos materiais recicláveis ou materiais naturais, como pneus velhos triturados e casca de arroz. Infelizmente, esta é uma “receita” cujo sucesso ainda não foi muito bem comprovado em pesquisas. Por isto mesmo é que ela ainda é pouco utilizada, ficando, na maioria das vezes, restrita a elementos não estruturais de baixo impacto, como pavimentações.

“Mas o que falta são normas da ABNT que comecem a tratar desse assunto, que organizem esse setor, para conseguirmos viabilizar a utilização desses resíduos em composição de concretos. As normas, principalmente, precisam verificar se em longo prazo o material desenvolvido mantém as suas propriedades. É isso que falta e que não é feito.”

– Javier Mazariegos Pablos, doutor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, para Casa Vogue.
concreto com borracha
(imagem de SciElo)

Veja Também: Conheça 3 novas estratégias de construção com materiais alternativos

Uma nova receita para o concreto

Os romanos usavam cal e rocha vulcânica na “receita” do concreto. Já os ingleses, no século XIX, inventaram o cimento Portland – muito utilizado até hoje nas construções. Mas, ao longo do tempo, foram surgindo muitas outras “receitas”, como as que levam cinzas volantes mais baratas e escória – subprodutos das usinas de carvão e aço – que, aparentemente, melhoram o desempenho do concreto. Este último produto passou a ser considerado ecológico. Sua fabricação, na indústria, é chamada de coprocessamento de resíduos. Mas há mais alternativas além desta!

“[Para que um material seja sustentável], na extração, ele precisa ter menor impacto na retirada de materiais da natureza. Na fabricação, deve ter menor teor de CO2 emitido.”,

” (…) execução, menores impactos de transporte, no canteiro de obras e menor quantidade de perdas. (E) (…) fase de uso, maior durabilidade, facilidade de manutenção e melhor desempenho térmico. E, no pós-uso, possibilidade de reuso ou reciclagem de materiais.”

– Bruno Luís Damineli, para Casa Vogue.
escória de aço
(imagem de Fabricio Romano em Youtube)

Outros ingredientes

Também existem, por exemplo, as massas de concreto que levam vidro reciclado – pozolana de vidro – no lugar de parte do cimento. Aquelas que levam uma injeção de dióxido de carbono líquido na mistura, o que ajuda a reter o gás de efeito estufa por mais tempo dentro das estruturas e também reduz a quantidade necessária de cimento. E outras que levam agregados diferentes, como os recicláveis e naturais, citados antes. A sílica, feita com casca de arroz, é a maior aposta dos engenheiros.

concreto com vidro
(imagem de New Atlas)

“Quando você faz a queima da casca de arroz, por exemplo, ela gera uma substância tão firme e rica em sílica, que você consegue substituir parte do cimento com esse resíduo. O mesmo vale para a cana de açúcar. E, além disso, você está tirando um resíduo agrícola da natureza.”

– arquiteto e engenheiro Thiago Vieira, em Casa Vogue.
casas de arroz
(imagem de pxhere)

Fontes: Nove Engenharia, Casa Vogue, O Estadão, Mapa da Obra, Cimento Itambe.

Você já teve contato com algum tipo de concreto sustentável? Comente!

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquiteta & Urbanismo e Letras; especialista em Artes Visuais; estudante de Jornalismo Digital e proprietária da empresa Visual Ideias - Redação, Edição e Produção de Conteúdos.

Comentários