Engenharia 360

Empresa de Jeff Bezos investe em simulação de gravidade lunar

Engenharia 360
por Redação 360
| 12/03/2021 | Atualizado em 03/06/2022 2 min

Mesmo que os atuais avanços sejam focados na gravidade lunar, eles serão decisivos para toda viagem espacial no futuro, incluindo as comerciais

Empresa de Jeff Bezos investe em simulação de gravidade lunar

por Redação 360 | 12/03/2021 | Atualizado em 03/06/2022

Mesmo que os atuais avanços sejam focados na gravidade lunar, eles serão decisivos para toda viagem espacial no futuro, incluindo as comerciais

Engenharia 360

A Blue Origin, empresa fundada por Jeff Bezos, está atualizando seu foguete de lançamento suborbital, o New Shepard. A atualização, que inclusive está na mira da NASA, consiste em reconfigurar o foguete a fim de incluir uma cápsula “centrífuga”, capaz de girar rápido o suficiente para simular a gravidade lunar.

De fato, simular a sensação única da gravidade lunar deve ser um dos testes pelos quais os equipamentos suborbitais devem passar. Afinal, ela corresponde a um sexto da gravidade terrestre.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Continue Lendo

Na verdade, a NASA já consegue realizar isso em alguns de seus veículos espaciais. No entanto, servem para apenas poucos segundos de exposição à gravidade lunar. Por isso os avanços realizados pela Blue Origin são promissores, aumentando a capacidade de tempo em que a simulação ocorre. A ideia é que o New Shepard ofereça dois minutos de gravidade lunar, e deve estar disponível no fim de 2022.

cápsula blue origin new shepard para gravidade lunar

Ademais, o veículo da Blue Origin também tem maior capacidade de carga útil, possibilitando pesquisas e experimentos que atualmente são impossíveis, devido a restrições espaciais. A cápsula funciona como uma centrífuga gigante, realizando 11 rotações por minuto. Sendo assim, é isso que possibilita a gravidade simulada.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Simular baixa gravidade possibilita ir à Lua e Marte

As pesquisas fazem parte de um projeto maior, sendo que a NASA visa ter uma equipe de pesquisa permanente de astronautas na Lua, tanto em superfície quanto em órbita. É o chamado projeto Artemis, que tem como objetivo, além disso, levar a primeira mulher ao satélite terrestre.

Erika Wagner, Diretora de Cargas Úteis da Blue Origin, afirma em newsletter recente emitida pela NASA: “A humanidade tem sonhado com a gravidade artificial desde os primórdios das viagens espaciais. É emocionante ser parceiro da NASA, explorando a ciência e a tecnologia que serão decisivas para o futuro da navegação espacial.”

Além da parceria entre NASA e Blue Origin, as pesquisas também reúnem grupos como Northrop Grumman, Draper, e Lockheed Martin. E entre todos eles é subentendido que, para irmos a Marte, que tem pouco mais que um terço da gravidade terrestre, é preciso antes normalizar as viagens à lua.

De todo modo, mesmo que os atuais avanços sejam focados na gravidade lunar, eles serão decisivos para toda viagem espacial no futuro. Inclusive as viagens comerciais, das quais muito se fala e que em breve poderão se tornar reais.

Fontes: NASA; Interesting Engineering; Blue Origin.

O que você achou dos avanços da NASA em parceria com a Blue Origin? Acha que seja possível um dia fazer uma viagem espacial? Conte para a gente nos comentários!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.

Assine nossa newsletter
e receba
uma curadoria exclusiva de conteúdos:

Continue lendo