Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Pesquisadores realizam a impressão 3D de coração a partir de tecido biológico

Engenharia 360

2 min

POR Kamila Jessie 25/04/2019

A impressão 3D vem nos surpreendendo ao produzir peças complexas, desde micro-satélites, até casas. Mas essa tecnologia não se limita a essa abordagem. Atualmente, a impressão 3D perpassa áreas da medicina e, em um ousado experimento, foi capaz de produzir um coração a partir de tecido biológico!

O coração artificial produzido por impressão 3D combina completamente com as propriedades imunológicas, celulares, bioquímicas e anatômicas do paciente doador do tecido. Até agora, os cientistas da medicina regenerativa, um campo diretamente relacionado com tecnologia e engenharia biomédica, tinham apenas conseguido imprimir tecidos simples, sem vasos sanguíneos. Mas o cenário mudou e cientistas da Universidade de Tel-Aviv, em Israel, conseguiram imprimir um coração vivo e palpitante a partir de tecido humano.

impressão 3d coração
Imagem: onlinelibrary.wiley.com

Como foi realizada a impressão 3D do coração

O produto de impressão 3D foi gerado depois de ter sido feita uma pequena biópsia do tecido adiposo (sim, da gordurinha) do paciente, remoção das células e separação do colágeno e outros biomateriais. Tudo foi reprogramado e diferenciado para células cardíacas e células de vasos sanguíneos. O passo seguinte foi processar os biomateriais para serem convertidos em “biotintas”. No caso, essas “biotintas” consistem em substâncias feitas de açúcares e proteínas que podem ser usadas para impressão 3D de modelos de tecidos complexos.

impressão 3d coração
Imagem: onlinelibrary.wiley.com

 O produto final foi um coração impresso em 3D, com cerca de 3 centímetros, equivalente ao tamanho do órgão em um rato ou coelho, por exemplo.

Objetivos futuros da pesquisa

Os próximos passos da pesquisa estão relacionados a amadurecer o coração impresso em 3D, de modo que ele seja capaz de desempenhar seu papel principal: bombear. Considerando os resultados presentes, por mais que as células impressas sejam capazes de se contrair, o coração impresso em 3D ainda não bombeia sangue.

Contudo, a gente reforça como é extremamente importante valorizar esse avanço na impressão 3D associado à medicina e engenharia biomédica. Isso porque a biocompatibilidade dos materiais é crucial para eliminar o risco de rejeição do implante pelo paciente que venha a recebê-lo.

Em um cenário ideal, um futuro breve promete a possibilidade impressoras 3D de órgãos espalhadas em hospitais, funcionando rotineiramente. Essa contribuição de engenharia, apesar de ainda estar na nossa imaginação como um objetivo a ser alcançado, seria de grande ajuda, considerando a escassez de doação de órgãos, o custo e as dificuldades intrínsecas ao procedimento.

Fonte: Advanced Science

Biotecnologia
engenharia biomedica
engenharia de biotecnologia
impressão 3D
Impressora 3D
Tecnologia

Kamila Jessie

Doutoranda em Hidráulica e Saneamento, formada em Engenheira Ambiental e Sanitária, sonhadora em tempo integral, amante de ciências e inventividades.

mais
Engenharia 360 Engenharia 360

VEJA TAMBÉM

6 Resultados
3 incríveis soluções de engenharia para o aproveitamento de água
Aeronaves para Produção de Energia Eólica
Testamos o Novo Honda Civic EX, descubra nossa opinião sobre ele!
CEO da Tesla acredita que a população mundial vai colapsar em 2050
Conheça as 5 construções mais antigas do mundo
Engenheiros realizam impressão de materiais flexíveis em 3D
Podcast 360
Ouça ou baixe podcasts
exclusivos da engenharia
Ver Todos

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

6 Resultados