Engenharia 360

Descubra os padrões de tomadas e voltagens em outros países. Evite surpresas!

Engenharia 360
por Redação 360
| 05/02/2024 | Atualizado em 08/02/2024 4 min
Imagem de Alan Levine em Pxhere

Descubra os padrões de tomadas e voltagens em outros países. Evite surpresas!

por Redação 360 | 05/02/2024 | Atualizado em 08/02/2024
Imagem de Alan Levine em Pxhere
Engenharia 360

Quem já saiu de viagem internacional sabe que uma das preocupações que precisamos ter é prestar atenção nas informações sobre tomadas e voltagens em outros países. Por exemplo, em fevereiro de 2024, o Engenharia 360 embarca para o 3DEXPERIENCE World, que acontece em Dallas, no Texas. É claro que neste momento nos vêm em mente esta dúvida, sobre quais tomadas são utilizadas nos Estados Unidos. Infelizmente, a falta de padronização ou regras em comum pode ser um desafio para a viagem.

Neste texto, vamos explorar esta questão, expandindo para um panorama global, fornecendo informações essenciais para evitar surpresas desagradáveis durante suas viagens. Acompanhe!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

tomadas e voltagens
Imagem de pvproductions em Freepik

O formato das tomadas nos Estados Unidos

Já começamos este texto esclarecendo que nos Estados Unidos a voltagem padrão é 110V, e as tomadas seguem os tipos A ou B. Na dúvida, já colocamos na nossa bolsa um adaptador específico e um adaptador universal, para garantir o uso de todos os eletrônicos que iremos usar.

tomadas e voltagens
Imagem reproduzida em Braun Turismo
tomadas e voltagens
Imagem reproduzida de ViajaNet

Em lojas especializadas no Brasil, podemos encontrar diversos modelos de adaptadores para tomadas elétricas. É melhor comprar por aqui mesmo, antes de embarcar em sua viagem Internacional, pois no exterior pode ser difícil de encontrá-los. E não tem jeito, pois muitos notebooks, celulares e outros eletrônicos fabricados e vendidos por aqui são incompatíveis com os plugues lá de fora. O importante agora é você saber que o encaixe dos pinos com os cabos desses aparelhos precisa "fechar" para que haja conexão segura.

Veja Também: O que é e como calcular a bitola de fiação elétrica?

As tomadas e voltagens pelo mundo

Evite surpresas! Este guia esclarece os diferentes padrões de tomadas e voltagens utilizados em outros países. E, olha, se prepara, pois alguns modelos são bem peculiares.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

tomadas e voltagens
Imagem de Freepik

Padrões por regiões do planeta

América do Sul

  • Maioria: 220V
  • Exceções: Colômbia e Equador (120V)

América do Norte

  • Estados Unidos, Canadá e México: 110V a 127V

Europa

  • Padrão unificado: 220V a 240V

Oceania

  • Austrália e Nova Zelândia: 230V

Ásia

  • Japão: 110V
  • China e Índia: 220V

África

  • África do Sul: 220V

Padrões por destinos

Exemplos de tomadas e voltagens em alguns países:

tomadas e voltagens
Imagem reproduzida de CVC
  • África do Sul: Tipo C, M ou N (220V)
  • Alemanha: Tipo C ou F (230V)
  • Argentina: Tipo C ou I (220V)
  • Austrália: Tipo I (230V)
  • Bolívia: Tipo A ou C (230V)
  • Brasil: Tipo N (127V/220V)
  • Canadá: Tipo A ou B (120V)
  • China: Tipo A, C ou I (220V)
  • Espanha: Tipo C ou F (230V)
  • Estados Unidos: Tipo A ou B (120V)
  • França: Tipo C ou E (230V)
  • Índia: Tipo C, D ou M (230V)
  • Itália: Tipo C, F ou L (230V)
  • Japão: Tipo A ou B (100V)
  • México: Tipo A ou B (127V)
  • Nova Zelândia: Tipo I (230V)
  • Portugal: Tipo C ou F (230V)
  • Reino Unido: Tipo G (230V)
  • Rússia: Tipo C ou F (220V)
  • Suíça: Tipo C ou J (230V)

Confira mais voltagem, plug e códigos de países do mundo clicando aqui e seus respectivos desenhos clicando aqui!

O formato das tomadas no Brasil

Agora, será que conhecemos bem as tomadas daqui do nosso Brasil? Vamos fazer uma brincadeira: identifique rapidamente o modelo padrão vendido no país:

tomadas e voltagens
Imagem reproduzida de Exchange do Bem

Se você respondeu que o modelo utilizado no Brasil é o 'N', com três pinos redondos, você acertou! Essa padronização aconteceu em 2009. Até então, o país possuía uma ampla variedade de padrões de tomadas, com diferentes tipos de plugues, pinos e voltagens. Isso resultava em uma situação confusa e, em alguns casos, perigosa, já que os consumidores precisavam lidar com diferentes modelos ao conectar seus aparelhos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Agora, seguimos o que é estabelecido pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) via NBR 14136. Essa norma visa unificar e simplificar os modelos, reduzindo a diversidade e aumentando a segurança elétrica. Eis o novo padrão de tomada brasileira:

tomadas e voltagens
Imagem de Comrade Mmirg em Wikipédia

Observação: Segundo a ABRADEE (Associação Brasileira dos Distribuidores de Energia Elétrica), a maioria dos Estados do Sudeste, Norte e parte do Centro-Oeste usa a tensão 127 V. Já no Sul, Distrito Federal, Goiás e Nordeste, a voltagem instalada é de 220 V.

10A e 20A

Após a introdução do padrão NBR 14136, os modelos comerciais passaram a se concentrar em duas principais categorias de corrente elétrica:

  • 10A: Caracterizado por pinos mais finos (4 mm), utilizado para aparelhos de menor consumo de energia.
  • 20A: Apresenta pinos mais grossos (4,8 mm) e é destinado a aparelhos que demandam uma corrente mais intensa.

Essa simplificação facilitou a vida dos consumidores na escolha de adaptadores e na utilização de dispositivos elétricos em diferentes ambientes no Brasil.

Veja Também:


Fontes: Braun Turismo, CVC.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Comentários

Engenharia 360

Eduardo Mikail

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, liderada pelo engenheiro Eduardo Mikail, e com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo