Engenharia 360

Pesquisa mostra que estudantes têm maior rendimento quando as aulas começam mais tarde

Engenharia 360
por Larissa Fereguetti
| 23/04/2018 | Atualizado em 13/09/2023 3 min

Pesquisa mostra que estudantes têm maior rendimento quando as aulas começam mais tarde

por Larissa Fereguetti | 23/04/2018 | Atualizado em 13/09/2023
Engenharia 360

Pode comemorar: fizeram uma pesquisa comprovando que os alunos rendem mais quando as aulas começam mais tarde. Era a desculpa que faltava para justificar aquela pequena (ou enorme) sensação de desgosto que a maioria dos estudantes têm ao acordar cedo para uma aula.

aulas começam mais tarde
Gif: badgerherald.com

Entenda a pesquisa sobre o rendimento x início das aulas

O estudo foi realizado pela Universidade Nacional de Singapura e publicado neste mês. Para fazer a pesquisa, os cientistas analisaram o desempenho de estudantes de turmas do ensino médio de uma escola que atrasou em 45 minutos o tempo de início das aulas (de 7:30 para 8:15). O resultado foi aquilo que todo estudante sonolento na primeira aula da manhã já imaginava: houve maior desempenho quando as aulas começam mais tarde.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

aulas começam mais tarde
Imagem: cwade78.wordpress.com

Um dos fatores que influencia o desempenho é o tempo de sono que os alunos têm. Com as aulas iniciando um pouco mais tarde, eles iam dormir apenas alguns minutos além do horário normal e tinham mais tempo de sono. Embora o extra seja de apenas alguns minutinhos de soneca, eles são muito valiosos.

Esse não é a primeira vez que a hipótese surge e também não é o primeiro estudo sobre ela. Alguns pesquisadores já a defendem há algum tempo, alegando que é necessário dormir bem para ter melhor desempenho.

Os pesquisadores também que acreditam que os alunos não vão exceder muito o horário de dormir só porque a aula começará mais tarde. Talvez não no caso do ensino fundamental e médio, mas sabemos que, na graduação, isso depende muito do calendário de trabalhos e provas.

aulas começam mais tarde
Gif: giphy.com

Porém...

Um dos problemas quando as aulas começam mais tarde é que elas consequentemente terminariam mais tarde. Isso pode afetar a realização de outras atividades, como a prática de esportes, cursos de idiomas e cursos de pré-vestibular. Na graduação, é mais fácil alterar os horários porque os alunos não dependem tanto dos horários dos pais. Além disso, grande parte está acostumada a ter uma grade com horário que varia a cada semestre.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

É necessário levar em consideração que cada país tem uma cultura diferente. No Oriente, por exemplo, a carga de estudos costuma ser mais elevada que no Ocidente. Assim, antes que as escolas mudem os horários de aula no Brasil, é necessário estudar qual o horário ideal. Alguns fatores que podem ser considerados, além do rendimento dos alunos, são o trânsito, o horário dos pais (quando eles levam os filhos para a escola) e o horário médio das demais atividades dos alunos. Cada escola pode definir um horário de acordo com o perfil de seus estudantes.

aulas começam mais tarde
Imagem: health.usnews.com

A dica é: enquanto não atrasam o horário das suas aulas, tente ajustar seu cronograma para ter uma boa noite de sono. Sabemos que nem sempre é possível dormir bem e que a faculdade exige muito dos alunos, mas dormir, além de ser uma das melhores coisas do mundo, pode proporcionar mais disposição e, quem sabe, assistir a uma aula mais descansado não te economiza algumas horas de estudo?

Veja Também: Neuroeducação e seu Impacto no Aprendizado de Engenharia


Fontes: Sleep; JAMA Network; Science Daily; Galileu; Big Think; Science Alert.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Comentários

Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Cientista e Engenheira de Saúde Pública, com mestrado, também doutorado em Modelagem Matemática e Computacional; com conhecimento em Sistemas Complexos, Redes e Epidemiologia; fascinada por tecnologia.

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo