Engenharia 360

Especial Dia Internacional da Mulher: 360 Entrevista a Engenheira Gênova Arruda

Engenharia 360
por Redação 360
| 04/03/2022 | Atualizado em 08/03/2022 8 min

Especial Dia Internacional da Mulher: 360 Entrevista a Engenheira Gênova Arruda

por Redação 360 | 04/03/2022 | Atualizado em 08/03/2022

Quantas vezes nós ouvimos desculpas de pessoas dizendo que não se sentem motivadas a estudar, a seguir uma determinada carreira e a dar a volta por cima na vida? Realmente, não se pode condenar aqueles que, por vezes, se encontram em desespero. Por exemplo, neste momento, vivemos uma das piores fases da humanidade, com diversas crises globais acontecendo ao mesmo tempo. E, infelizmente, é cada vez mais comum vermos notícias nas mídias de engenheiros desempregados, atuando em outros setores e com salários muito aquém do que mereciam, de fato, por todo o seu histórico de carreira.

No meio disso tudo, não podemos nos esquecer dos próprios desafios impostos na nossa caminhada pessoal. Como diz aquela frase: “a vida é o que acontece enquanto fazemos planos”. Enfim, acabamos surpreendidos, de vez em quando, por um drástico rompimento nesse destino. E o que fazer? Como será que algumas pessoas conseguem superar tudo isso? De onde elas tiram forças? O que fazem de diferente para conseguir driblar tantos desafios e seguir em frente?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Bem, foi pensando nisso que trouxemos aqui, para o Engenharia 360, uma convidada muito especial, a engenheira Gênova Arruda (setor de Engenharia Mecânica, Administração, Locação de Equipamentos), que vai compartilhar conosco um pouco de sua história. Preste muita atenção no que ela tem a dizer, pois pode fazer a diferença no seu aprendizado de vida pessoal e profissional! Use seu exemplo e suas belas palavras como inspiração de ações que pode tomar, de um olhar diferente que pode dar às situações, de tudo que você pode buscar realizar para mudar a sua realidade presente e futura!

engenharia mecânica
Engenheira Gênova Arruda
1. Engenheira Gênova, em uma conversa que você teve com o Engenharia 360, disse que seus pais não tiveram a oportunidade de cursar o ensino superior, mas que, apesar disso, nunca houve nada que lhes faltasse. Afinal, podemos dizer que seu sucesso profissional está relacionado a este bom exemplo familiar, de pessoas batalhadoras, que enfrentaram a vida de frente e proporcionaram a maior riqueza de todas, o amor?

“Sim. O AMOR é a base de tudo, pois somente através dele aprendemos que as dificuldades devem ser enfrentadas de cabeça erguida. Saber que somos amados torna o fardo mais leve, em qualquer circunstância, seja ela afetiva, profissional, financeira ou até mesmo ocasional.

Outro legado que meu pai deixou foi a frase: ‘Um ladrão pode tirar tudo de você, porém ninguém nunca será capaz de roubar seu conhecimento.’.

Hoje, acrescentando à frase de meu pai, eu gostaria de deixar para minhas filhas e netos outra frase: ‘Eu te amo, porque Deus me amou primeiro.’.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

2. Você também compartilhou conosco uma informação bem interessante, que antes de cursar Engenharia, chegou a cogitar estudar Arquitetura, mas que sentiu que era necessário o desenvolvimento de atividades que estavam, naquele momento, além das suas habilidades, como o desenho à mão livre. Hoje, porém, sabemos que o mercado mudou e que existem mais ferramentas disponíveis que poderiam facilitar tanto o trabalho de arquitetos quanto de engenheiros. Enfim, você mudaria essa decisão, se fosse hoje? Conte-nos o que te fez escolher a Engenharia para a sua vida profissional!

“Não mudaria minha decisão, pelo contrário reafirmaria a minha escolha. Ao longo do curso de Engenharia Mecânica, incluindo os períodos de estágio que fiz, descobri que essa foi a minha melhor escolha. Gosto de novos desafios diários, com descobertas e dificuldades dinâmicas. Meu dia a dia tem sido assim desde que entrei nessa área.

Certa vez, aceitei uma proposta de trabalho em um projeto que demandava uma rotina sem muita alteração. Não me senti à vontade e, apesar de a proposta financeira ter sido bastante favorável, pedi licença e saí. Retornei às atividades de obras, até mudei de Estado(região/localidade) bem como também retomei meu estado de paz espírito (risos).”

engenharia mecânica
Imagem reprodução de UNISAGRADO
3. Lamentavelmente, no período da sua graduação e começo de vida profissional – que é uma das fases mais importantes da construção de uma carreira – você teve sérias perdas pessoais. Por certo, muitas pessoas no seu lugar desistiriam fácil. Mas parece que sua decisão foi continuar se movendo, mesmo com dificuldade, como se você mesma fosse uma pequena máquina ativa por um sistema de Engenharia Mecânica. E qual foi o combustível que te manteve ativa, mesmo diante de tudo que acontecia? Pode nos contar?

“Na verdade, as perdas aconteceram no auge da minha carreira profissional, estabilidade financeira e no melhor momento da minha vida pessoal. Mais uma vez fui fortalecida pelo Amor.

Perdi meu marido, Luiz (22 anos de um casamento perfeito), que sempre me apoiou e participou ativamente na minha carreira profissional, além de ser o fundador e maior colaborador para o sucesso da nossa Empresa (ArGL Locações & Serviços, de equipamentos de Ar comprimido). Em seguida perdi meu pai, que nunca deixou de ser meu porto seguro; e logo mais Deus levou, de forma abrupta, minha mãe, que, por toda a sua vida, foi o maior exemplo de dedicação integral como mãe, avó e bisavó. O que restou da minha BASE?

Restou-me meu maior presente de Deus: duas filhas, na época adolescentes (nunca foram ‘aborrecentes’), e através da força do AMOR por elas, venci estas tempestades. Sendo o verdadeiro combustível o amor e a misericórdia de Deus, pois Ele sabe de todas as coisas e, principalmente, porque ‘foi Ele que me amou primeiro’.”

ar comprimido
Imagem reprodução de ArGL Locações & Serviços
4. Na nossa conversa você também disse que muitas pessoas perdem tempo demais lamentando a situação que se encontram em suas carreiras, mas não se esforçam ou se dedicam o suficiente. Por exemplo, sem se preocupar em aprender um novo idioma, entender o mercado, fazer pesquisas, respeitar o cliente, e mais. Qual o recado que você daria para estas pessoas?

Tudo que você se compromete a fazer, faça-o perfeito. Desde um auxiliar de serviços gerais a um profissional graduado. Em tudo que fazemos com responsabilidade, buscando entregar bem-feito aquilo que lhe foi designado gera frutos.”

“Ficar se lamentando irá somente prejudicar o seu trabalho e mais ainda a você mesmo, porque não terá paz de espírito. Ao passo que, ao preencher os seus dias com qualquer trabalho honestamente, cumprindo seus deveres cotidianos, irá adquirir experiências para alcançar patamares acima do esperado. ‘Trabalho ordinário, Graça extraordinária‘ (Scott Hahn).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sugiro, ainda, a busca de sempre aprender o novo: um método inovador, um idioma diferente, uma maneira cortês de atendimento, uma forma de sorrir mais facilmente, entre outros aprendizados. Hoje, com o fácil acesso à internet, as pesquisas estão cada vez mais disponíveis para quem as buscam com afinco e vontade de acertar.”

5. Voltando para a sua história, parece que quando você entendeu bem os seus interesses, acabou optando pela Engenharia Mecânica, correto? Mas não parou por aí, pois ainda buscou informações sobre a área de Administração também. E é muito interessante que seus passos foram de um trabalho no setor bancário, para a Engenharia Aplicada e, agora, contribuindo indiretamente para a Engenharia, com locação de equipamentos. Pode nos dizer como você enxerga esse progresso? Como cada etapa te ensinou e como isso tudo está integrado à sua vida de agora?

“A resposta dessa pergunta é a confirmação da anterior. Trabalhar e estudar sempre foi o meu ‘hobby’. Antes de ingressar na faculdade, comecei a dar aulas de inglês particular – em seguida, numa escola de idiomas renomada também. Assim que comecei meu curso superior, fui trabalhar na construtora do meu pai na área administrativa. Daí, surgiu o interesse em acrescentar curso superior de Administração de Empresas, além de Engenharia Mecânica. Colhi muitos frutos desses trabalhos fora da Engenharia.”

administração de empresas
Imagem reprodução de Certificado Cursos Online
6. Uma das fases da sua carreira que você compartilhou conosco, é a da transição do setor bancário para o setor petrolífero. Conte um pouco como foi para você trabalhar em uma grande estatal e com estaleiros de barcos.

“Essa fase foi a comprovação das duas respostas anteriores. Fazendo dois cursos superiores numa Instituição particular, achei justo e necessário contribuir com o pagamento destes, aliviando o bolso do meu pai. Eu consegui  uma vaga em um banco particular e busquei aprender meu novo ofício, com o desafio de atender com qualidade, superando as expectativas de cada cliente. Valeu a pena prestar atenção aos detalhes!

Mediante o cumprimento desse desafio, um cliente do banco, ao saber que eu cursava Engenharia, me ofereceu um estágio na Petrobras. Tirei férias e aceitei a proposta recebida e pedi demissão do banco para continuar na Petrobras até a conclusão da obra. Finalizada a obra da Petrobras, surgiu uma nova oportunidade na Indústria Naval. Desde então, desbravei no universo da Engenharia.”

petrobras estaleiro naval
Imagem reprodução de DIÁRIO DO PRÉ-SAL
7. Mas e quanto à Engenharia Mecânica? Você disse que ela tem um leque de possibilidades muito maior do que as pessoas costumam saber. Como seria trabalhar com Engenharia Mecânica no Brasil dos dias de hoje?

“O Mundo inteiro é carente de ENGENHEIROS. Acredite, o campo da Engenharia Mecânica é muito vasto. Há necessidade em todas as áreas: unidades fabris de todo gênero, indústria alimentícia, petroquímica, mineração, telecomunicações, eólicas, perfuração de poços, marketing, e por aí vai.”

“Porém, para muitos, existe o entravamento de sair da sua zona de conforto. Pois vida de engenheiro é como rapadura ‘é doce, mas não é mole’ (risos) – adoro ditados e pensamentos filosóficos, acho que são bons insights para nos acordar à vida real.”

“Além do trabalho árduo, requer renunciar à muita coisa. Às vezes, mudar de localidade, ficar longe de casa, trabalhar nos feriados, sorrindo sempre, receber ordens que podem contrariar sua opinião, e assim por diante. Quando saímos da sala de aula, a realidade é outra.

Isso acontece em qualquer área profissional. Fico demasiadamente triste quando me deparo com alguém que possui nível superior dirigindo Uber. Mas fico feliz quando abrem um negócio próprio empregando seu conhecimento adquiridos numa Universidade, não necessariamente no mesmo nicho do curso concluído.”

perfuração de poços
Imagem reprodução de Wikipedia
8. Vamos terminar esta entrevista focando na mulher no mercado de trabalho. Sendo, você, um importante exemplo de profissional empreendedora de nosso país, qual a recomendação que daria para as brasileiras que estão começando a trabalhar agora com Engenharia ou aquelas que estão querendo se reinventar no setor?

Não sejam feministas! Nós, mulheres, temos capacidade profissional tal qual os homens! Entretanto, apesar de, na maioria das vezes, nos destacarmos em alguns aspectos exercendo um trabalho de excelência, com olhar crítico mais apurado, esbanjando talento, dedicação e comprometimento, temos nossas limitações, tanto no campo da força física como emocional, as quais devem ser absorvidas e respeitadas. Mas podemos – e devemos – usar o poder da nossa sensibilidade para ocupar papéis de destaque na vida profissional. Afinal somos ‘guardiãs dos mistérios da vida’. Temos obrigação de nunca parar de crescer e acreditar no nosso potencial!

mulheres na engenharia
Imagem reprodução de Expansão

Veja Também: Especial Dia Internacional da Mulher: 360 Entrevista a Engenheira Mariangela Ikeda Ribeiro

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.