Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Entenda como funciona o método de fabricação do Petróleo sintético ou Biopetróleo

por Redação 360 | 05/10/2021

Soluções como petróleo sintético ou biopetróleo podem mudar o cenário que vivemos hoje, com escassez de petróleo e o aumento dos combustíveis. Saiba+!

Todo dia ouvimos ou lemos notícias sobre o aumento dos combustíveis em consequência do aumento do preço do barril de petróleo no mercado internacional. Mas, afinal, o que é o petróleo? Bem, trata-se de um material formado pelo processo de decomposição de matéria orgânica – restos vegetais, algas, plânctons e restos de animais marinhos -, ao longo de centenas de milhões de anos. E é o subproduto disso que usamos para alimentar uma série de máquinas e dispositivos que influenciam o nosso dia-a-dia. Só que pode existir alternativas, como o petróleo sintético e o biopetróleo!

combustíveis
Imagem reproduzida de O Globo

É importante lembrar que, neste momento, todos estão começando a entender a urgência de uma mudança de ações. Isso inclui diminuir a queima de combustíveis. Sabia que os carros movidos a álcool ou gasolina emitem grandes quantidades de CO2, gás altamente poluente e um dos maiores responsáveis pelo aumento do Efeito Estufa na Terra? Por isso mesmo é que muitos cientistas falam em alternativas mais ecológicas, como o uso do Etanol. Contudo, a cana-de-açúcar suga CO2 do ar para crescer. Ou seja, a própria produção do álcool retira da atmosfera grande parte do carbono liberado na queima dele.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

As novas propostas dos pesquisadores

Ideia 1

A empresa inglesa Zero Petroleum parece ter encontrado um processo alternativo de alto rendimento. Ela pretende usar o CO2 capturado da atmosfera para produzir uma espécie de biopetróleo. Na verdade, seria preciso 1,46 kg de água – submetida à eletrólise separando o oxigênio do hidrogênio -, 3 kg de CO2 transformado em monóxido de carbono – resultando em hidrocarboneto – e eletricidade de fontes limpas para produzir 1 kg de biopetróleo.

Ideia 2

Pesquisadores do Pacific Northwest National Laboratory, ligado ao Departamento de Energia dos Estados Unidos, estão tentando, neste momento, encontrar novas fontes de energia sem precisar recorrer aos combustíveis fósseis. Eles já descobriram, por exemplo, como transformar esgoto em biocru ou biopetróleo. Para isso, seria preciso realizar a liquefação hidrotérmica,  tecnologia que imita as condições geológicas utilizadas pela Terra no processo de criação do petróleo bruto, muito semelhante ao petróleo encontrado no solo. Depois disso, bastaria refinar o material para produzir etanol, gasolina ou diesel – com 1.100 litros de esgoto seria possível fazer um barril de petróleo. O mais legal é que isso eliminaria a necessidade de tratamento, transporte e descarte do esgoto das cidades.

combustíveis
Imagem reproduzida de Engenharia 360
combustíveis
Imagem reproduzida de Correio do Estado

Explicando melhor, o petróleo cru é o resultado da transformação natural de matéria orgânica em decomposição que fica preso sob a terra. Dentro desse conceito, pode-se considerar as algas como uma possível fonte para desenvolver biopetróleo também – ainda que por enquanto não sai muito em conta devido ao custo energético para o processo. De acordo com a empresa, isso seria possível em menos de uma hora. Um protótipo desenvolvido pela Pacif consegue processar quase 2 litros de algas submetendo-as a 350º e a mais de 200 bares de pressão -200 vezes a pressão atmosférica-, condições que iniciam o processo mediante o qual a matéria orgânica se converte em petróleo cru de forma natural, sob terra e ao longo de milhões de anos.

Mas, afinal, o que você acha destas ideias? Será mesmo que o petróleo sintético ou biopetróleo poderia minimizar os problemas de exploração de jazidas de petróleo mundo afora? Deixe a sua opinião nos comentários!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO


Fontes: Revista Superinteressante, Negócio Digital.

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.