Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Qual o computador ideal para Engenharia em 2020?

por Larissa Fereguetti | 29/01/2020
Copiado!

A tecnologia voltada para computadores e notebooks está em constante superação: temos computadores cada vez menores e mais eficientes. Mas vale lembrar que, quando o assunto é computador para a Engenharia, há uma série de pontos que você deve ficar atento.

Justamente por isso, reunimos aqui algumas dicas na hora de escolher e fizemos uma seleção de alguns computadores e recursos indicados para engenheiros(as) e estudantes de Engenharia.

Homem usando software 3D em computador desktop
Imagem: engineerlive.com

Definindo o uso

Um dos primeiros pontos que você deve ficar atento é sobre o maior uso que você fará do computador. Se for só para usar o pacote Office e navegar na internet, muitos modelos oferecem computadores com um bom custo-benefício e você precisará se preocupar em manter a manutenção em dia (atualizando programas e sistema operacional, por exemplo).

Por outro lado, a gente sabe que a maior parte das Engenharias possui disciplinas que demandam programas mais pesados e que não é todo computador que aguenta. Alguns exemplos são programas de CAD, GIS, simulações computacionais, renderização 3D, plataformas de modelagem 3D, etc.

É pensando nesse uso que você deve escolher seu computador. Se você vai começar a faculdade agora e ainda está em dúvida, o ideal é dar uma olhada na grade curricular do seu curso e verificar a ementa das disciplinas. Elas costumam descrever os softwares que serão usados.

engenheiro usando computador desktop com duas telas
Imagem: videoblocks.com

A maior dica, no entanto, é verificar os requisitos mínimos de cada software antes de comprar o seu computador. As desenvolvedoras costumam descrever quais são esses requisitos. Se você vai rodar mais de um ao mesmo tempo, é bom caprichar um pouco mais na escolha.

Lembre-se: não adianta escolher o melhor somente de um item, é todo o conjunto que precisa funcionar em harmonia, ou seja, não vale ter só um bom processador ou uma placa de vídeo, caso contrário isso nem fará diferença. Às vezes, é melhor ter todas as peças boas ou intermediárias que ter uma boa e o restante ser fraca.

Notebook ou desktop?

Se for para levar o computador para usar nas aulas, fazer apresentações de trabalho, trabalhar em outros ambientes ou demais tarefas que requisitam o deslocamento, certamente o notebook é mais indicado. Porém, se você faz tudo de casa, o desktop talvez seja uma boa opção.

A vantagem do desktop é que ele costuma ter um desempenho melhor que um notebook na mesma faixa de preço. Ou seja, se você quiser um notebook com bom desempenho, precisará desembolsar um pouco mais que para um desktop.

pessoa usando computador desktop
Imagem: traveldailymedia.com

Uma opção é ter um desktop e um notebook. Se as tarefas que você desloca para fazer são mais simples, você pode optar por um desktop com bom desempenho em casa e um notebook mais simples para levar para todo lado (principalmente se você tem medo de ser assaltado ou de perder um notebook muito caro).

Processador

No quesito processador, os mais comuns são os da Intel. Porém, a AMD costuma ser a queridinha de muita gente. Ambas as marcas oferecem processadores com bom desempenho e também versões intermediárias mais em conta. Você precisa saber escolher qual deles é o melhor para você.

O processador é o como se fosse o cérebro do computador, isto é, é ele que transforma os 0s e 1s do código binário em informações. Essas informações vão para a placa-mãe, que as encaminha para demais partes do computador.

Isso não quer dizer que você pode colocar um processador de última geração no seu computador que tudo vai funcionar bem. Ele pode ser muita areia para o seu caminhãozinho, que nem sempre dá conta do recado.

Se o uso for só para arquivos de texto e navegar na internet, é possível que um dual-core dê conta da tarefa, mas o melhor mesmo é optar por um Core i3 ou acima (os atuais computadores com dual-core já não são tão bons mais). Se você trabalha com recursos multimídia e gosta de assistir filmes sem passar raiva, um i3 pode ser razoável, mas é bom optar por um Core i5.

Gerações mais avançadas do i5 e com uma frequência maior podem ser melhores algumas tarefas mais pesadas e programas mais complexos (mas isso também depende de outros recursos, como sua placa de vídeo). Se você for demandar muito do computador, como conteúdo 3D, edição de vídeo e jogos pesados, é melhor optar por um i7.

processador intel
Exemplo de processador Intel 10ª geração. Imagem: newsroom.intel.com.br

Lembre-se que, teoricamente, quanto maior a geração, melhor a performance e a velocidade. Ainda, a frequência de um processador diz respeito ao número de operações feitas por segundo. Isso quer dizer que, quanto maior a frequência, mais rápido tende a ser a resposta.

Também é preciso olhar para o número de núcleos. Os núcleos indicam quantas tarefas você pode fazer ao mesmo tempo, ou seja, quanto mais tarefas pesadas que demandam muito do processador você quer, maior a quantidade de núcleos necessária. Lembrando que essa quantidade de tarefas não quer dizer número de janelas ou programas abertos, depende do programa e do quanto eles demandam do processador.

Memória RAM

A memoria RAM (de Random Access Memory, em inglês, ou memória de acesso aleatório, em português) armazena a informação no momento em que ela é acessada. Isso significa que ela é diferente da capacidade de armazenamento do seu computador, que costuma variar de muitos gigabytes a terabytes.

A memória RAM serve para o acesso em programas e, teoricamente, mais RAM tende a processar seus dados de acesso de forma mais rápida. Atualmente, ter uma memória de 4GB é razoável, mas para alguns softwares é melhor optar por 8GB ou 16GB.

duas memórias ram
Exemplo de memória RAM. Imagem: srcomputador.com.br

Placa de vídeo

É a placa de vídeo quem controla as funções de exibição de vídeo na sua tela (como o nome já indica). Isso quer dizer que ela é muito importante, especialmente para quem trabalha com plataformas 3D e softwares semelhantes.

Nem sempre é possível encontrar uma placa de vídeo em computadores antigos. Normalmente, a Graphics Processor Unit (ou GPU, Unidade de Processamento Gráfico) era soldada na placa-mãe.

Ainda, placas de vídeo podem ter “memória dedicada”, ou seja, memória só para ela. Esse tipo de placa é essencial para quem quer trabalhar com modelagem 3D, edição de vídeo, jogos e semelhantes.

Sistema operacional

Windows? Linux? MacOS? Chrome OS? Qual sistema operacional escolher para o computador? Isso depende muito do que você pretende fazer. Se o seu computador for da Apple, é bem provável que você continue com o sistema da empresa, que é o MacOS.

Logo da Apple, Linux e Windows
Imagem: news.softpedia.com

Se você for trabalhar com computadores que não são da Apple, é possível escolher entre Linux e Windows. Não vamos considerar o Chrome OS neste quesito porque ele é um pouco mais limitado.

Quando você usa softwares com licença comercial, como muitos programas de CAD, modelagem 3D e semelhantes, é bem provável que vai optar pelo Windows, pois praticamente todos são voltados para esse sistema operacional (embora alguns tenham versão para Linux).

No Linux, é mais comum encontrar softwares livres, para os quais você não precisa de licença para instalar e usar. Esses softwares costuma ser mais robustos que os instalados no Windows, mas isso não deve ser generalizado. Há softwares livres muito bons e talvez o exemplo mais comum seja o R, o software estatístico que é usado em vários sistemas operacionais.

Enquanto no Windows você pode instalar o Photoshop, o Linux oferece o GIMP. Dependendo do que você for fazer, às vezes é melhor optar por um ou por outro. O mesmo acontece para quem usa Matlab no Windows e Octave no Linux. Felizmente, boa parte dos softwares possui versões para os três sistemas operacionais (Windows, Linux e MacOS).

Ainda, para quem prefere ter mais liberdade no gerenciamento do sistema operacional, o Linux é a melhor escolha. Há diferentes distribuições de GNU/Linux (normalmente chamado só de Linux), algumas tão simples de usar como o Windows, e outras voltadas para quem entende de computação mais robusta.

Armazenamento

O armazenamento depende muito do espaço que você acredita que vai ocupar com seus arquivos. Ainda, há a diferença de HD para SSD. O primeiro é o disco rígido (hard disk drive), que possui alta capacidade de armazenamento e aparentemente tem maior durabilidade (no quesito tempo de uso), mas eles é mais lento.

A unidade de estado sólido (Solid-State Drive, ou SSD), por outro lado, embora seja mais cara (quanto maior a capacidade, mais elevado é o valor), está se tornando a preferida devido a sua velocidade. Ela também é mais usada em computadores mais finos.

Comparação entre HD e SSD
Comparação entre HD e SSD. Imagem: recomendacaodenotebooks.com.br

Então, no fundo, os dois são viáveis para fins de Engenharia (embora SSD tenha a vantagem de maior velocidade). Basta você avaliar o custo-benefício e a questão do espaço para decidir.

Alguns computadores para Engenharia:

A seguir, separamos alguns computadores que possuem recursos indicados para Engenharia. Porém, ressaltamos que a lista é só um exemplo e que você sempre deve verificar o que o computador oferece e os requisitos dos softwares que você vai usar. Lembre-se que cada área da Engenharia requer softwares diferentes.

Alguns desses requisitos são encontrados nos sites. Alguns exemplos são (clique no nome do software para abrir uma janela com a página de requisitos): AutoCAD 2020; Solidworks 2019; Revit 2020; Matlab 2019 e ArcGIS.

Nesta lista selecionamos apenas alguns notebooks, não desktops. Porém, com as configurações indicadas não é difícil encontrar ou montar seu próprio desktop. Ainda, colocamos o site da própria marca para você saber mais sobre o computador.

Asus ZenBook Pro Duo UX581

  • Processador: Intel Core i9 9980HK
  • RAM: 32GB DDR4 2666MHz;
  • Armazenamento: 1TB PCIe NVMe SSD
  • Placa de vídeo: Nvidia RTX 2060
  • Display: 15.6″ 4K UHD

Microsoft Surface Laptop 3 15”

  • Processador: AMD Ryzen™ 7 3780U Mobile Processor med Radeon™ RX Vega 11
  • RAM: 8 GB ou 16 GB DDR4
  • Armazenamento: SSD, até 1TB
  • Placa de vídeo: AMD Radeon™ RX Vega 11
  • Display: 15”

Apple MacBook Air 13”

  • Processador: Intel Core i5 (8ª geração) de dois núcleos e 1,6 GHz
  • RAM: LPDDR3 de 8 GB com 2133 MHz
  • Armazenamento: SSD de 256 GB
  • Placa de vídeo: Intel UHD Graphics 617
  • Display: 13”

Lenovo Thinkpad Extreme (2ª geração)

  • Processador: Intel Core i7-9750H
  • RAM: SoDIMM de 32 GB (16+16) DDR4 2.666 MHz
  • Armazenamento: SSD M.2 2280, NVMe, Opal
  • Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX1650 4 GB GDDR5 128
  • Display: 15.6”

Dell G3 15

  • Processador: Intel Core i7-9750H 9ª geração
  • RAM: 8GB (2x4GB), DDR4, 2666MHz
  • Armazenamento: HD de 1TB (5400 RPM) SATA 2,5″ + SSD de 128GB PCIe NVMe M.2
  • Placa de vídeo: dedicada NVIDIA® GeForce® GTX 1660 TI com 6GB de GDDR6
  • Display: 15.6”

Asus ZenBook 14 UX433FA

  • Processador: Intel Core i7-8565U
  • RAM: 8GB / 16GB 2133MHz LPDDR3
  • Armazenamento: 1TB PCIe® 3.0 x4 SSD
  • Placa de vídeo: Integrated Intel UHD Graphics 620
  • Display: 14”

Dell Inspiron 15 5000

  • Processador: Intel Core i7-10510U
  • RAM: 16GB (1x16GB), DDR4, 2666MHz
  • Armazenamento: SSD de 256GB PCIe NVMe M.2
  • Placa de vídeo: dedicada NVIDIA GeForce MX250 com 2GB de GDDR5
  • Display: 15.6”

Recomenda mais algum? Deixe nos comentários!

Copiado!
Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Comentários