Engenharia 360

Como utilizar o modo RPN da calculadora?

Engenharia 360
por Victor Peron
| 20/10/2022 3 min

Como utilizar o modo RPN da calculadora?

por Victor Peron | 20/10/2022
Engenharia 360

Se você está na faculdade de Engenharia, é muito provável que já tenha se deparado com alguma calculadora no modo RPN e não tenha conseguido fazer sequer uma adição nela. Seja nas calculadoras financeiras (como a famosa HP 12c) ou nas gráficas (como a HP 50g), o modo RPN é muito utilizado por profissionais de exatas por possibilitar alta produtividade.

Os benefícios do modo RPN

Talvez você já tenha visto algum desafio da Internet em que uma expressão matemática gera resultados desiguais em diferentes calculadoras. Pois saiba que um dos principais benefícios do modo RPN é justamente esse: você utiliza a sequência de operações de uma forma diferente neste modo, sem o uso de parêntesis para separar as operações prioritárias.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

HP 12c. Fonte: Pinterest

Demonstrando o uso do RPN na calculadora

O presente texto busca continuar este texto, desenvolvido em 2015 pelo nosso colega redator colaborador do Engenharia 360, Matheus Correia. Além disso, demonstrar para você como o uso do modo RPN não é um bicho de 7 cabeças. Vamos começar imaginando uma conta simples:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

calculadora

Nas calculadoras tradicionais, com o modo algébrico, basta digitar 3 + 3, enquanto no modo RPN digita-se 3 3 +. Perceba que, independente do modo de calcular e da operação a ser realizada, em cada operação são utilizadas 3 informações: dois números e uma operação (com raras exceções). Isso acaba permitindo que o modo RPN acumule resultados prévios antes de fazer as contas. Vejamos um exemplo em que isso ocorre:

2

Para digitar essa conta em uma calculadora científica algébrica (excluindo-se, portanto, as calculadoras mais simples) basta digitar a expressão inteira 3 + 8 x 5, que ela automaticamente aplica a ordem das operações para retornar o resultado correto.

Contudo, no modo RPN, devemos digitar 3 8 5 x + para realizar essa conta. Parece complexo, mas não é. A cada operação digitada (começaremos pelo x, digitado anteriormente), a calculadora busca os dois últimos números digitados (no caso 8 e 5) e faz essa conta. Ao digitar posteriormente o +, novamente a calculadora busca os dois últimos números (no caso 3 e 40, resultado obtido pela conta anterior, 8 x 5) e realiza a operação, totalizando 43. Este exemplo com certeza fez o modo RPN parecer muito mais difícil e inútil do que o algébrico, mas vamos pensar em um exemplo mais trabalhoso:

calculadora

Enquanto precisamos digitar toda essa expressão na calculadora algébrica, tomando cuidado e incluindo cada parêntesis, no modo RPN essa conta é realizada com 3 12 5 + x 18 3 2 ^ 1 – x 3 5 ^ 5 1 8 / ^ – / –. Pode parecer grego ainda, entendo, mas se pegar esse exemplo com calma, vendo que a cada operação basta pegar os dois últimos números para executá-la, você vê como essa conta é mais direta e começa a ver o poder dessa ferramenta, e quem sabe você já consegue chegar ao resultado, que é aproximadamente 50,4.

Caso mesmo ao final dessa leitura você ainda encontre resistência com o modo RPN – eu te entendo -, calma. Realmente não é nada direto e esse método sofre resistência desde 1950, quando foi criado. Antes de descartar completamente a ideia, recomendamos que ao menos tente. Baixe algum aplicativo gratuito de calculadora RPN, repita essas contas tanto no app quanto na sua calculadora tradicional e compare. Quem sabe? Às vezes você pode gostar!

E aí? Gostou do conteúdo? Não esqueça de comentar abaixo qual foi sua experiência usando o modo RPN!

Veja Também: Calculadora científica: conheça os melhores modelos para Engenharia


Fonte: Qalculate

Engenharia 360

Victor Peron

Engenheiro Mecânico formado pela FEI cursando mestrado na Poli USP com pesquisa em interação fluido-estrutura. Possui experiência em CFD utilizando principalmente o método dos elementos espectrais em solvers de código aberto. Formação extracurricular em matemática aplicada no curso da Prandiano. Tem experiência como empreendedor entregando soluções em engenharia mecânica e também com gerenciamento de projetos na indústria. Tem interesse por máquinas térmicas, otimização, aerodinâmica e física.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo