Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Como a rede 5G está mudando o mercado?

por Matheus Martins | 30/01/2020
Copiado!

A tecnologia 5G é um upgrade das tecnologias de conexão por redes móveis. Neste caso, a quinta geração. Este avanço é um grande passo na conectividade entre dispositivos, e isto tem grande impacto no mercado e na cadeira produtiva em geral.

Preparação para o upgrade

Atualmente estamos num cenário predominante da tecnologia 4G. No entanto, antes de pensarmos na aplicação direta do 5G é preciso avaliar a infraestrutura mundial. Existem muitos países com as redes de infraestrutura maiormente formada por dispositivos 3G (UMTS) e em outros casos, o 2G (GPRS).

Homem saltando de 4G para 5G
Imagem: tecmundo.com.br

Existe agora, uma preparação da infraestrutura dos países para que seja possível estabelecer a rede 5G. Ocorre ainda, uma corrida entre empresas das potências mundiais para garantir a concessão da instalação e manutenção da infraestrutura dessa tecnologia. Quase replicando a corrida à lua, como na Guerra Fria.

A tecnologia 5G e seus benefícios

A tecnologia 5G em si, traz consigo duas grandes vantagens: a primeira é a velocidade de download/upload 50 a 100 vezes maior, podendo alcançar até 10GBps; a segunda é a diminuição da latência (atraso na transferência de dados) para a ordem de milissegundos. Isto garantirá a transferência de dados quase que instantaneamente.

Contudo, o ganho do usuário ainda não é tão significante. Isso porque não existe disponível infraestrutura com grande alcance e nem muitos dispositivos compatíveis. O início da implantação efetivamente, em nível mundial, é prevista para 2020, guardadas as devidas restrições de cada país, e o funcionamento efetivo deve se dar por volta de 2025, ao menos nos principais centros urbanos.

Como funciona o 5G?

O funcionamento do 5G é basicamente por meio de ondas de rádio, assim como as gerações anteriores da tecnologia de conexão por redes. A diferença é a abrangência do espectro da quinta geração da banda larga móvel, que é maior que as gerações anteriores. As antenas com compatibilidade 5G deverão ser acopladas às antenas já existentes, para formar a infraestrutura 5G necessária.

Representação gráfica de pontos de conexões entre ponstos de uma cidade.
Imagem: pointer.de

Um outro aspecto é um mecanismo inteligente destas antenas, que focaliza o sinal emitido de acordo com a requisição dos dispositivos. Ao contrário das antenas convencionais atuais que emitem sinais em todas as direções. Dessa forma, fica otimizada a capacidade de cada antena.

Infraestrutura para o uso

Inicialmente a tecnologia não será disponibilizada com preços acessíveis, no entanto, com o passar do tempo, será barateada. O custo dos receptores do sinal 5G são altos em virtude da demanda ainda não ser tão grande e pelo fato de não serem muitos os fornecedores existentes até agora.

Representação gráfica de pontos de conexões entre pontos de uma cidade.
Imagem: e-spincorp.com

Os custos com infraestrutura não serão baratos, entretanto, não se sabe precisamente qual o investimento será necessário para os usuários finais. Na Europa, por exemplo, a estimativa é de um investimento entre 300 e 500 bilhões de euros para a instalação da nova infraestrutura.

No Brasil a implantação da infraestrutura deve ficar para 2022, de acordo com o ministro Marcos Pontes. Isto porque estudos realizados mostraram que pode haver interferência com o funcionamento de antenas parabólicas. O atraso na implantação no Brasil representa, de acordo com a Ericsson, a não arrecadação de 25 bilhões de reais.

Aplicações no mercado

No mercado, imagina-se que os primeiros dispositivos a terem a tecnologia sejam os smartphones. Ao longo do tempo, outros dispositivos como os eletrodomésticos e wearables (dispositivos inteligentes vestíveis, digamos, como pulseiras, relógios, óculos e roupas inteligentes) serão incorporados.

Esquema gráfico de áreas de aplicação do 5G sobre cidade.
Imagem: multi-news.gr

As montadoras de carros e outros fabricantes também estão na corrida para a utilização da tecnologia 5G. A visão das montadoras é possibilitar a concepção de veículos autônomos inteligentes. Seria possível a comunicação entre veículos, de modo que se atualizem automaticamente e mutuamente nas estradas e em situações de engarrafamentos, entre outras possibilidades.

No caso da indústria de manufatura, a expectativa é o ganho com uma produção mais eficaz. Isso será possível através da coordenação de máquinas mais ajustada. Para a logística, a possibilidade de monitoramento de localização, temperatura e condições de entorno de insumos, por exemplo, será um grande ganho.

A tendência é que cresça a gama de dispositivos conectados, o que tangencia à aplicação da Internet das Coisas (IoT). Uma vez que a tecnologia 5G permitirá uma grande conectividade em rede e o processamento suficiente para os dados gerados. Logo, ficam intrínsecas as tecnologias.

Conclusão

Com a utilização da tecnologia 5G o consumo de energia para o uso de redes será 90% menor, o que implicará na maior duração de bateria dos dispositivos. Essa redução de energia a torna mais ecológica.

Rede de conexão sobre uma área urbana.
Imagem: mundoeducacao.bol.uol.com.br

O número de aparelhos conectados por área deve ser ampliado em 50 a 100 vezes mais do que atualmente. Isto alavancará a IoT e sua aplicação, abrindo inúmeras possibilidades cada vez mais conectadas e inteligentes para residências, hospitais, comércios, indústrias, bairros e cidades inteiras.

Fontes: TecMundo, Unisinos, Mundo Educação.

Copiado!
Engenharia 360

Matheus Alves Martins

Mestrando em Ciência dos Materiais, Engenheiro Civil, MBA em Gestão de Projetos e Auditor Líder ISO 9001:2015. Um sul-mato-grossense entusiasta da gestão, da qualidade e da inovação na indústria da construção. Fã de tecnologias e eterno estudante de engenharia.

Comentários