Engenharia 360

"Viagem no Tempo": o que são e como calcular os fusos horários?

Engenharia 360
por Redação 360
| 01/12/2022 | Atualizado em 27/01/2023 4 min

"Viagem no Tempo": o que são e como calcular os fusos horários?

por Redação 360 | 01/12/2022 | Atualizado em 27/01/2023
Engenharia 360

Olha que história interessante! Na fronteira entre o mar de Bering e o mar de Ciukci (o estreito de Bering), mais precisamente entre os continentes americano e asiático, estão as ilhas do Ontem, que pertence aos Estados Unidos, e a do Amanhã, que pertence à Rússia. A distância física entre elas é de apenas 3,7 km. Contudo, a distância de tempo é de 21 horas. Que viagem é essa, mano? Simples, é que esses territórios estão em dois lados da Linha Internacional de Data, linha imaginária na superfície terrestre que implica uma mudança de data. Isso se explica pelos diferentes fusos horários da Terra!

fusos horários
Imagem reproduzida de Astronomia Astrofisica & Cosmologia imagem de cima, Dave Cohoe; imagem de baixo, NASA (terra visível)

Mas o que são fusos horários?

Vamos entender juntos, certo? Fuso horário é uma faixa longitudinal delimitada por dois meridianos dentro da qual todas as localidades inseridas possuem o mesmo horário. Explicando melhor, os fusos horários são tipo uma padronização da contagem das horas no mundo criada tendo como referência o Meridiano de Greenwich (0°). Assim, o planeta foi dividido em 24 zonas de 15° de longitude cada; portanto, 12 fusos horários, totalizando 24 intervalos longitudinais. E para chegar neste número, levou-se em conta o movimento de rotação do planeta.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

De onde veio esta necessidade da criação dos fusos horários?

Então, o sistema de fusos horários foi elaborado com o objetivo de padronizar a contagem das horas no mundo, facilitando assim as comunicações, o comércio internacional e as viagens. Só para saber, antes disso, cada país ou território adotava o seu método próprio de determinar as horas e a passagem do tempo; a maior parte deles utilizava um mesmo referencial, que era o Sol. Mas quando aprimoramos as tecnologias de comunicação, passamos a realizar viagens de longas distâncias, intensificando o comércio internacional, viu-se esta necessidade.

Enfim, no ano de 1884, representantes de 25 países se reuniram na cidade de Washington, capital dos Estados Unidos, e estabeleceram que Greenwich, em Londres, seria o marco zero para a contagem das longitudes e também para indicar o centro do fuso horário referencial para a contagem das horas, representado pela sigla GMT (Greenwich Mean Time). Esse novo sistema foi aos poucos empregado em todo o mundo. Lembrando que eles não levam em consideração os limites territoriais das áreas que atravessam.

Você já deve ter ouvido a seguinte expressão “hora oficial de Brasília”. Qual o significado? É que existe a hora legal da sua região, com base na demarcação dos fusos horários. E a hora oficial é aquela que leva em conta as fronteiras estabelecidas pelos países e seus territórios. O Brasil possui quatro fusos horários: GMT -2, GMT -3, GMT -4 e GMT -5.

fusos horários
Imagem reproduzida de Almanaque do Ipem – SP

Como funcionam os fusos horários? Dá para calcular?

Sim, dá para calcular! Vamos lá, primeiro precisamos destacar novamente que fusos horários são faixas delimitadas por dois meridianos dentro das quais todas as localidades possuem a mesma hora. Cada fuso horário corresponde a um intervalo de 15°. E as 24 horas/um dia – ou mais precisamente 23 horas, 56 minutos e 4 segundos – é o tempo que a Terra demora para completar uma volta em torno do seu próprio eixo (360°). Para calcular, observa-se dois pontos distintos. Mas, para resumir, quanto mais andamos para o leste, mais as horas aumentam e os horários são adiantados. Já para o oeste é o oposto, as horas diminuem.

Se duas cidades, não importa o país ou hemisfério, encontram-se na mesma faixa, no mesmo fuso horário, elas terão a mesma hora. Ou seja, estes habitantes das duas localidades no mundo olharão para seus relógios e verão a mesma marcação. Isso porque pertencem a mesma linha imaginária vertical!

Vamos comparar Brasília com Nova York, pode ser? Quando em nossa capital for 10h, quer dizer que ela estará no fuso -3GMT. Ao mesmo tempo, a “grande Apple” estará no fuso -5GMT, ou seja, 8h da manhã. Compreendeu? O sinal negativo é porque eles estão a oeste do marco zero. Como são dois fusos próximos, é fácil calcular. Mas quando a diferença envolve fusos localizados em uma distância maior ou em hemisférios diferentes, tem uma fórmula para calcular. Basicamente, são três passos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  1. Identificar os fusos de origem e de destino.
  2. Calcular a diferença entre eles.
  3. Verificar se os horários deverão ser adiantados ou adiados.

Repetindo, agora, na prática!

Você está em São Paulo, mas precisa fazer uma ligação para Tóquio, no Japão. Se é 9h para você, seu amigo está em que horário? Lembrando que seu fuso é -3GMT e o de Tóquio é 9GMT. Subtraia o fuso da cidade de destino pela sua cidade = 9GMT – (-3GMT) = 12GMT. Isso quer dizer que existe uma diferença de 12 fusos ou 12 horas. Enfim, 9h + 12h = 21h. Este é o horário que a outra pessoa atenderá a sua ligação lá no outro lado do mundo.

fusos horários
Imagem reproduzida de Wikipedia

Veja Também: Horário de Verão: entenda porque o governo brasileiro encerrou e estuda retomá-lo


Fontes: Mundo Educação – UOL, Brasil Escola – UOL.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Engenharia 360

Redação 360

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo