Engenharia 360

Bill Gates apresenta vaso sanitário reinventado que funciona sem água

Engenharia 360
por Larissa Fereguetti
| 19/11/2018 | Atualizado em 13/09/2023 3 min

Bill Gates apresenta vaso sanitário reinventado que funciona sem água

por Larissa Fereguetti | 19/11/2018 | Atualizado em 13/09/2023
Engenharia 360

Quase todo mundo estranhou quando Bill Gates subiu ao palco com um pote de fezes humana. A cena só não foi mais bizarra porque o evento era o Reinvented Toilet Expo, em Beijing, na China, no início deste mês. Deixando o momento “eca!” de lado, o objetivo era apresentar um vaso sanitário reinventado que funciona sem água e transforma os excrementos em fertilizante.

vaso sanitário reinventado
Imagem: cnn.com

Menos dedinho na descarga e mais mãozinha na consciência...

Antes de entender como funciona a engenhoca apresentada por Bill Gates, vamos relembrar o processo que acontece em vasos sanitários convencionais. Dependendo da descarga, é possível que a quantidade de água usada para levar embora os dejetos desagradáveis varie entre 6 a 30 litros. Quando pensamos em quantas vezes damos descarga em casa, o número pode até parecer aceitável. Porém, se pensamos em um local maior (universidades, órgãos públicos, escolas, etc.), o número de descargas por dia é absurdamente grande.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Assim, além de auxiliar na economia de água, o vaso sanitário reinventado ainda resolve outro problema: o de dar um fim aos excrementos em áreas onde não há água suficiente ou condições de saneamento adequado. Apertar a descarga é muito fácil. Porém, ficar livre do “número 2” onde não há descarga ou qualquer sistema sanitário é uma tarefa difícil e que pode comprometer a saúde humana.

Saúde e saneamento de acordo com Bill Gates

Durante seu discurso, o fundador da Microsoft levantou o vaso de fezes para afirmar que, ali, poderiam estar mais de 200 trilhões de rotavírus, 20 bilhões de bactérias Shigella e 100.000 ovos de vermes parasitas. Eles podem causar várias doenças (diarreia, cólera, etc.), as quais acarretam a morte de aproximadamente 500.000 crianças abaixo de 5 anos de idade por ano. Ainda, cerca de 4,5 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso ao saneamento básico adequado.

vaso sanitário reinventado
Imagem: news.abs-cbn.com

Não é a primeira vez que Gates está envolvido em algo relacionado a esgoto e saneamento. Já mostramos aqui no Engenharia 360 quando ele bebeu a água que saía da usina de tratamento Omniprocessor. Bill Gates ainda destaca que começou a se interessar por saneamento quando deixou a Microsoft por tempo integral e passou a viajar por países pobres com a esposa. Chocados com a situação, decidiram fazer algo a respeito.

Vaso sanitário reinventado

O vaso sanitário já está pronto parar ser comercializado. Ele é fruto de várias pesquisas financiadas pela Fundação Bill e Melinda Gates. Os dejetos humanos viram fertilizante após o processo, sem esgoto e sem tubulações que fazem o resíduo percorrer parte da cidade até uma estação de tratamento. A água, em vez de ser usada no processo, é uma das saídas, juntamente aos sólidos (livres de patógenos).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O processo inicia quando a tampa é abaixada. Então, os sólidos vão para o fundo e depois passam por uma incineração, que elimina os patógenos e sai como cinza (é necessário esvaziar o tanque semanalmente). A parte líquida passa por uma série de membranas e sai como água. Porém, essa água não é potável. Ela pode ser usada para regar plantas, por exemplo. Esse não é o único modelo existente, há vários “troninhos” diferentes em desenvolvimento pelo mundo, mas o objetivo é sempre o mesmo: reduzir o contato humano com os dejetos.

vaso sanitário reinventado
Imagem: wfdd.com

Alguns vasos já estão em teste em cidades africanas. A versão movida a energia solar também já está em fase de testes. O problema é que eles ainda são caros. É preciso que a produção seja maior para que o preço abaixe. Então, espera-se que o dispositivo se torne mais comum, propiciando melhor qualidade de vida para as pessoas que ainda não possuem saneamento adequado.


Fontes: Bill & Melinda Gates Foundation; Qz; CNN.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Cientista e Engenheira de Saúde Pública, com mestrado, também doutorado em Modelagem Matemática e Computacional; com conhecimento em Sistemas Complexos, Redes e Epidemiologia; fascinada por tecnologia.

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo