Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

As 5 mudanças mais significativas no ensino de Engenharia

Engenharia 360

10/04/2018

POR Eduardo Slabocicor Cavalcanti 10/04/2018

  • Engenharia
  • ensino de engenharia
  • faculdade de engenharia
  • futuro engenheiro

Se um estudante ou recém-formado em Engenharia conversar com um(a) engenheiro(a) formado há 20 anos atrás, verá que as mudanças foram tão significativas que muitas vezes nem parece se tratar da mesma faculdade. Embora as disciplinas básicas sejam as mesmos, muita coisa mudou no ensino de Engenharia nas últimas duas décadas. O Blog da Engenharia conversou com alguns alunos e professores e reuniu as 5 mudanças mais significativas.

ensino de engenharia

1.Os professores não têm experiência industrial ou empresarial

Na década de 1990, a maioria dos professores de Engenharia trabalhava ou já tinham trabalhado na área. Muitos, além de professores, eram consultores ou empresários. Alguns eram trabalhadores aposentados que resolveram compartilhar experiências e conhecimentos com os jovens. Os conhecimentos transmitidos eram os que a indústria necessitava, com foco na funcionalidade e no lucro.

Hoje, a maioria dos docentes não tem experiência industrial ou empresaria. Muitos emendaram a carreira acadêmica logo após a conclusão da faculdade. Frutos do mestrado e doutorado, muitos utilizam a sala de aula como laboratório para suas pesquisas científicas. O resultado disso é que o ensino de Engenharia conta com um embasamento teórico excelente. Mas a abordagem de novos conceitos e novas tendências deixa a desejar. Quase sempre os futuros engenheiros precisam fazer cursos complementares para incrementar a carreira.

2. A Internet e a tecnologia forma novos tipos de profissionais

Por outro lado, é possível aprender novas práticas e processos de trabalho sem ter de lidar fisicamente com os materiais, em um ambiente seguro de realidade virtual, por exemplo. Fora isso, os softwares disponíveis no mercado atualmente poupam tempo e trabalho, deixando os estudantes mais livres para utilizar a criatividade. Se antes um engenheiro podia passar a vida toda realizando o mesmo tipo de trabalho, hoje ele é forçado a aprender e se adaptar constantemente.


Leia também: Coisas que todo estudante de engenharia deveria saber


3.  Os alunos precisam ser plurais e multidisciplinares

Aquela velha história de que pra estudar Engenharia basta ser bom em Exatas, curtir matemática e consertar coisas, ficou pra trás. Hoje, um aluno que não saiba Inglês, por exemplo, com certeza fica para trás na hora de aprender a utilizar softwares e ferramentas. É muito comum que um aluno entre na faculdade já sabendo mexer no Autocad ou que comece a fazer um curso de Solidworks logo nos primeiros semestres. Para entrar no mercado de trabalho e crescer, é necessário ter noções básicas de marketing, de como gerir pessoas e projetos, habilidades de comunicação e escrita, entre muitas outras coisas.

4. Segmentação do ensino de Engenharia

Há 20 anos atrás não existiam tantas Engenharias como hoje. A tendência é que essa segmentação aumente, a medida que as necessidades surjam. Por exemplo, não fazia sentido que em meados de 1990 tivesse uma faculdade de Engenharia de Software ou de Sistemas. A tecnologia avançada também fez com que a Engenharia se misturasse a outras ciências, como aconteceu com a Engenharia Biomédica ou a Engenharia de Alimentos. Você faz ideia de quantas especializações nós temos disponíveis hoje? Clique aqui e confira o Guia das Engenharias.

5. Oferta menor do que a procura

Houve um aumento significativo de instituições que oferecem o curso de Engenharia. Consequentemente, o número de profissionais da área também cresceu. O resultado disso é um mercado de trabalho extremamente saturado. Se antes Engenharia era um curso restrito, hoje é um dos mais procurados. Com isso, as exigências aumentam e os alunos precisam se munir de todas as formas para conseguir um bom emprego. Não é raro que engenheiros, mesmo depois de tantos anos de esforço para conseguir o diploma, desistam da área logo nos primeiros anos pós-graduação.

Engenharia
ensino de engenharia
faculdade de engenharia
futuro engenheiro

Eduardo Slabocicor Cavalcanti

Escreve para a internet desde 2008 e tem paixão por consumir informação e descobrir coisas. Adora gatos, inovação e é curitibana – fala “duas vinas”, mas dá “bom dia” no elevador.

mais
Engenharia 360 Engenharia 360

VEJA TAMBÉM

20 Resultados
6 motivos para você conhecer o SOLIDWORKS World 2019
6 coisas que estudantes de engenharia podem fazer para aproveitar as férias
Lista de aplicativos para engenharia de Dezembro! Confira!
Telescópio com espelho de 39 metros de diâmetro está em construção no Chile
10 árvores de Natal feitas (certamente) por engenheiros(as)
7 filmes (não natalinos) para ver na Netflix no final de ano
7 coisas que engenheiros/estudantes de engenharia passam no Natal em família
O projeto de Pontes em Concreto
HP50G x TI NSpire - Quais as principais diferenças dessas duas calculadoras para engenharia?
BDE Explica: O que é cota de arrasamento?
Bioengenharia: conheça o rim artificial que promete substituir a hemodiálise
Startup fundada por brasileiro cria nanosatélite que promete soluções para a agricultura
Terminei a faculdade, e agora?
BDE Review: Scanner Portátil EPSON ES-300W para engenheiros
Como a Samsung DeX e o Galaxy S9 mudaram completamente o dia a dia de um engenheiro
Brasil perde R$56 bilhões por ano por falta de investimento em saneamento
Testamos o novo Motorola One. Confira nossa opinião!
Aplicativos para Engenharia: Confira nossa lista de Novembro!
Testamos a nova e incrível Xiaomi Mi Band 3, a pulseira inteligente chinesa
Descubra como usar a HP para o cálculo de vigas com o VigaG
Podcast 360
Ouça ou baixe podcasts
exclusivos da engenharia
Ver Todos

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

20 Resultados
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Escolha a engenharia do seu interesse