Engenharia 360

Vacinação: saiba por que é importante fazer a imunização de pessoas de todas as idades

Engenharia 360
por Simone Tagliani
| 01/07/2021 | Atualizado em 16/01/2023 4 min

Vacinação: saiba por que é importante fazer a imunização de pessoas de todas as idades

por Simone Tagliani | 01/07/2021 | Atualizado em 16/01/2023
Engenharia 360

A Pandemia da Covid-19 pegou todos de surpresa. Não demorou muito para que cientistas do mundo todo começassem pesquisas na tentativa de encontrar uma possível vacina para combater a doença. Hoje, já existem diversos laboratórios já fabricando e distribuindo doses para centenas de países. Contudo, é provável que novas vacinas sejam lançadas em breve e muitas outras sejam ainda desenvolvidas, a medida que surgem novas variantes do vírus.

Mas, neste artigo, não queremos falar apenas das vacinas para combater a Covid-19, mas a importância da vacinação em geral. Ao nosso redor existem diversos microrganismos capazes de invadir o nosso sistema de saúde e nos levar à morte. A única forma de proteger as populações é através da imunização – algo que já é sabido pelos chineses desde 200 a.C. O sistema para vacinações começou a ser implantado em 1796, visando combater a varíola. E cem anos depois, foi desenvolvida a primeira vacina contra raiva.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A saber, em nosso país, a vacinação sempre teve resultados positivos! Com isso foi possível, por exemplo, fazer a erradicação da poliomielite e varíola. E entre os anos 2000 e 2009, o trabalho da Fiocruz teve um papel fundamental na diminuição dos casos de circulação do vírus autóctone do sarampo e da rubéola, assim como tétano neonatal.

covid-19
Imagem extraída de Pxhere

Como são feitas as vacinas?

Se você pensa que vacinas é assunto apenas da área médica, está enganado! Profissionais de Engenharia Química e Técnicos em Química também fazer parte deste processo. Em conjunto com médicos, biomédicos e mais, estudam como usar substâncias e microrganismos da própria doença – vírus e bactérias modificados em laboratório – para estimular o nosso corpo a produzir respostas imunológicas a fim de nos proteger – fazendo com que o corpo não desenvolva a doença, mas se torne preparado para combatê-la se for necessário.

Transmissão

A maioria das doenças que podem ser prevenidas por vacina é transmitida pelo contato com objetos contaminados ou quando o doente espirra, tosse ou fala, pois ele expele pequenas gotículas que contém os agentes infecciosos. Então, se um indivíduo está infectado – tendo recebido vacina ou não – pode transmitir a doença para outros.

Portanto, se você recebeu já as doses da sua vacina contra Covid-19, continue usando máscara para salvar vidas!

covid-19
Imagem extraída de Pxhere

Segurança

As vacinas não nos infectam da doença! O que pode acontecer é algumas pessoas terem efeitos colaterais LEVES depois de tomarem uma vacina, como dor no local da injeção e febre baixa. Na dúvida, consulte o seu médico para saber dos riscos!

Os agentes patógenos contidos nas vacinas estão mortos ou foram enfraquecidos previamente, sendo incapazes de provocar doenças! A ideia é estimular a produção de anticorpos pelas células de defesa e criar a “memória imunológica”. Quer dizer que, quanto mais pessoas estiverem vacinadas e, se precisar, “revacinadas” em período determinado, é provável que o vírus enfraqueça deixe de circular e ataque com menos força as próximas gerações de seres vivos no planeta!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ainda é preciso lembrar que toda vacina licenciada para uso passou antes por diversas fases de avaliação, e pela avaliação de institutos reguladores rígidos, garantindo sua segurança. No Brasil, essa função cabe à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)!

covid-19
Imagem extraída de Pxhere

Agilidade

Em resumo, não adianta imunizar uma pessoa, mas a sociedade como um todo! Por isso, todos nós devemos buscar pela vacinação, mas manter os cuidados de prevenção – uso de máscaras, álcool gel e lavar as mãos – até o tempo necessário para que o mundo esteja realmente imunizado da Covid-19! Vacinação mais rápida evitaria o desenvolvimento da doença!

Tomar vacinas sempre será a melhor maneira de se proteger de uma variedade de doenças graves e de suas complicações, que podem até levar à morte!

Com a vacina aplicada na maior parte da população, logo pode se constatar uma redução dos números de casos de doenças infecciosas em toda a comunidade, uma vez que a transmissão diminui. Também diminuição do número de hospitalizações, redução de gastos com medicamentos, redução da mortandade, e erradicação de doença!

covid-19
Imagem extraída de Pxhere

Qual a necessidade da vacinação contra Covid-19?

Os cuidados para evitar doenças já conhecidas e novas doenças devem ser individuais e coletivos. Faça a sua parte!

Fique atento à lista de vacinas e calendário de vacinação de sua região – de acordo com idade e condições de saúde. Não se esqueça de consultar com um especialista para descobrir quais delas são indicadas para você! A saber, atualmente, o Brasil vacina para Covid-19, gripe, caxumba, coqueluche, difteria, febre amarela, HPV, paralisia infantil, rubéola, sarampo, tétano e tuberculose.

Vacine-se contra a Covid-19 para que a epidemia não volte! Quem não se vacina não coloca apenas a própria saúde em risco, mas também a de seus familiares e outras pessoas com quem tem contato, além de contribuir para aumentar a circulação de doenças!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO


Fontes: Pfizer, UOL, Med Prev.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; técnica em Publicidade; pós-graduada em Artes Visuais, Jornalismo Digital e Marketing Digital; estudante de Gestão de Projetos; e proprietária da empresa Visual Ideias.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo