Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Engenharia 360

Softwares para engenharia: saiba quais são as vantagens do uso do AutoDesk Revit

Imagem padrão usuário
por Simone Tagliani
| 19/09/2018 5 min

Softwares para engenharia: saiba quais são as vantagens do uso do AutoDesk Revit

por Simone Tagliani | 19/09/2018
Copiado!

O arquiteto ou engenheiro – seja civil, mecânico ou outro – só precisa conhecer e saber mexer no Autocad, não é verdade?! Não! A pessoa que pensa isto está muito enganada! Claro que a maioria das empresas do ramo, principalmente no mercado brasileiro, exige mesmo o entendimento dos atalhos e comandos de programas como esse. Só que para não ficarem atrás da concorrência, os profissionais estão buscando outras alternativas de realizar projetos de modo mais preciso e bem detalhado. E um software que tem se destacado, na opinião deles, é o AutoDesk Revit.

AutoDesk Revit

AutoDesk Revit

(imagens extraídas de e-skynet e Medium)

+ O que é Revit

O AutoDesk Revit nada mais é do que um dos softwares mais conhecidos para modelagem em 3D. Diferente do outros programas, como o SketchUp, ele utiliza a tecnologia BIM – Building Information Modeling. Ou seja, ele faz parte de uma nova geração automatizada desenvolvida para a elaboração de plantas, elevações, cortes, maquetes eletrônicas, e simulações de quantitativos de materiais – tudo integrado. Com isso, os profissionais da construção civil podem desenvolver melhor cada uma as etapas de um projeto, compatibilizando os serviços e identificando possíveis problemas quanto à integração dos sistemas – estrutural, elétrico, hidráulico, arquitetônico e mais.


Veja Também:

O que é compatibilização de projetos?

Tudo o que você precisa saber sobre BIM – Modelagem da Informação da Construção


AutoDesk Revit

Imagem ilustrando o uso do Revit na engenharia. (imagem extraída de Autodesk Building Solutions em Youtube)

É importante destacar que o Revit não serve para a realização de dimensionamentos. Isso que dizer que o programa não foi feito para análises sobre o local da obra – muito menos para a construção da proposta executiva. O que a maioria dos arquitetos e engenheiros faz é desenvolver os desenhos técnicos – em duas dimensões- no Autocad, por exemplo, para só então levar o conjunto para a modelagem em 3D em outro software, seja da AutoDesk ou de outra empresa.

Resumindo, o Revit serve apenas para a modelagem paramétrica das estruturas, com o objetivo de se fazer comparativos e gerar diversos tipos de relatórios e tabelas!

Requisitos mínimos para o computador ter o software:

– Processador Intel Pentium, Xeon, i-Series ou o AMD equivalente com tecnologia SSE;

– 4GB de memória RAM;

– Placa de vídeo 1280×1024 de resolução com True Color.

O AutoDesk Revit está disponível, por hora, apenas para sistema operacional Windows. Pode ser adquirido pela internet apenas na versão paga – ou gratuitamente, durante três anos, para quem é estudante. E tem duas versões, a ‘Structure’ e a ‘MEP’, que são dedicadas aos projetos de estruturas e instalações, respectivamente.

AutoDesk Revit

Imagem ilustrando o uso do Revit na engenharia. (imagem extraída de ArchDaily)

+ As diferenças entre AutoDesk Revit e AutoDesk Autocad

O AutoDesk Autocad “nasceu” em 1996. Na época, ele era uma promessa de “agilidade e precisão na execução de projetos”. Até os dias de hoje, é o programa mais utilizado em escritórios de engenharia e arquitetura pelo mundo. Mas, em relação ao Revit, se adéqua melhor à realização de desenhos em duas dimensões, ou seja, trabalhando mais especificamente com linhas.

Já o AutoDesk Revit lida com planos e volumes, facilitando a execução de cortes e elevações do projeto – que, na verdade, são gerados automaticamente.  Quando ele foi lançado no mercado, na década de 2010, era promessa de “maior economia de tempo na modelagem da informação da construção”. Mas, hoje, sabe-se que seu sistema serve para muito mais, realizando desde o planejamento de custos a colaboração e gerenciamento de mudanças. E por pertencer à mesma empresa do Autocad, permite a interface entre os projetos, agilizando o trabalho em engenharia. Por tudo e muito é que se indica que os iniciantes na área aprendam os dois programas!

AutoDesk Revit

Imagem ilustrando o uso do Revit na engenharia. (imagem extraída de Plural Sight)

+ O uso do Revit pela engenharia

Sim, algumas pessoas diriam que o Revit não é o único software voltado ao BIM – até porque existem programas semelhantes, como o Archicad, por exemplo. Mas, certamente, ele é o que tem o maior número de adeptos – talvez em consequência pelo uso tão requisitado do Autocad. Claro, com qualquer um desses pode-se fazer modelos inteligentes de diferentes tipos de projetos – como hidrossanitários, SPDA’s, entre outros. Só que nenhum resultado se compara ao do obtido pela AutoDesk, que consegue coordenar, adequadamente, todos os componentes da construção.

Os engenheiros usam o Revit não só para fazer um projeto mais rapidamente, mas para elaborar várias partes elementares das edificações ao mesmo tempo – é quase como ter um “exército de um homem só”. E, justamente, com isso, o diferencial desse programa torna-se poder fazer sistemas menos tradicionais, ou seja, mais complexos. Um exemplo são as estruturas espaciais desconstrutivistas propostas, no passado, pela a famosa arquiteta iraquiana-britânica Zaha Hadid. Ideias arrojadas como essa só são possíveis de sair do papel, hoje, com a ajuda dos softwares de computador.

+ As vantagens do Revit para a engenharia

Assim como outros programas de modelagem mais simples, o AutoDesk Revit tem uma plataforma intuitiva e eficiente. Só que ele ainda oferece suporte para a um processo mais colaborativo e multidisciplinar. O engenheiro poderá fazer a documentação de toda a construção dentro de um único ambiente, otimizando o desempenho de seu trabalho. Ele também criará boas vistas, testará a viabilidade da construção e a intenção de várias etapas da obra. Entenderá os meios, os métodos e os materiais. E, por fim, fará as alterações necessárias no projeto.

Os modelos 2D, trazidos do CAD, podem ser importados para o Revit em DWG, DXF, DGN, SAT ou SKP. Nenhuma linguagem de programação ou codificação é necessária. Depois do 3D ser devidamente feito, o software cria, automaticamente, uma tabela de preços de acordo com a quantidade de cada produto na edificação. Qualquer sobreposição de instalações também é identificada, como um tubo de água atravessando erroneamente uma viga. Portanto, dificilmente, seguindo tal detalhamento, haverá surpresas na hora da execução do empreendimento.

AutoDesk Revit

Imagem ilustrando o uso do Revit na engenharia.  (imagem extraída de Escola Pro Arte)

Fontes: Engenharia ModernaEngenha Moderna – 2,  HP 3DLinkedin.


Leia Também:

5 motivos para planejar obras utilizando BIM

As vantagens da Modelagem da Informação da Construção

Como o BIM pode ajudar no desempenho de uma edificação?

Como o modelo BIM pode ajudar no orçamento de obras?

Copiado!

Comentários