Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

O que significam as siglas do cimento? | 360 Explica

por Matheus Felipe Silva | 11/06/2021

Neste texto, o Engenharia 360 ensina o significado das siglas do cimento - destaque para o Portland - e a importância de saber identificá-las! Confira!

Fazer a escolha correta do cimento é essencial para garantir o sucesso da obra, alcançar o máximo de qualidade e evitar riscos. Vamos agora aprender a identificá-los!

Os tipos de cimento

Sabia que cimento não é tudo igual? E você saberia identificar cada tipo de cimento na hora de comprar? Se responder ‘não’ para algumas destas perguntas, aconselho que continue lendo, pois o Engenharia 360 mostra a seguir que existem diferentes tipos de cimento no mercado. E mais, como é fácil e de extrema importância saber identificá-los.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O cimento Portland

O cimento Portland é o material mais utilizado na construção civil, seja como concreto ou como argamassa. Trata-se de um pó fino, seco e pulverulento com propriedades aglutinantes ou ligantes, que endurece sob a ação da água, oferecendo elevada resistência mecânica. Pode ainda se agregar a materiais inertes – tais como areia, cal, brita e outros -, resultando em concretos e argamassas amplamente utilizados em casas, edifícios, pontes, barragens e mais.

No Brasil, atualmente, existem 11 tipos de cimento Portland reconhecidos pela ABNT, a Associação Brasileira de Normas Técnicas. Cada um deles possui uma fórmula diferente, com a finalidade de atender um tipo de construção. Por isso, a escolha equivocada do cimento pode trazer sérios problemas e riscos para a obra!

Diante disso, é exigido que na própria embalagem do saco de cimento tenha uma nomenclatura padronizada que define qual é o tipo de cimento que está sendo armazenado. Na ilustração abaixo podemos ver uma simulação de exemplo de nomenclatura de cimento expressa por CP II-F-32.

Ilustração de uma saco de cimento
Ilustração fictícia de um saco de cimento Portland | Imagem de Matheus Felipe Silva.

Esta nomenclatura até parece bem complicada de entender, mas é simples. Assim, o algarismo romano “II” expressa o tipo de cimento, a letra “F” representa sua adição e o número “32” mostra sua classe. Aprenda mais a fundo sobre cada uma dessas designações nos tópicos a seguir!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Tipo

O cimento Portland é dividido em cinco tipos:

  • CP I (Comum),
  • CP II (Composto),
  • CP III (de Alto-Forno),
  • CP IV (Pozolânico), e
  • CP V (de Alta Resistência Inicial).

A saber, essas abreviações são dadas de acordo com os materiais requeridos no processo de fabricação de cada cimento!

Adições

Com o objetivo de melhorar suas características físicas, químicas e mecânicas, os cimentos recebem diferentes tipos de adições. O cimento Portland composto possui, no mínimo, uma adição acima de 5% da constituição do aglomerante. Por isso é que ele recebe em sua nomenclatura as siglas que representam o material incorporado: E (escória granulada de alto forno), F (filer) ou Z (pozolana). Exemplos: CP II-E, CP II-F ou CP II-Z.

Já o cimento comum possui um material incorporado abaixo de 5% e, por isso, possui a representação da sigla S – a adição também pode ser de escória, filer ou pozolana. Exemplo: CP I–S.

Os demais tipos de cimento não apresentam as siglas de adição, uma vez que o CP III já possui uma adição predominante de escória de alto forno, o CP IV de pozolana e o CP V de filer.

Classe

Por último, na nomenclatura, temos a representação da classe, que mostra a resistência à compressão mínima que o cimento atinge aos 28 dias de idade. Os valores são de 25, 32 ou 40 MPa – sendo MPa sigla de ‘Mega Pascal’.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dessa vez a exceção fica por conta do CP V, que não apresenta em sua nomenclatura o valor da resistência, pois atinge um valor de 34 MPa em apenas 7 dias de idade. Por este motivo é que leva o nome de cimento de alta resistência inicial (CP V-ARI). Alguns exemplos: CP I–32, CP II–Z–25, CP III–40, CP IV–32, CP V–ARI.

Siglas do cimento Portland
Exemplo das siglas do cimento Portland. | Imagem de Matheus Felipe Silva.

Casos especiais

Além desses três componentes da nomenclatura mencionados anteriormente, existem ainda outros tipos de cimentos que recebem uma nomenclatura um pouco diferente. São os mesmos:

  • Resistência a sulfatos: segundo a NBR 5737:92, qualquer um dos cinco tipos de cimento Portland pode vir com a sigla RS, que significa resistência a sulfatos, acrescida no fim da sua nomenclatura, desde que atenda com as condições previstas na norma. Exemplos: CP I-32 RS, CP II-E-40 RS, CP IV-32 RS.
  • Baixo calor de hidratação: assim como no caso anterior, qualquer um dos cinco cimentos Portland pode ter um acréscimo em sua nomenclatura da sigla BC, que significa baixo calor de hidratação, desde que o cimento cumpra com as condições estabelecidas na NBR 13116:94. Exemplos: CP I-40 BC, CP II-F-25 CB, CP III-40 BC.
  • Cimento Portland Branco: diferente dos demais e como seu próprio nome sugere, este cimento se diferencia por sua coloração. A cor branca é garantida graças às suas matérias-primas e um processo de fabricação especial. Este cimento é regulamentado pela NBR 12989, sendo classificado em dois subtipos: cimento Portland branco estrutural e cimento Portland branco não estrutural.

Já a nomenclatura do cimento Portland estrutural é dada pelas siglas CPB, acompanhada da sua classe de resistência. Exemplos: CPB-25, CPB-32 ou CPB-40.

E no cimento Portland não estrutural, sua nomenclatura vem sem a designação de classe de resistência. Exemplo: CPB.

Bônus para os curiosos

Você deve ter reparado que todas as nomenclaturas dos cimentos começam com a sigla ‘CP’, que significa ‘Cimento Portland’, mas de onde vem esse termo ‘Portland’?

Bem, o cimento Portland foi criado na Inglaterra pelo construtor Joseph Aspdin, que o patenteou em 1824. Nessa época, era comum as construções do país serem feitas com pedras de Portland, uma ilha localizada na região sul, em Dorset. A invenção de Aspdin tinha cor e dureza similares à pedra e, por isso, recebeu o nome de cimento Portland.

Veja Também: Saiba quais materiais eram empregados na engenharia da antiguidade

Conclusão

Há quase dois séculos, o cimento Portland é o principal material utilizado na construção civil. Durante esse período, sua fórmula tem sido desenvolvida, se diversificado e tornado cada vez mais moderna, garantindo mais eficiência, menores custos de fabricação e aplicação, além de menor impacto para o meio ambiente.

Fazer a escolha correta do cimento é essencial para garantir o sucesso da obra, alcançando o máximo de qualidade e evitando riscos!

Você já conhecia as siglas do cimento? Conta pra gente nos comentários!

Fontes: Instituto da Construção; Escola Engenharia; Orçafascio.

Comentários

Engenharia 360

Matheus Felipe Silva

Engenheiro Civil em formação na UFMT. Pesquisador, redator, sonhador, apaixonado por futebol e engenharia. Seu propósito de vida é ajudar pessoas. (10&Faixa)