Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Sanear, prever e embelezar: um panorama sobre os projetos de drenagem urbana

por José Joebson Lima | 02/03/2018
Copiado!

Quando o assunto é o desenvolvimento plural da sociedade do século XX, o engenheiro civil com ênfase em saneamento Francisco Saturnino Rodrigues de Brito disse: “sanear, prever e embelezar”. Essa frase defendia que só seria possível um completo desenvolvimento das cidades se este fosse apoiado sob a égide de obras hidráulicas de drenagem, abastecimento d’água e esgotamento sanitário, que viessem a coibir problemas de doenças de veiculação hídrica, gerando impactos positivos na vida das pessoas e no urbanismo estético.

A figura a seguir ilustra um momento muito importante da história desse ramo da Engenharia, quando Saturnino projetou com critério os Canais de Santos, em São Paulo, conhecidos como “Os Canais de Saturnino”:

Fonte: Cinema/ Os Canais de Saturnino

Drenagem na civilização

O Brasil é famoso por ter grandes projetistas nesta área. Outro país que tem notável participação com contribuições na área de drenagem, com uma abordagem mais profunda, é a Holanda, que se situa nos “Países Baixos”, tendo necessitado de históricas e importantes obras de drenagem feitas com profunda coragem e estudos para drenar o Mar do Norte, que tem afluentes imprescindíveis como o Rio Reno, conseguindo, assim, produzir e consolidar a civilização que hoje apresenta avanços notáveis na economia e tecnologia do mundo.

As Obras de Drenagem em Geral e as Normas Técnicas

As obras de drenagem são de natureza técnica, que visam coibir problemas urbanos e rurais, a fim de garantir soluções de infraestrutura urbana, rural e marítima, sem comprometer a vida de pessoas e seres vivos.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, com a NBR 15645:2008, diz respeito a execução de obras de drenagem de águas pluviais utilizando-se tubos e aduelas de concreto, que expressa aspectos regulamentadores de serviços desta natureza, e que é a que comumente utilizamos para obras urbanas. Em casos de obras em zonas rurais, também vale esta norma. Porém, quando se trata de drenagem de águas no mar, deve-se considerar aspectos mais profundos e mecanismos estruturais a serem definidos pelo projetista em questão.


Saiba mais sobre o controle da drenagem na fonte


Drenagem de Águas Urbanas

As etapas que constituem essas obras são comuns às demais, com especificidade e extrema necessidade de precisão nos estudos hidrológicos e pluviométricos, acompanhados do que se pretende em termos de planejamento urbano e territorial, a fim de tornar a holística do projeto perfeitamente abrangida e visando o dimensionamento correto dos equipamentos e peças constituintes do sistema de drenagem pluvial urbana pretendido para fins de coibição de inundações e demais transtornos eventuais.

O Sistema Inicial de Drenagem ou de Micro-drenagem ou, ainda, Coletor de Águas Pluviais, é aquele composto pelos pavimentos das ruas, guias e sarjetas, bocas de lobo, rede de galerias de águas pluviais e, também, canais de pequenas dimensões. Esse sistema é dimensionado para o escoamento de vazões de 2 a 10 anos de período de retorno, conforme a figura abaixo.

Projeto de Drenagem Urbana

Considerações

A execução desse tipo de obra é feito em geral pelo serviço público, por meio das Companhias de Águas e Saneamento dos Estados da Federação e a nível municipal pelas Secretarias de Infraestrutura – Seinfras.

Copiado!

Comentários