Engenharia 360

Relógios inteligentes da Apple perdem função vital nos EUA: entenda a polêmica das patentes

Engenharia 360
por Renan Augusto de Oliveira
| 01/02/2024 4 min
Imagem de Freepik

Relógios inteligentes da Apple perdem função vital nos EUA: entenda a polêmica das patentes

por Renan Augusto de Oliveira | 01/02/2024
Imagem de Freepik
Engenharia 360

A gigante tecnológica Apple se viu obrigada a remover a funcionalidade de monitoramento de oxigênio no sangue de seus relógios inteligentes, os Apple Watch Series 9 e Watch Ultra 2, após perder uma batalha de patentes nos Estados Unidos. A decisão da Corte de Apelações para o Circuito Federal negou o pedido da Apple de suspender a proibição de importação dos relógios inteligentes enquanto apela da decisão que bloqueou as vendas. Continue lendo este texto do Engenharia 360 para entender melhor o caso!

relógios inteligentes
Imagem reproduzida de Apple

Disputa de patentes com resulta em restrições de funcionalidades

A controvérsia teve início em janeiro de 2023, quando a Comissão de Comércio Internacional dos Estados Unidos (ITC) decidiu que os Apple Watches infringiam duas patentes relacionadas à funcionalidade de oximetria de pulso baseada em luz, detidas pela empresa californiana Masimo. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, optou por não vetar a decisão da ITC, levando a Apple a apelar e retirar os relógios inteligentes do mercado em dezembro de 2023.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Apple responde à decisão e adota medidas temporárias

Enfrentando a perspectiva de uma apelação que pode levar pelo menos um ano, a Apple tomou medidas para cumprir a decisão da corte enquanto minimiza o impacto para os consumidores. A empresa passou a vender versões dos Apple Watch Series 9 e Watch Ultra 2 nos Estados Unidos sem a funcionalidade nos relógios inteligentes de monitoramento de oxigênio no sangue, mantendo os preços inalterados.

Em comunicado à imprensa, um porta-voz da Apple afirmou que, enquanto aguarda a resolução da apelação, a empresa está comprometida em garantir que os clientes continuem tendo acesso aos Apple Watch com mínimas interrupções. No entanto, a retirada da funcionalidade afetou a capacidade dos relógios, embora a Apple continue a comercializá-los pelo mesmo valor.

relógios inteligentes
Imagem de Freepik

Consequências para os consumidores e estratégias da Apple

A partir de agora, os relógios inteligentes Apple Watch Series 9 e Watch Ultra 2 à venda nos Estados Unidos virão com uma solução de software aprovada pela Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA, que desativa a capacidade de monitoramento de oxigênio no sangue. Embora a Apple tenha afirmado que não há impacto nos relógios já adquiridos com a funcionalidade, a mudança levanta questões sobre o valor do produto em relação ao conjunto de recursos oferecidos.

Ao ser questionada sobre a manutenção dos preços, a Apple respondeu que a precificação não é baseada em uma única funcionalidade. Curiosamente, os custos de produção dos relógios não diminuíram, pois eles ainda contêm os mesmos componentes que antes.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Estratégias futuras e disputa de patentes dos relógios inteligentes

A Apple não confirmou se planeja redesenhar seus relógios para oferecer monitoramento de oxigênio no sangue sem infringir as patentes da Masimo. Rumores sugerem que a empresa está trabalhando em uma atualização de aplicativo para alterar o monitoramento de oxigênio no sangue e seus algoritmos, contornando possivelmente a questão de infração de patentes, mas mantendo a funcionalidade.

A disputa de patentes entre a Apple e a Masimo continua a se desenrolar, com a Apple expressando forte desacordo em relação à decisão da ITC. A empresa argumenta que a litigação é uma tentativa da Masimo de impulsionar seu próprio relógio inteligente, o W1 series, lançado em agosto de 2022 e com autorização da FDA para medir os níveis de saturação de oxigênio no sangue.

Histórico da disputa e acusações mútuas

A Apple levanta dúvidas sobre a validade das patentes da Masimo, sugerindo que a empresa buscou invalidar as patentes em questão, assim como fez em casos anteriores. Alega-se que Masimo iniciou o processo de pedido de patente após o lançamento do Apple Watch Series 6 com oxímetro de pulso, mas a Masimo afirma ter iniciado as discussões sobre a parceria com a Apple desde 2013.

Ambas as empresas têm acusações cruzadas, com a Apple sugerindo que a Masimo não era focada no consumidor, enquanto a Masimo afirma que a Apple se apropriou de suas ideias e de alguns de seus funcionários. Essa disputa acrescenta um capítulo às batalhas legais em curso envolvendo a Apple e outras empresas do setor.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Implicações para a indústria e consumidores

A remoção da funcionalidade de monitoramento de oxigênio no sangue dos relógios inteligentes Apple Watch Series 9 e Watch Ultra 2 nos Estados Unidos destaca as complexidades das disputas de patentes no setor de tecnologia. Enquanto a Apple busca soluções temporárias, como atualizações de aplicativo, para contornar as restrições, a decisão judicial levanta questões sobre o papel das grandes corporações em respeitar os direitos de propriedade intelectual.

À medida que a disputa se desenrola nos tribunais, os consumidores ficam no centro das consequências, enfrentando a escolha entre adquirir um Apple Watch com funcionalidade reduzidas ou aguardar uma possível resolução favorável à Apple. O impacto a longo prazo dessas batalhas legais na inovação tecnológica e na concorrência no mercado permanece incerto, mas continuará certamente a moldar o cenário da indústria nos próximos anos.

Veja Também:


Fontes: Ars Technica.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Comentários

Engenharia 360

Renan Augusto de Oliveira

Redator de conteúdo, formado em Segurança da Informação pela Universidade Anhembi Morumbi e Testes de Intrusão pela HackerSec.

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo