Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Engenharia 360

Recapagem, recauchutagem e remoldagem de pneus

Engenharia 360
por Engenharia 360
| 14/11/2018 4 min

Recapagem, recauchutagem e remoldagem de pneus

por Engenharia 360 | 14/11/2018
Copiado!

 

pneu

Com certeza você já ouviu falar em recapagem, recauchutagem e remoldagem de pneus. Se não sobre todas essas categorias, uma delas, pelo menos, sem dúvida já ouviu falar. Pois bem! O que significa cada uma e qual o impacto durante o uso? A seguir, um panorama.

A matéria-prima do pneu é a borracha. Até aí, claro, nenhuma novidade. Esse material tão antigo quanto a própria civilização desde 1909, quando passa a ser reciclado na Alemanha, começa a contribuir para a fabricação de muitos itens usados no dia a dia a partir de uma variação: a borracha triturada.

A borracha natural é um material bastante caro. Segundo a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos, em 2016, só para carros de passeio foram produzidos mais de 36 milhões de pneus. Ao todo, foram mais de 67 milhões de pneus, divididos nas categorias carga, camioneta, passeio, moto, off the road, run flat, industrial e avião. Mais de 63% desse número representa os pneus para reposição. O que leva à pergunta: para onde vão os pneus descartados?

Foi em 1999 que no Brasil foi aprovada a Resolução nº 258/99 do Conselho Nacional do Meio Ambiente que deixou nas mãos dos produtores e importadores a responsabilidade pelo ciclo total do pneu. Ou seja, coleta, o transporte e a “morte” do pneu. Por sua vez, distribuidores, revendedores, reformadores e até os consumidores finais são co-responsáveis pelos pneus em circulação.

O fim para esses itens pode ser: regeneradora de borracha sintética natural, laminação, trituração e fabricação de artefatos de borracha, extração e tratamento de minerais e cimenteiras. Vamos falar, contudo, apenas da trituração.

A trituração dos pneus

Os pneus podem ser triturados tanto em temperatura ambiente como com resfriamento criogênico. No Brasil, o mais comum é em temperatura ambiente. O processo é simples de entender. Os pneus passam por um triturador no qual a redução de pneus inteiros chegam a pedaços de 50,8 a 203,2 mm. Depois dessa trituração, esses pedaços passam por outro processo, o da granulação. Daí os pedaços chegam a 10 mm.

Importante salientar que não queremos dizer com temperatura ambiente o mesmo que entendemos da temperatura comum, do dia a dia. Esse processo de trituração à temperatura ambiente pode acontecer até 120 °C. Neste caso, a borracha se reduz a partículas de até 0,2 mm. Isso, contudo, não é comum no Brasil, porque custa caro e consome muita eletricidade.

Reciclar pneus é preciso

Na Europa, a recapagem é uma atividade considerada “verde”. Ou seja, por essa prática empresas recebem incentivos do Governo porque, claro, conseguem reutilizar 25% do material na fabricação de um novo pneu.

Em termos de impacto no mercado, por exemplo, o segundo maior gasto do transporte rodoviário está nos pneus. Ou seja, além do rendimento ser semelhante ao de um pneu novo, o custo pode vir a ser até 70% menor. O impacto ambiental é menor, não só pelo descarte do próprio pneu como pelos litros e litros de petróleo…

Recapagem de pneu

O processo de recapagem de um pneu consiste na remoção da camada de rodagem na hora de fazer um reparo na estrutura da carcaça. A camada de rodagem é a central da estrutura. Neste processo, os “ombros” do pneu não são retirados. Por sua vez, ombros são as camadas laterais dessa estrutura.

estrutura pneu

Remoldagem de pneu

Já o processo de remoldagem do pneu está na remoção da borracha das carcaças. Ou seja, de todas as camadas, que são chamadas de talão.

Depois que o pneu é reconstruído, ele passa por uma vulcanização, que é um método de reparo no qual se usa enxofre em altas temperaturas.

É neste processo de remoldagem que está a maior parte dos pneus usados por caminhões, um número significativo dos carros de passeio e mais de 90% dos pneus de aviões. O pneu remoldado custa em média 30% a 50% a menos do que um pneu novo.

Engane-se, contudo, quem pensa que um pneu remoldado é um pneu inferior. Por exemplo, a relação de resistência aos movimentos é, em média, 3% maior; usam 2,3 vezes menos energia, 1,8 vezes menos ar comprimido, 25 vezes menos água; reduzem emissões de componentes tóxicos, poluição da água e o uso do petróleo cai para 20 litros por pneu. Todos esses dados são da Associação Brasileira da Indústria de Pneus Remoldados.

pneu

Recauchutagem do pneu

Por fim, o processo de recauchutagem está na remoção de tudo: tanto da banda de rodagem como dos ombros do pneu. Essa recauchutagem pode acontecer de duas formas: a frio e a quente. O processo a frio costuma ser mais eficiente; já o quente, mais barato.

Dos três tipos, é o processo no qual menos se tem confiança. Motoristas atentos costumam fugir de pneus recauchutados, que principalmente em estradas podem causar mais problemas. Tudo depende, entretanto, da empresa que realiza todos os processos.

Copiado!
Engenharia 360

Engenharia 360

Engenharia para todos.

Comentários