Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

A tecnologia nos projetos de paisagismo de Alex Hanazaki

por Larissa Fereguetti | 08/01/2019

No Brasil, um dos paisagistas mais famosos que utiliza a tecnologia em projetos de paisagismo é o conhecido Alex Hanazaki. Saiba mais sobre o seu trabalho!

A tecnologia pode ser aplicada em praticamente qualquer lugar! Uma tendência atual é usá-la nos projetos de Arquitetura. No Brasil, um dos paisagistas mais famosos que utiliza a tecnologia é Alex Hanazaki. Conheça-o!

Alex Hanazaki
Imagem extraída de maisrevestimentos.com.br

Quem é Alex Hanazaki?

Alex Hanazaki é um arquiteto brasileiro. Ele é formado em Arquitetura e Urbanismo e se especializou em paisagismo, tendo obras espalhadas pelo mundo. Na lista, Estados Unidos, Marrocos, Arábia Saudita e Alemanha.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Alex Hanazaki
Imagem extraída de mundohusqvarna.com.br

O Hazanaki Paisagismo – nome do escritório de Alex Hanazaki -, é especializado na concepção de projetos arquitetônicos para áreas externas. E seus trabalhos já conquistaram duas vezes o Prêmio Professional Awards da ASLA, da American Society of Landscape Architects – em 2014 e em 2017.

Como Alex Hanazaki utiliza a tecnologia nos seus projetos?

Alex Hanazaki trabalha constantemente utilizando a natureza como a sua maior inspiração. Ele usa a diversidade de plantas intercalada com diferentes formas geométricas. Nota-se, em seus projetos, uma harmonia entre o natural e o artificial!

Em meio à natureza e às formas geométricas, Hanazaki também insere alta tecnologia. Um exemplo é o uso de iluminação de LED.

Jardim da Hyundai

Em 2011, o arquiteto projetou o jardim da Hyundai Mostra Black. Usando grandes recursos tecnológicos, principalmente de projeção de imagens, conseguiu reinventar o jardim vertical. Ele intercalou a tecnologia entre outros elementos do jardim, como lareiras ecológicas e pedras vulcânicas da Indonésia.

Alex Hanazaki
Imagem extraída de anualdesign.com.br

Jardim de São Paulo

O Prêmio da ASLA, recebido por Hanazaki em 2014, foi devido a um jardim em São Paulo. Nele, há três espaços internos subdivididos. Na parte de tecnologia, foram inseridas lâmpadas de LED que ressaltam a geometria e os desenhos na área verde.

Alex Hanazaki
Imagem extraída de folha.uol.com.br

Jardim em Berlim

Em 2017, Hanazaki levou uma parte do Brasil para Berlim. Um grande empecilho foi o clima do local, que é bem diferente daqui, o que fez com que ele precisasse usar plantas que não são exatamente representativas do Brasil, mas que podem ser achadas por aqui e que conseguem sobreviver em Berlim.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Alex Hanazaki
Imagem extraída de casaclaudia.abril.com.br

Praça Eliane

Ainda em 2017, Hanazaki recebeu um dos seus prêmios da ASLA pelo projeto da Praça Eliane, na CASACOR 2016. O espaço é um equilíbrio entre a natureza e formas geométricas. E uma das plantas usadas foi o Pau-Brasil.

De um lado, está um jardim vertical e, do outro, uma estrutura de metal e porcelanato. No ambiente principal há um espelho d’água com um caminho sobre as águas criado por porcelanatos distribuídos em seu interior. O revestimento usado conta com nanotecnologia que facilita a manutenção e contribui para a purificação do ar do ambiente em um processo semelhante à fotossíntese.

Alex Hanazaki
Imagem extraída de radardesing.com.br

Paisagismo e tecnologia

Os projetos de Hanazaki curiosamente conseguem inserir a tecnologia em harmonia com a vegetação. Além da presença de formas geométricas, há também a marca do tropicalismo brasileiro, já levado para o exterior. A nova tendência de inserir os recursos tecnológicos em projetos paisagísticos de uma forma agradável representa a integração entre a evolução da tecnologia e o ambiente natural, ambos convivendo de forma equilibrada.

Alex Hanazaki
Imagem extraída de vivadecora.com.br

Fontes: Hanazaki; Anual Design; Wallpaper; Arcoweb; Viva Decora; Galeria da Arquitetura.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.