Engenharia 360

Os 7 furacões mais avassaladores da história

Engenharia 360
por Clara Ribeiro
| 04/11/2016 | Atualizado em 28/09/2022 3 min

Os 7 furacões mais avassaladores da história

por Clara Ribeiro | 04/11/2016 | Atualizado em 28/09/2022
Engenharia 360

De 28 de setembro a 10 de outubro de 2016 foi registrado o último grande furacão, denominado Matthew. Antes de sua chegada, a apreensão já era gigantesca em países caribenhos e no sul dos Estados Unidos, devido ao seu alto poder de destruição.

Ele afetou com muita força a Jamaica, Cuba, República Dominicana, Bahamas e, especialmente, o Haiti, país que mais sofreu: 1,3 milhões de pessoas foram prejudicadas. Quando chegou ao estado da Flórida, nos EUA, já estava com menor vigor e não causou tanto estrago.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Esse não foi o primeiro nem será o último fenômeno natural a afetar diretamente a vida dos seres humanos. Poderosos ciclones já assombraram diferentes regiões, matando milhões e destruindo cidades inteiras.

Veja os 7 mais avassaladores furacões da história

O Grande Furacão (1780)

Também conhecido como furacão São Calisto II, o fenômeno passou pelas Pequenas Antilhas e no Caribe, sendo registrado como o furacão atlântico mais devastador da história. Cerca de 27 mil pessoas perderam suas vidas.

furacões blog da engenharia
Foto: History

Ciclone Bhola (1970)

Um dos eventos naturais mais mortais já registrados, o ciclone atingiu o Paquistão Oriental, atual Bangladesh, e Bengala Ocidental, na Índia, em 12 de novembro de 1970. Estima-se que 500 mil pessoas morreram.

furacões ciclone bhola blog da engenharia
Foto: NOAA

Furacão Iniki (1992)

Um dos mais intensos a atingir o Havaí (EUA), o furacão se formou durante o El Niño (1991-1994). O Iniki foi registrado na categoria 4 na escala de furacões de Saffir-Simpson.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

furacões iniki bhola blog da engenharia
Foto: Domínio Público

Furacão Pauline (1997)

Formou-se a partir de uma onda tropical a cerca de 410 km a sul-sudoeste de Huatulco, no estado mexicano de Oaxaca. Seu pico de intensidade foi com ventos de 215 km/h. A tragédia matou entre 230 a 400 pessoas e deixou cerca de 300 mil desabrigados.

furacões pauline bhola blog da engenharia
Foto: Reprodução

Furacão Kenna (2002)

Um dos mais fortes que já atingiu o México, o furacão alcançou a categoria 5. O Kenna arrancou árvores, danificou a energia, inundou casas e hotéis de luxo e devastou vilarejos de pescadores.

furacões kenna blog da engenharia
Foto: Reprodução

Furacão Katrina (2005)

Com escala 4, o furacão devastou Nova Orleans, no estado da Luisiana, EUA. Foi o pior desastre natural da história no país. Passou também pela costa da Flórida, Golfo do México, Mississipi e Alabama.

furacões katrina blog da engenharia

Furacão Patricia (2015)

Ele foi o mais forte a nível mundial em termos de velocidade de ventos. Impactou a costa mexicana do Pacífico, além de ter causado efeitos secundários em outras regiões, como nos países da América Central e no Texas, Estados Unidos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

furacões patricia blog da engenharia
Foto: Reuters

Além desses, outro mais recente e que teve uma boa cobertura na internet e nos noticiários foi o furacão Sandy. Nessa matéria, inclusive, é possível ver o vídeo feito via satélite que mostra ele se aproximando da costa. Tenso, não?

Confira mais informações sobre estes e outros furacões neste webstories especial!

Tem alguma contribuição sobre esse assunto? Conte pra gente nos comentários.

Veja Também: Qual a diferença entre furacão, tornado e ciclone?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Engenharia 360

Clara Ribeiro

Jornalista especializada em arquitetura e engenharia. Ávida consumidora de informação; viciada em produzir conteúdo; amante das letras, das artes e da ciência.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo