Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Sua Internet irá mudar [será?]! Entenda a importância do cabo submarino que ligará Brasil e Portugal

por Rafael Panteri | 09/06/2021

Conhecido como ElleLink, o cabo submarino ligará Brasil a Portugal. Essa conexão traz como benefício uma maior velocidade de transmissão de dados!

No primeiro dia do mês de junho de 2021, o cabo submarino conhecido como EllaLink começou a funcionar. O equipamento de fibra óptica é o primeiro de alta capacidade a interligar Brasil e Europa. Seu principal benefício é fornecer Internet rápida e estável aos usuários.

Internet
Navio que faz a instalação do cabo submarino | Imagem extraída de Arena 4G

Trajeto do EllaLink

Partindo de Fortaleza, o cabo segue em direção à Sines, em Portugal. Dentro da Europa, é interligado por cabos terrestres a Lisboa, Madri, Barcelona e Marselha. E, com um total de 6 km, o EllaLink também se conecta, pelo Oceano Atlântico, com Cabo Verde, Mauritânia e Marrocos.

Dentro do Brasil, São Paulo e Rio de Janeiro recebem as informações diretamente da capital cearense.

Internet
Percurso percorrido pelo cabo submarino EllaLink | Imagem extraída de site da desenvolvedora EllaLink

As vantagens trazidas pela tecnologia

A conexão vai potencializar as oportunidades de pesquisas, desenvolvimento de projetos e programas na América Latina e Europa pelos próximos 25 anos – tempo estimado para a vida útil do cabo submarino.

Para os usuários, os benefícios aparecem após operadoras de internet, serviços de streaming, de nuvem e financeiros adquirirem parte da capacidade de tráfego. Essas melhorias aparecem na alta velocidade e baixa latência e na segurança de transmissão de dados.

Internet
Imagem extraída de Sputnik Brasil

Alta velocidade e baixa latência

Segundo a própria desenvolvedora do projeto, o EllaLink tem capacidade de tráfego de 100 Terabits por segundo. Isso significa que o tempo de resposta de conexão deve cair em 50% – uma informação leva menos de 60 milissegundos para ir de um ponto ao outro no EllaLink.

Essa alta velocidade é possível graças à fibra óptica. Essa tecnologia não envia os dados da mesma maneira que cabos convencionais. Uma explicação resumida é que o sinal transmitido é transformado em luz, com auxílios de conversores integrados aos transmissores. Dessa maneira, a velocidade de transmissão é muito superior e a perda de dados é mínima!

Vídeo de instalação de ElleLink em Fortaleza – página do EllaLink no Youtube

Segurança de dados

Outra vantagem do EllaLink é a de fornecer mais segurança na comunicação. Isso porque é uma conexão direta, sem passar por um país intermediador, como os Estados Unidos.

A saber, o projeto desse cabo submarino começou em 2012, mas ganhou força só depois de um episódio vazado de espionagem norte-americana. Na época, documentos do ex-analista da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Edward Snowden, apontaram que o órgão teve acesso a ligações e e-mails de políticos e civis brasileiros.

O valor do projeto foi estimado em US$ 185 milhões, sendo a maior parte financiada pela própria EllaLink.

Internet
Design do cabo submarino EllaLink – Imagem: site oficial EllaLink
Internet
Imagem extraída de Olhar Digital

Veja Também: Como funciona a fibra ótica?

Outro futuro

O governo brasileiro se juntou com Argentina, Austrália e Nova Zelândia para outro projeto de cabo submarino de fibra óptica que ligará América do Sul, Ásia e Oceania, conhecido como Humboldt. Este possível próximo cabo deve custar em torno de US$400 milhões e prevê uma capacidade inicial de transmissão de dados de 400 Gigabits por segundo.

Internet
Imagem extraída de ISTOÉ Independente

Ficou animado com essa notícia? Deixe nos comentários a sua opinião!


Fontes: G1, Olhar Digital, EllaLink

Comentários

Engenharia 360

Rafael Panteri

Estudante de Engenharia Elétrica no Instituto Mauá de Tecnologia. Parte da graduação em Shibaura Institute of Technology - Japão.