Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

México inaugura ciclovia de plástico reciclado

por Redação 360 | 06/04/2021

Quase uma tonelada de lixo plástico foi empregada na primeira versão da ciclovia na América Latina

O Parque Nacional de Chapultec, na Cidade do México, é sede de uma nova ciclovia modular, feita com resíduos plásticos. O projeto foi executado pela holandesa PlasticRoad em parceria com a Orbia, empresa que até 2019 atuava no setor químico sob o nome de Mexichem.

Sendo assim, a PlasticRoad, que já tinha duas ciclovias inauguradas na Holanda, encontrou nos novos propósitos da empresa mexicana uma ponte para uma expansão internacional. A colaboração, somada ao apoio da Secretaria de Mobilidade da Cidade do México (SEMOVI) e da Secretaria de Meio Ambiente da Cidade do México (SEDEMA). Andres Lajous, secretário da SEMOVI, depõe sobre o projeto:

“Na Cidade do México nós apoiamos iniciativas que promovem a mobilidade urbana sustentável, que ajuda no modo como as pessoas se locomovem, e que também protege o meio ambiente. Isso tem a ver principalmente com infraestruturas recicláveis e com a eletro-mobilidade: nesse caso, a instalação de uma ciclovia infiltrativa, que melhora o atendimento ao cidadão ao reduzir a probabilidade de inundações, a necessidade de manutenção e pode dar às pessoas uma viagem mais confortável e segura”. 

Andres Lajous

Construção do projeto na Cidade do México
Construção do projeto na Cidade do México

Projeto pode crescer e frear descarte mundial de plástico

O material plástico que compõe a ciclovia advém do pós-consumo de produtos industriais diversos. Estes, que seriam destinados à incineração ou armazenamento em aterros, também podem ser continuamente repostos na ciclovia. Isso porque, à medida em que é usada, a ciclovia se desgasta, o que é uma vantagem ao se tratar da reutilização do plástico.

Ao inaugurar um novo modelo em outro continente, o Diretor Administrativo da PlasticRoad, Eric Kievit, cria-se a oportunidade de testar o produto sob condições climáticas diversas das primeiras versões.

Quase uma tonelada de lixo plástico foi empregada na primeira versão da ciclovia na América Latina. Isso equivale a cerca de meio milhão de tampas de garrafas plásticas. Isto é, se o processo fosse adotado em larga escala, poderia ajudar de maneira contundente contra a inundação plástica de dos oceanos. 

Ciclovia PlasticRoad
Ciclovia PlasticRoad

Sistema de drenagem é pertinente para a Cidade do México

Com efeito, inundações são muito comuns na Cidade do México. A fim de ajudar nesse problema, as pistas de plástico do projeto oferecem uma capacidade armazenamento e drenagem de água. Ou seja, uma “ciclovia infiltrativa”, como disse Andres Lajous em seu depoimento.

Sistema de drenagem da Plastic Road. Fonte: PlasticRoad

A infiltração de água através da pista é duplamente vantajosa. De um lado, os períodos de seca terão um impacto menos negativo na área. De outro, evita que a água de grandes temporais e tempestades cause inundações na cidade. Assim, o projeto pretende causar impactos em múltiplas direções. É o que diz Marina Robles García, chefe da SEDEMA:

“A forma como nos relacionamos com a cidade requer a unificação de nossas agendas de desenvolvimento urbano, meio ambiente, mobilidade e mudança climática para lançar iniciativas locais que proporcionem múltiplos benefícios aos cidadãos. A PlasticRoad é mais um esforço que se alinha ao nosso compromisso de resgatar o Bosque de Chapultepec e de caminhar rumo a uma cidade mais sustentável”

Marina Robles García

Fontes: CicloVivo; Orbia; PlasticRoad.

E você, o que acha de uma ciclovia dessa na sua cidade? Nada mal, hein? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.