Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

A nova era do anel do humor: materiais inteligentes podem detectar suas emoções

por Larissa Fereguetti | 23/07/2019
Copiado!

Quase todo mundo já teve ou já ouviu falar sobre o anel do humor: um anel capaz de mudar de cor de acordo com suas emoções. Com o desafio aceito, a ciência foi além da ideia do anel e desenvolveu materiais inteligentes capazes de detectar as emoções dos usuários.

Basicamente, os pesquisadores da Lancaster University’s School of Computing and Comunications trabalharam com protótipos de materiais inteligentes que podem ser usados no pulso para auxiliar as pessoas no controle de suas emoções. Ele é especialmente útil para quem sofre com depressão, ansiedade, bipolaridade e outras situações semelhantes.

Isso acontece porque os materiais mudam de cor, vibram ou aquecem dependendo do estado emocional e, assim, os usuários podem ver o que está acontecendo e tentar controlar. Aos poucos, eles podem aprender a controlar as emoções.

O objetivo dos pesquisadores era criar protótipos simples e de baixo custo para auxiliar a compreensão da mudança de humor em tempo real. Os dispositivos podem funcionar como uma ponte entre a mente e o corpo, conectando as pessoas a seus sentimentos.

materiais inteligentes
Imagem: techxplore.com

Algumas pesquisas anteriores focaram no envio de informações para computadores e dispositivos móveis. A inovação agora é o fato de que os gadgets são vestíveis e fornecem não só sinais visuais, mas também vibrações, a sensação de aperto ou de calor sem a necessidade de acessar outros programas.

Para isso, os pesquisadores usaram materiais termocrômicos que mudam de cor quando são aquecidos, além de dispositivos que vibram ou apertam o pulso. Para testar, os participantes usaram os dispositivos por cerca de oito a dezesseis horas e relataram as situações em que o dispositivo fez os alertas.

Um sensor em contato com a pele foi responsável pela detecção de mudanças na excitação (por meio da condutividade da pele). Isso permitiu que eles também compreendessem melhor quais situações os levam à alteração de humor e, consequentemente, promoveu uma melhoria na qualidade de vida.

Referências: Science Daily.

Copiado!
Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Comentários