Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Engenharia 360

Energia Fotovoltaica Residencial - Uma forma de investimento a longo prazo

Engenharia 360
por Beatriz Zanut Barros
| 23/07/2019 3 min

Energia Fotovoltaica Residencial - Uma forma de investimento a longo prazo

por Beatriz Zanut Barros | 23/07/2019
Copiado!

Que o Brasil é um país enorme, que apresenta climas diversificados nós já sabemos. E que a energia fotovoltaica é uma tendência que fará parte das instalações residenciais dos Brasileiros também é uma realidade. Inclusive, de acordo com a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) a previsão é que até 2024 mais de 800 mil consumidores já terão aderido a esta tecnologia.

Agora porque devemos investir em Energia Fotovoltaica?

Olhando para a realidade dos Brasileiros que trabalham em horário comercial, pode ser comum pensar que não vale a pena uma instalação que visa a produção de energia durante os horários de sol, devido ao baixo consumo na residência.

Porém, é pouco sabido o fato de que: quando a energia fotovoltaica é gerada em excesso, são “gerados créditos” com a empresa distribuidora. Estes créditos poderão ser utilizados durante o período noturno, ou em um dia de chuva. A validade para utilização dos créditos gerados é de 60 dias.

Este tipo de geração, é conhecida como micro geração solar voltaica. Nela, ainda há a dependência da empresa distribuidora, uma vez que estamos falando de uma solução mais barata, que não necessita de armazenamento de energia.

E a solução para a minha residência?

Bem, cada casa tem a sua própria solução, e a análise de consumo deve ser feita através de uma média das 12 ultimas contas de luz, além dos hábitos de consumo dos moradores.

Mesmo a energia fotovoltaica produzindo todo o consumo do ambiente, ainda é necessário pagar a taxa de disponibilidade da distribuidora, que são divididas em três tipos:

  • Rede monofásica: valor em moeda corrente equivalente a 30 kWh.
  • Rede bifásica: valor em moeda corrente equivalente a 50 kWh.
  • Rede trifásica: valor em moeda corrente equivalente a 100 kWh.

Os valores diferem de acordo com cada distribuidora.

Qual o payback deste investimento?

Payback é quanto tempo o sistema deve ser usado, até que ele cubra seus custos através da economia gerada pela fatura.

Lembrando que quanto maior o seu consumo, menor será o tempo para retorno, uma média a nível nacional nos diz que o payback gira em torno dos 5 anos e podem chegar até a 8 anos. Além de fatores de consumo, estes dependem da tarifa de energia cobrada pela distribuidora.

O equipamento tem uma vida útil média de 25 anos, sem a necessidade de manutenção. Já o valor de rentabilidade para este sistema de energia fotovoltaica, depois que foi feito o payback do equipamento, inclui diversos fatores, como a valorização do imóvel. Segundo o New York Times as casas que possuem painéis solares para consumo médio tiveram suas casas cotadas a U$15.000 a mais, em comparação a casas similares, sem o painel solar.

Fatores econômicos como os aumentos das bandeiras tarifarias, e o aumento das tarifas de energia também fazem parte dos benefícios das pessoas que possuem o painel solar. E esta economia na conta de luz se tornará cada vez mais comum na vida das pessoas.

Referências:

Engie Brasil – Renewable Energy Solar, NY Times

Copiado!
Engenharia 360

Beatriz Zanut Barros

Engenheira de Energia formada em 2018 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestranda em Energia Renovável pela Universitat Politècnica de Catalunya em Barcelona. Acredito que o conhecimento é tudo que possuímos, e sou apaixonada pelas novas tecnologias que além de melhorar a qualidade de vida da população, não prejudicam o meio ambiente.

Comentários