Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Engenharia Elétrica: me formei, e agora?

por Renan Pedro | 14/08/2020
Copiado!

Está no último ano ou se formou em engenharia elétrica recentemente? O Engenharia 360 te ajuda a pensar no que fazer agora!

Na vida sempre passamos por decisões, algumas que vão impactar imediatamente, outras a médio e a longo prazo. Quando estamos no último ano da faculdade ou somos recém formados, estamos passando por esses momentos, por tomadas de decisões que vão impactar imediatamente e que vão construir nosso perfil profissional. Como ajuda para você da engenharia elétrica que está no último ano ou se formou recentemente, preparamos algumas dicas sobre possíveis realidades que são comuns no início da jornada como engenheiro(a) eletricista.

Engenharia Elétrica, você e o mercado de trabalho – por onde começar?

Um primeiro ponto importante é que está na hora de, além de estar determinado a colocar no mercado todo o conhecimento adquirido na faculdade, deve estar determinado a começar a conhecer sobre si, sobre o perfil de profissional que quer ter e sobre onde é mais provável que se sinta realizado. Além disso, saber mudar durante o percurso e entender que os desafios e decepções virão, te tornarão mais preparado e maduro pra realidade do mercado.

Não é tão simples conhecer sobre si e tomar uma decisão tendo tantas em aberto, por isso nessa fase é bom consumir conteúdos que tenham a ver com sua evolução pessoal também. Não se apegue ao preconceito de que isso é coisa de “humanas”: projeções sobre si mesmo e sobre sua carreira vão te abrir muitas portas!

CREA na engenharia elétrica, preciso mesmo?

imagem de carteira de genérica de registro de crea para representar registro de profissionais da engenharia elétrica
Fonte: mapadaobra.com.br

Segundo o CREA-SP, temos um total de 72.465 profissionais ativos e registrados na engenharia elétrica. Dentro da engenharia elétrica temos 37 títulos profissionais (sendo 21 de engenharia e 16 de tecnólogos). Essas atribuições são definidas de acordo com o currículo escolar, então suas atribuições para emissões de ART estarão diretamente ligadas com a ênfase da sua formação. As principais atribuições estão sempre relacionadas a geração e transmissão de energia, seja hidrelétrica, solar ou eólica. Outras estão relacionadas a robótica, desenvolvimento de softwares e de automação, seja industrial ou residencial.

Como o CREA ajuda o profissional e o cliente?

Por que ele é importante pra você que se formou? Esse registro é a autorização para atuar no mercado. Com ele, você passa a ter o direito legal das suas atribuições. Sem ele, você pode ate receber multas por praticar o “exercício ilegal da profissão”.

Por que o CREA ajuda o cliente? Porque somente com o CREA se oferece a garantia de que há um responsável técnico acompanhando todo seu projeto. Essa responsabilidade continua valendo até mesmo após o fim da conclusão do projeto, o que garante a sociedade o direito de uma prestação de serviço com responsabilidade.

Isso não vale apenas para obras de construção e infraestrutura, vale até mesmo para quando se adquire um produto. Quando você compra um produto do mercado, podemos ter certeza de que ele foi acompanhado e projetado por um profissional registrado no CREA, por isso temos a tranquilidade de que ele atende as normas de segurança e utilização impostas pelo Governo Federal. O CREA é coisa séria, e independente da sua área de atuação, se você irá prestar serviço, é importante estar cadastrado e ativo.

Me formei, como subir de cargo?

mão colocando tijolinhos em uma escada
Fonte:ibe.edu.br

Muitas empresas hoje têm a possibilidade de currículos internos e planos de carreira. Alguns já são empregados há muito tempo e não atuam em uma área diretamente ligada a engenharia elétrica, já outros começaram a faculdade de engenharia porque já eram técnicos na empresa.

Mas independente de qual seja sua situação, além do bom currículo interno que deve ser feito, o perfil profissional que você constrói durante a faculdade deve ser o do cargo você almeja. Claro também que muito vai depender da demanda da empresa e das skills (habilidades) que você expõe no ambiente de trabalho durante os anos de casa e a forma de seleção ou promoção interna, já que isso vária muito de empresa para empresa.

Mudar seu mindset é um fator importante. Antes da graduação você tinha uma visão focada e, às vezes, limitada de todos os processos. E como a maioria, senão todas as industrias, são de gerenciamento vertical, muitas vezes apenas os que estão em cargos mais altos ou de responsabilidade enxergam o funcionamento total. Por isso, a faculdade deve moldar não somente seu conhecimento técnico, mas sua visão do que é empresa, e tendo essa visão, com certeza você estará mais próximo de uma promoção.

Além disso, muitas vezes os processos seletivos são muitos parecidos com os de trainee, então o próximo tema também ajuda muito você que está formado e querendo ser aprovado em algum processo interno.

Essa LIVE 360 pode ajudar você a conhecer um setor incrível da engenharia elétrica e te inspirar a querer evoluir dentro de onde você trabalha:

Trainee e engenharia elétrica, será que é pra mim?

Os processos de trainee são excelentes para quem tem pouca ou nenhuma experiencia na área da engenharia elétrica. Nesses programas se vê o funcionamento da indústria como um todo, o que ajuda no desenvolvimento pessoal e profissional do engenheiro.

Diferente do estágio, os processos de trainee envolvem um vínculo de contrato entre trabalhador e empresa, então os horários e remunerações são diferentes. As exigências variam de empresa para empresa, algumas colocam limites em períodos após a formação acadêmica para participar e um limite mínimo, como estar no último semestre da graduação.

Dicas para você mandar bem

ilustração de bonequinhos de papel com um escolhido
Fonte:profissaobiotec.com.br

Apesar de não exigir experiencia profissional, exige-se uma grande preparação para ser selecionado. No início do texto falamos sobre um certo autoconhecimento, projeções futuras de curto, médio e longo prazo… E é exatamente isso que envolve se preparar para uma preleção de trainee. Algumas habilidades você vai desenvolver com a experiência, outras se desenvolvem por meio de estudar e se conscientizar, e são essas que serão importantes no processo.  Portanto, pode parecer clichê, mas ser você mesmo e não desistir após um “não” são a chave para ser bem sucedido se esse é caminho para o mercado que você quer tomar – palavras de quem já é experiente nesses processos.

Importante também é manter a mente aberta sobre áreas de atuação e ênfases que a engenharia elétrica proporciona. Muitas vezes, você não será trainee em alguma área que você necessariamente se especializou ou estudou. Na engenharia elétrica somos muito resilientes, os setores são abrangentes e vastos, então estar aberto para os mais variados seguimentos pode ajudar você a ser um profissional multidisciplinar.

Para te ajudar, o Engenharia 360 já publicou muito conteúdo sobre esses processos, além de existirem plataformas totalmente focadas em processos de trainee.

Você é recém-formado e quer empreender?

Há também aqueles que querem ser profissionais autônomos e abrir o próprio negócio. Entender a necessidade se aprender sobre administração, comunicação e empreendedorismo, é tão importante quanto saber fazer bem o serviço que você irá se propor a prestar.

Além disso, coragem! De inicio sua equipe toda, todos os setores podem se resumir a essa imagem, então esteja disposto a resolver tudo que for necessário no inicio da sua empresa.

Seu trabalho vai ser posto a prova com concorrentes com mais tempo de mercado e com bastante experiência em diversos cenários. A engenharia elétrica é vasta, como já dito, mas em setores momentaneamente aquecidos, a concorrência pode ser desafiadora até para quem já é velho no mercado, então exigirá de você persistência também.

Entender como está o mercado e sobre quais são suas atribuições como engenheiro(a) eletricista ajudam também a fazer uma estratégia eficaz sobre quais serviços ofertar. Ser um bom engenheiro sem estratégia de mercado é como ser um bom boxeador que nunca consegue acertar um nocaute.

Novamente, vale lembrar que na engenharia elétrica o campo de atuação é vasto e muito versátil, apesar da maioria das atribuições do CREA serem destinadas a algumas áreas em especifico, como distribuição e geração, são 21 atribuições e dentro delas há várias possibilidades de se desenvolver produtos e serviços.

Quanto às skills de empreendedor que você precisará, também temos várias matérias aqui no Engenharia 360 para ajudar você.

Esse texto ajudou você? Conhece outras dicas da engenharia elétrica que podem fazer a diferença para quem se formou recentemente? Deixa nos comentários!

Copiado!
Engenharia 360

Renan Morais

Técnico em Eletrotécnica e Graduando em Engenharia Elétrica. Ama o clima do interior, experiências gastronômicas, tudo relacionado a tecnologia e de aprender sobre a vida. (IG: @renanmopedro)

Comentários