Engenharia 360

Engenharia é a profissão mais presente entre CEOs e donos de grandes empresas

Engenharia 360
por Samira Gomes
| 29/01/2021 | Atualizado em 21/07/2022 4 min

34 dos 100 melhores CEOs do mundo tinham formação em engenharia, segundo a lista da Harvard Business Review de 2018

Engenharia é a profissão mais presente entre CEOs e donos de grandes empresas

por Samira Gomes | 29/01/2021 | Atualizado em 21/07/2022

34 dos 100 melhores CEOs do mundo tinham formação em engenharia, segundo a lista da Harvard Business Review de 2018

Engenharia 360

O CEO da Microsoft, Satya Nadella, é engenheiro eletricista, bem como Mary Barra, da General Motors, e Jeff Bezos, da Amazon. Tim Cook, CEO da Apple, possui graduação em engenharia de produção, a brasileira Cristina Junqueira, fundadora da Nubank, também tem a mesma formação; e a lista continua. Afinal, por que engenheiros costumam ocupar cargos de liderança?

cristina junqueira, formada em engenharia e CEO da Nubank a frente da imagem, com outros funcionários ao fundo
Cristina Junqueira, engenheira e fundadora da Nubank

Engenheiros empreendedores

Atualmente, a alternação de profissionais entre diferentes áreas e o advento de novas profissões vêm sendo estimuladas pelo acesso da sociedade à tecnologia e pela instabilidade do mercado de trabalho. O crescimento da atividade de engenheiros em posições de liderança nas grandes empresas e/ou como donos de seus próprios negócios é um exemplo disso.

A lista da Harvard Business Review, publicada em 2018 pela Harvard Business Publishing, apresentou os 100 melhores CEOs do mundo, sendo 34 deles formados em engenharia. Em território nacional, a edição de 2020 do prêmio Executivo de Valor, do jornal Valor Econômico, premiou 23 gestores em reconhecimento por suas habilidades com gestão e liderança, entre eles 11 são engenheiros, 7 são administradores, 3 formados em economia e 2 em outras áreas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Continue Lendo
team work process young business managers crew working with new startup project labtop on wood table typing keyboard texting message analyze graph plans
Imagem: Snowing/Freepik

Mas, por que são considerados bons gestores?

De acordo com Renata Honda, especialista em recursos humanos, que trabalha com processos seletivos no CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), a explicação para isso está no perfil estratégico e analítico adquirido na formação em engenharia. “O engenheiro é marcado pela habilidade técnica, pelo raciocínio lógico e pela objetividade. Isso facilita na produtividade e na entrega de resultados”, afirma.

A capacidade em atuar com cálculos, números e planilhas, a aptidão em encarar projetos complexos e a visão sistêmica do engenheiro influenciam esses profissionais a embarcarem em outras áreas. Durante a graduação, é desenvolvido um perfil estratégico e analítico, que é otimizado com as experiências do trajeto profissional, e uma facilidade para tomar decisões e solucionar problemas, que somados colaboram para que os engenheiros obtenham grandes cargos em empresas privadas ou se aventurem no empreendedorismo.

Engenheiros, no geral, são vistos como bons solucionadores de problemas e geralmente atuam com aptidão no gerenciamento de risco. Apesar de serem identificados pelo destaque em cálculo e física, muitos apresentam conhecimentos sobre liderança, gestão de pessoas e comunicação.

Além disso, atualmente os profissionais formados em engenharia estão procurando desenvolver soft skills (habilidades comportamentais): escrita, comunicação e técnicas de negociação eficazes, por exemplo. O intuito principal é moldar um profissional mais completo para o mercado de trabalho. Com hard skills (habilidades técnicas) e soft skills, o engenheiro se torna mais requisitado para grandes cargos de executivo.

grupo de pessoas trabalhando em torno de mesa
Bons gestores precisam saber lidar com pessoas. Imagem: Unsplash

A vantagem de ser um curso amplo

O CEO da Sky Brasil, Estanislau Bassols, formado em engenharia elétrica pela Poli-USP relembra sua trajetória: “É um curso extremamente amplo em termos de opções de campo de trabalho. Eu vinha de família de classe média baixa e mudar nosso padrão de renda era um objetivo de curto prazo”.

Ainda que seu objetivo principal não fosse atuar na área de engenharia, Bassols chegou a tentar exercer a profissão na Siemens, onde se deslocou naturalmente para ramos estratégicos, e se viu mais próximo dos campos de negócios. Bassols logo foi chamado para a Telefônica, e ingressou na Sky Brasil, em 2019, ocupando a cadeira da presidência da empresa, em que permanece até hoje.

Anthony Maalouf, ex-aluno da Poli-USP, ingressou em engenharia, mas se mostra aberto à eventualidade de ir além do sonho de atuar como engenheiro e seguir por outros caminhos. “Justamente por ter muita gente de sucesso que fez engenharia e foi para outras áreas, sabia que a escolha abriria portas caso mudasse de ideia e não quisesse mais ser engenheiro”, afirma.

A importância de ir além da faculdade

Entretanto, somente a graduação não é garantia da conquista de ótimos empregos — nem atuação em outras áreas. Ao procurar estágios fora da engenharia, os alunos recorrem a estudos independentes e cursos extras, com o intuito de se preparar para os requisitos que vão além do que é aprendido na faculdade.

Por serem vistos, na maioria das vezes, como profissionais introspectivos, Liedi Bernucci, diretora da Poli-USP, destaca que esses profissionais devem saber lidar com pessoas e por isso precisam apostar no desenvolvimento de soft skills. Ocupar altas posições em grandes empresas ou abrir o próprio negócio exige saber acerca das necessidades do mercado e compreender a expectativa do cliente. É necessário ter criatividade para sair da caixa e ter visão de futuro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E você engenheiro (a), pensa em ir além da engenharia e atuar em outras áreas? Conta para a gente nos comentários!

Veja Também: Mas afinal, o que fazer após me formar em Engenharia?


Fontes: G1 e UOU

Engenharia 360

Samira Gomes

Engenheira de Produção em formação no Vale do São Francisco. Nordestina fascinada pela escrita e por tecnologia. Tem como objetivo levar conhecimento sobre engenharia, por meio da leitura, pois acredita no potencial das palavras para o enriquecimento intelectual.

Comentários



Assine nossa newsletter
e receba
uma curadoria exclusiva de conteúdos:

Continue lendo