Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Engenharia de Produção 'Plena' ou 'com ênfase': qual é a diferença? [Parte 2]

por Samira Gomes | 16/09/2021

Saiba quais são as diferenças entre a Engenharia de Produção Plena e a Engenharia de Produção com alguma especificação, como Mecânica, Civil, Elétrica e de Software.

Este texto é uma continuação de nossa explicação sobre as diversas ramificações da formação em Engenharia de Produção. Lembrando que, dentre as ênfases da Engenharia de Produção que mais se destacam, estão: a de Produção Civil e de Produção Mecânica, explicadas na parte 1; e a de Produção Elétrica e Produção de Software, que enfatizaremos nos tópicos a seguir.

É importante frisar que tais cursos não se tratam de pós-graduação. Assim como na categoria plena, mais comum e conhecida no Brasil, os cursos com especificações são de graduação e não se aprofundam nos estudos relativos às 10 áreas da Engenharia de Produção, mas sim na combinação destas áreas com o ramo em questão.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

As ênfases da Engenharia de Produção que mais se destacam

3.Engenharia de Produção Elétrica

O curso engloba os fundamentos de Engenharia Elétrica e as esferas econômica, financeira e de processos. O intuito é qualificar o formado para atuar no planejamento, construção e funcionamento de sistemas elétricos visando elevar a eficiência no uso dos recursos materiais e humanos à disposição. Em resumo, o propósito é corresponder aos requisitos de empresas no que concerne à automação industrial, componentes eletrônicos e instrumentos afins, viabilizando um ar mais técnico em elétrica para Engenharia de Produção.

Dentre as disciplinas do curso voltada para o setor elétrico, estão:

  • Conversão Eletromecânica de Energia; Desenho Técnico para Engenharia Elétrica; Eletromagnetismo; Ondas Eletromagnéticas; Circuitos Elétricos; Projeto de Instalações Elétricas; Materiais Elétricos; Eletrônica; Introdução a Sistemas de Energia Elétrica; Circuitos e Técnicas Digitais; entre outras.

O profissional diplomado em Engenharia de Produção Elétrica está apto a exercer a profissão, na categoria técnica e na gerência da produção de empreendimentos industriais de produtos do setor de eletricidade, eletrônica e tecnologia da informação, seja em organizações de serviços no ramo elétrico e de telecomunicações, assim como no âmbito técnica e de gestão.

Imagem: Kokliang/AdobeStock

4.Engenharia de Produção de Software

A ênfase de Software existe para preparar o Engenheiro de Produção com um entendimento a mais acerca desse campo, conseguindo tomar decisões mais amplas por dominar os diversos sistemas de informação, obter um raciocínio lógico mais aguçado e poder usar software para executar ainda melhor o seu papel.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Muitos estudantes acabam optando por esse curso imaginando que serão transformados em programadores. Na verdade, se a pessoa vai fazer o vestibular e deseja a carreira de futuro programador ou algo relacionado, é mais viável escolher um curso como Ciência da Computação ou até mesmo Informática.

O estudante que optar por essa graduação irá compreender como administrar a produção de qualquer organização. Pode ser, por exemplo, uma confecção, uma indústria alimentícia, uma construtora, uma empresa de software, uma usina, não importa. Tudo relacionado aos projetos, processos de fabricação, redução de custos, controle de qualidade, desenvolvimento de produto, e preocupação ambiental.

Imagem: Africa Studio/Shutterstock

Veja Também: Qual a diferença entre Engenharia Civil e Engenharia de Produção Civil?

Afinal, qual escolher?

Após entender as diferenças entre o curso tradicional e com ênfases, fica a dúvida sobre qual escolher. Entretanto, isso só você pode responder!

O maior benefício de se formar em Engenharia de Produção – com uma ênfase, como essas que foram apontadas – é ter a possibilidade de se aprimorar tecnicamente em um ramo particular da indústria, na hipótese de ser atrativo para o profissional priorizar uma carreira nesse setor.

Quanto a desvantagem, como aprofundamento, é que na graduação com especificação os conceitos dos métodos apresentados na Engenharia de Produção Plena não são estudados a fundo. Isso é, estuda-se menos Pesquisa Operacional, Logística, Planejamento e Controle da Produção, entre outros.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Logo, a escolha entre Engenharia de Produção Plena ou uma de suas ênfases provém dos objetivos futuros do estudante que sonha em ser um engenheiro de produção!

Decidiu qual modalidade da Engenharia de Produção você quer cursar? Conta para nós nos comentários!


Fontes: E&Produção.

Comentários

Engenharia 360

Samira Gomes

Engenheira de Produção em formação no Vale do São Francisco. Nordestina fascinada pela escrita e por tecnologia. Tem como objetivo levar conhecimento sobre engenharia, por meio da leitura, pois acredita no potencial das palavras para o enriquecimento intelectual.