Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Eficiência energética: como diminuir o consumo por energia quando se aumenta a demanda?

por Beatriz Zanut Barros | 19/06/2020
Copiado!

A conscientização da população em investimento energético é essencial para aumentar a produtividade de estabelecimentos comerciais e residenciais

Planos de eficiência energética são cada vez mais importantes para governos e indústrias em todo o mundo, o que gera impacto nas tendências energéticas globais, como a utilização de energia renovável.

Sabe-se que o crescimento da demanda tem sido desacelerado no mundo, independente da crise devido a pandemia, e isso acontece graças às políticas de eficiência energética. Com essas políticas, o crescimento da demanda é moderado, uma vez que consegue uma maior produtividade com um menor gasto de energia.

Durante o ano de 2016, estima-se que o gasto com energia elétrica foi 11% menor do que poderia ter sido no mundo, se medidas de eficiência energética não tivessem sido implementadas desde o início dos anos 2000.

O progresso na frente da eficiência é crítico. Sem um foco central na eficiência energética por parte do governo e da indústria, nenhum dos nossos objetivos energéticos, ambientais e econômicos mais amplos pode ser plenamente alcançado. Ao mesmo tempo, a eficiência energética oferece a promessa de maiores benefícios sociais e econômicos, mas este é um potencial que – por enquanto – está em sua maioria inexplorado. 

Como os planos de eficiência energética funcionam no Brasil?

Desde os anos 2000, as melhorias em eficiência energética fizeram com que o Brasil economizasse 5% do seu consumo de energia em 2017. Nos últimos anos, o movimento da atividade econômica de setores industriais intensivos em energia e de serviços menos intensivos – uma mudança estrutural – reduziu o impacto do crescimento da atividade em 14%. Essa redução teria atingido 23% se o Brasil não tivesse aumentado a posse de eletrodomésticos com o selo Procel e aumentado a área útil dos edifícios.

De acordo com dados do IEA (International Energy Agency) sobre a economia de eficiência, 60% foram alcançados principalmente na indústria e no setor de serviços no ano de 2017. Como resultado, 4% de importações adicionais de carvão e gás foram evitadas. Para o Brasil, esse dado é extremamente relevante, uma vez que o país é uma das economias menos intensivas em carbono do mundo devido ao seu uso de hidroelétricas para eletricidade e biocombustíveis nos transportes.

Economia na demanda de energia no Brasil
Economia na demanda de energia no Brasil (Fonte: IEA)

Embora o Brasil possua diversas políticas públicas para incentivar a eficiência energética, sabe-se que chegar no nível ideal ainda é difícil. Em uma pesquisa realizada pelo IEA, nem 50% dos estabelecimentos e instalações residenciais seguiam as políticas públicas propostas. Conforme mostrado no gráfico abaixo:

Estimativa de estabelecimentos que cumprem as leis de eficiência energética
Estimativa de estabelecimentos que cumprem as leis de eficiência energética (Fonte: IEA)

A conscientização da população em investimento energético é essencial para aumentar a produtividade de estabelecimentos comerciais e residenciais.

Essa conscientização pode ser estimulada em um projeto de eficiência quando se calcula o payback de um determinado equipamento, em maior ou menor escala de consumo. Também conhecido como a troca de equipamentos de ar-condicionados antigos, troca de lâmpadas, instalação de gerador e obviamente, implementação de painéis solares.

E você, já realizou um projeto de eficiência energética na sua casa ou empresa? Conta para a gente nos comentários.

Referência: IEA

Leia Também: O que esperar para o mercado de energia em 2020?

Copiado!
Engenharia 360

Beatriz Zanut Barros

Engenheira de Energia formada em 2018 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestranda em Energia Renovável pela Universitat Politècnica de Catalunya em Barcelona. Acredito que o conhecimento é tudo que possuímos, e sou apaixonada pelas novas tecnologias que além de melhorar a qualidade de vida da população, não prejudicam o meio ambiente.

Comentários