Engenharia 360

Cientistas estudam os efeitos das "pedras" jogadas contra Via Láctea

Engenharia 360
por Redação 360
| 04/10/2022 | Atualizado em 10/10/2022 2 min

Cientistas estudam os efeitos das "pedras" jogadas contra Via Láctea

por Redação 360 | 04/10/2022 | Atualizado em 10/10/2022
Engenharia 360

Algo estranho aconteceu na Via Láctea e que está intrigando os cientistas. É como se uma pedra tivesse caído em uma piscina, gerando ondas de energia. Só que, nesse caso, a rede da galáxia, repleta de estrelas, foi atingida por um elemento desconhecido com tamanho 400 vezes maior que o Sol, provocando severos reflexos, literalmente sacudindo e chacoalhando as estrelas por perto. Claro que isso não foi agora; mas, mesmo assim, está levando bilhões de anos para “acalmar” os efeitos. Entenda o caso a seguir!

O que perturbou as estrelas?

Duas vezes, foram duas vezes e em diferentes velocidades que a mini galáxia de Sagitário recebeu uma “pedrada”, como comprovou a Agência Espacial Europeia (ESA). Como? Eles observaram os movimentos de mais de 20 milhões de estrelas nas regiões extremas do disco da galáxia e perceberam que elas oscilaram, se movendo para cima e para baixo. Depois, compararam isso a um modelo padrão de onda, buscando entender o que perturbava as estrelas.

Via Láctea de Sagitário
Imagem reproduzida de Olhar Digital

Hipóteses

Primeiro, os cientistas perceberam que as ondulações provavelmente tiveram início, centenas de milhões de anos atrás, quando a galáxia anã de Sagitário passou pela última vez perto de nós. Também que uma das conclusões e posterior ondulações aconteceu no centro da Via Láctea. E, como dito antes, isso foi tão forte que estendeu os efeitos até as bordas do disco da galáxia – enquanto realizava o trajeto, as ondas perturbavam as estrelas.

Via Láctea de Sagitário
Imagem reproduzida de saense

Consequências

Os cientistas hoje já sabem também que Sagitário já foi maior. E pode ser que estes acidentes cósmicos, de repetidas colisões, tenham feito-a perder 20% da sua massa, além de ter alterado sua forma, criando, por exemplo, um braço em espiral. Mais ainda, essas explosões podem ter desencadeado o nascimento de estrelas na Via Láctea a cada choque. Entender o que aconteceu neste vizinho pode revelar muito do próprio surgimento do nosso próprio Sistema Solar.

Via Láctea de Sagitário
Imagem reproduzida de Astropontos

Veja Também: O que é a tal “Tarântula Cósmica” registrada pelo Telescópio James Webb?


Fontes: Olhar Digital.

Engenharia 360

Redação 360

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo