Portal Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Conheça todos os tipos de Cimentos Portland

Engenharia 360

23/05/2018

POR Eduardo Slabocicor Cavalcanti 23/05/2018

  • Associação Brasileira de Cimento Portland
  • blocos de concreto
  • cimento
  • cimento branco
  • cimento Portland
  • Cimento portland composto com pozolana
  • Cimento Portland de Alta Resistência inicial
  • Cimento Portland de Alto-Forno
  • Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratação
  • Cimento Portland Pozolânico
  • Cimento Portland Resistente a Sulfatos
  • Construção
  • Construção Civil
  • CP I / CP I - S
  • CP II-E
  • CP II-F
  • CP II-Z
  • CP III
  • CP IV
  • CPB – Cimento Portland Branco
  • norma brasileira
  • tipo de cimento
  • trata deste tipo de cimento

De acordo com a Associação Brasileira de Cimento Portland existem no mercado 8 tipos de cimentos normatizados. O cimento é um dos materiais de construção mais utilizados na construção civil, por conta da sua larga utilização em diversas fases da construção. O cimento pertence a classe dos materiais classificados como aglomerantes hidráulicos, esse tipo de material em contato com a água entra em processo físico-químico, tornando-se um elemento sólido com grande resistência a compressão e resistente a água e a sulfatos.

Cimento Portland (Fonte: Mapa da Obra, 2014)

No Brasil o responsável pela análise de qualidade dos cimentos vendidos é  a ABCP – Associação Brasileira de Cimento Portland. Fundada em 1936 com o objetivo de promover estudos sobre o cimento e suas aplicações. É uma entidade sem fins lucrativos, mantida voluntariamente pela indústria brasileira do cimento, que compõe seu quadro de Associados. Conheça sobre a Associação em: http://www.abcp.org.br/

Logo ABCP (Fonte: ABCP, 2018)

Conheça os tipos de Cimento Portland

Cimento Portland Comum CP I / CP I – S

O CP-I, é o tipo mais básico de cimento Portland, indicado para o uso em construções que não requeiram condições especiais e não apresentem ambientes desfavoráveis como exposição à águas subterrâneas, esgotos, água do mar ou qualquer outro meio com presença de sulfatos. A única adição presente no CP-I é o gesso (cerca de 3%, que também está presente nos demais tipos de cimento Portland). O gesso atua como um retardador de pega, evitando a reação imediata da hidratação do cimento. A norma brasileira que trata deste tipo de cimento é a NBR 5732

O CP I-S, tem a mesma composição do CP I (clínquer+gesso), porém com adição reduzida de material pozolânico (de 1 a 5% em massa). Este tipo de cimento tem menor permeabilidade devido à adição de pozolana. A norma brasileira que trata deste tipo de cimento é a NBR 5732.

Cimento Portland composto com Escória (CP II-E)

Os cimentos CP II são ditos compostos pois apresentam, além da sua composição básica (clínquer+gesso), a adição de outro material. O CP II-E, contém adição de escória granulada de alto-forno, o que lhe confere a propriedade de baixo calor de hidratação. O CP II-E é composto de 94% à 56% de clínquer+gesso e 6% à 34% de escória, podendo ou não ter adição de material carbonático no limite máximo de 10% em massa. O CP II-E, é recomendado para estruturas que exijam um desprendimento de calor moderadamente lento. A norma brasileira que trata deste tipo de cimento é a NBR 11578.

Escória (Fonte: Minas Logísticas,2018)

Cimento Portland composto com Pozolana (CP II-Z)

O CP II-Z contém adição de material pozolânico que varia de 6% à 14% em massa, o que confere ao cimento menor permeabilidade, sendo ideal para obras subterrâneas, principalmente com presença de água, inclusive marítimas. O cimento CP II-Z, também pode conter adição de material carbonático (fíler) no limite máximo de 10% em massa. A norma brasileira que trata deste tipo de cimento é a NBR 11578.

Pozolana (Fonte: IPT, 2015)

Cimento portland composto com pozolana (CP II-F)

O CP II-E é composto de 90% à 94% de clínquer+gesso com adição de 6% a 10% de material carbonático (fíler) em massa. Este tipo de cimento é recomendado desde estruturas em concreto armado até argamassas de assentamento e revestimento porém não é indicado para aplicação em meios muito agressivos. A norma brasileira que trata deste tipo de cimento é a NBR 11578.

Cimento Portland de Alto-Forno (CP III)

O cimento portland de alto-forno contém adição de escória no teor de 35% a 70% em massa, que lhe confere propriedades como; baixo calor de hidratação, maior impermeabilidade e durabilidade, sendo recomendado tanto para obras de grande porte e agressividade (barragens, fundações de máquinas, obras em ambientes agressivos, tubos e canaletas para condução de líquidos agressivos, esgotos e efluentes industriais, concretos com agregados reativos, obras submersas, pavimentação de estradas, pistas de aeroportos, etc) como também para aplicação geral em argamassas de assentamento e revestimento, estruturas de concreto simples, armado ou protendido, etc. A norma brasileira que trata deste tipo de cimento é a NBR 5735.

Cimento Portland Pozolânico (CP IV)

O cimento portland Pozolânico contém adição de pozolana no teor que varia de 15% a 50% em massa. Este alto teor de pozolana confere ao cimento uma alta impermeabilidade e consequentemente maior durabilidade. O concreto confeccionado com o CP IV apresenta resistência mecânica à compressão superior ao concreto de cimento Portland comum à longo prazo. É especialmente indicado em obras expostas à ação de água corrente e ambientes agressivos. A norma brasileira que trata deste tipo de cimento é a NBR 5736.

Tipos de Cimento Portland

Cimento Portland (Fonte: Amoedo, 2016)

Cimento Portland de Alta Resistência inicial (CP V-ARI)

O CP V-ARI assim como o CP-I não contém adições (porém pode conter até 5% em massa de material carbonático). O que o diferencia deste último é processo de dosagem e produção do clínquer. O CP V-ARI é produzido com um clínquer de dosagem diferenciada de calcário e argila se comparado aos demais tipos de cimento portland e com moagem mais fina. Esta diferença de produção confere a este tipo de cimento uma alta resistência inicial do concreto em suas primeiras idades, podendo atingir 26MPa de resistência à compressão em apenas 1 dia de idade. É recomendado o seu uso, em obras onde seja necessário a desforma rápida de peças de concreto armado. A norma brasileira que trata deste tipo de cimento é a NBR 5733.

Cimento Portland Resistente a Sulfatos (RS)

Qualquer um dos tipos de cimento Portland anteriormente citados podem ser classificados como resistentes a sulfatos, desde que:

  • Teor de aluminato tricálcico (C3A) do clínquer e teor de adições carbonáticas de no máximo 8% e 5% em massa, respectivamente;
  • Cimentos do tipo alto-forno que contiverem entre 60% e 70% de escória granulada de alto-forno, em massa;
  • Cimentos do tipo pozolânico que contiverem entre 25% e 40% de material pozolânico, em massa;
  • Cimentos que tiverem antecedentes de resultados de ensaios de longa duração ou de obras que comprovem resistência aos sulfatos.

É recomendado para meios agressivos sulfatados, como redes de esgotos de águas servidas ou industriais, água do mar e em alguns tipos de solos.

 

Ainda vale ressaltar a existência de dois outros cimentos, que não se encontram na lista da ABCP, mas já estão no mercado e podem ser utilizados, são eles:

  • BC – Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratação (NBR 13116/94)

O Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratação (BC) é designado por siglas e classes de seu tipo, acrescidas de BC. Por exemplo: CP III-32 (BC) é o Cimento Portland de Alto-Forno com baixo calor de hidratação, determinado pela sua composição. Este tipo de cimento tem a propriedade de retardar o desprendimento de calor em peças de grande massa de concreto, evitando o aparecimento de fissuras de origem térmica, devido ao calor desenvolvido durante a hidratação do cimento.

  • CPB – Cimento Portland Branco (NBR 12989/92)

O Cimento Portland Branco se diferencia por coloração, e está classificado em dois subtipos: estrutural e não estrutural. O estrutural é aplicado em concretos brancos para fins arquitetônicos, com classes de resistência 25, 32 e 40, similares às dos demais tipos de cimento portland. Já o não estrutural não tem indicações de classe e é aplicado, por exemplo, em rejuntamento de azulejos e em aplicações não estruturais.

Tipos de Cimento Portland

Acabamento em Cimento Portland Branco (Fonte: E-civil, 2017)

 

Com essas dicas fica quase impossível errar na hora de escolher o melhor cimento para sua obra. Lembrando que o que diferencial o profissional de Engenharia do “curioso”. É a forma cientifica como exploramos e aplicamos as coisas.

Associação Brasileira de Cimento Portland
blocos de concreto
cimento
cimento branco
cimento Portland
Cimento portland composto com pozolana
Cimento Portland de Alta Resistência inicial
Cimento Portland de Alto-Forno
Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratação
Cimento Portland Pozolânico
Cimento Portland Resistente a Sulfatos
Construção
Construção Civil
CP I / CP I - S
CP II-E
CP II-F
CP II-Z
CP III
CP IV
CPB – Cimento Portland Branco
norma brasileira
tipo de cimento
trata deste tipo de cimento

Eduardo Slabocicor Cavalcanti

Escreve para a internet desde 2008 e tem paixão por consumir informação e descobrir coisas. Adora gatos, inovação e é curitibana – fala “duas vinas”, mas dá “bom dia” no elevador.

mais
Engenharia 360 Engenharia 360

VEJA TAMBÉM

20 Resultados
6 motivos para você conhecer o SOLIDWORKS World 2019
6 coisas que estudantes de engenharia podem fazer para aproveitar as férias
Lista de aplicativos para engenharia de Dezembro! Confira!
Telescópio com espelho de 39 metros de diâmetro está em construção no Chile
10 árvores de Natal feitas (certamente) por engenheiros(as)
7 filmes (não natalinos) para ver na Netflix no final de ano
7 coisas que engenheiros/estudantes de engenharia passam no Natal em família
O projeto de Pontes em Concreto
HP50G x TI NSpire - Quais as principais diferenças dessas duas calculadoras para engenharia?
BDE Explica: O que é cota de arrasamento?
Bioengenharia: conheça o rim artificial que promete substituir a hemodiálise
Startup fundada por brasileiro cria nanosatélite que promete soluções para a agricultura
Terminei a faculdade, e agora?
BDE Review: Scanner Portátil EPSON ES-300W para engenheiros
Como a Samsung DeX e o Galaxy S9 mudaram completamente o dia a dia de um engenheiro
Brasil perde R$56 bilhões por ano por falta de investimento em saneamento
Testamos o novo Motorola One. Confira nossa opinião!
Aplicativos para Engenharia: Confira nossa lista de Novembro!
Testamos a nova e incrível Xiaomi Mi Band 3, a pulseira inteligente chinesa
Descubra como usar a HP para o cálculo de vigas com o VigaG
Podcast 360
Ouça ou baixe podcasts
exclusivos da engenharia
Ver Todos

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

20 Resultados
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Escolha a engenharia do seu interesse