Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Concretagem: como resolver a questão da temperatura na cura das estruturas de concreto

por Simone Tagliani | 18/02/2021

Esse é um processo delicado no qual a massa vai endurecendo, se expandindo e retraindo e, se algo dá errado, as peças perdem resistência e ainda aparecem fissuras.

O concreto é hoje em dia o material mais utilizado na construção civil. Talvez você não saiba, mas em sua “receita” vai cimento, água, areia, brita e aditivos. Também que é a reação da junção do cimento com a água que gera o “endurecimento” da massa, um processo que libera bastante calor. E que as consequências desta união química podem ser trágicas em alguns casos, como quando o fenômeno não é devidamente controlado e acabam surgindo as patologias que comprometem a estabilidade das estruturas.

concretagem em obra, concreto deslizando de rampa durante preparo
(imagem de Bog Pra Construir)

O que é calor de hidratação?

Calor de hidratação’ é o termo que os engenheiros usam quando querem se referir ao calor liberado pela reação dos componentes misturados à “receita” do concreto. Isso é algo que acontece enquanto há a transferência de energias no interior dos elementos que estão sendo concretados. Já no início do “endurecimento” da massa acontece este aumento de temperatura, cujo calor é liberado posteriormente para atmosfera.

Este tal ‘calor de hidratação’ é, portanto, algo natural de acontecer. Mas por que será que se precisa ter tanta atenção com isto? Bem, o problema maior é quando a peça concretada recebe um grande volume de concreto. A energia produzida em seu interior é alta e o calor – que pode chegar a quase 70 graus – encontra grande dificuldade de se dissipar na atmosfera. Até conseguir chegar à camada externa – em expansão – pode levar muito tempo e, enquanto isto, acabar provocando trincas na massa que já está em processo de cura ou “endurecimento” – retração.

preparo de concreto durante obra

Como reduzir o calor de hidratação no concreto?

Claro que há muitas causas envolvidas nos problemas ocasionados pelo calor de hidratação além da quantidade de cimento e água na mistura da massa de concreto. Pode ser, por exemplo, por causa do desempenho de outros elementos na composição; das variações térmicas do local da construção em todo o tempo de cura da peça concretada; umidade relativa do ar; intensidade do vento; maneira como o concreto foi lançado do caminhão betoneira para as fôrmas; e muito mais.

“Quando a temperatura do concreto se diferencia da temperatura ambiente em mais de 25°C, a probabilidade de ocorrer uma fissura é muito alta.”, “Trincas e fissuras podem surgir também quando a temperatura da mistura passa dos 65ºC, gerando um fenômeno raro chamado etringita tardia.”

– especialista em concreto Rubens Curti, em reportagem de Mapa da Obra.

betoneira de concretagem

Medidas para evitar o aumento do calor de hidratação

  • Evitar a exposição excessiva do concreto ao sol nas primeiras horas e dias após a aplicação na fôrma – pode ser interessante, em alguns casos, programar a concretagem no período da noite;
  • Fazer a concretagem em camadas em peças muito volumosas, não de uma vez só;
  • Tentar reduzir, ao máximo, a quantidade de aglomerante na mistura do concreto;
  • Tentar manobras para controlar a temperatura da massa, hidratando o cimento e resfriando os outros materiais da mistura, evitando acelerar a evaporação da água – importante para amenizar o processo de calor excessivo;
  • Usar lonas plásticas especiais, serragem, areia, sacos de aniagem ou papel umedecido para cobrir a superfície do concreto, evitando a perda de água;
  • E irrigar por pelo menos 7 dias e noites a superfície do concreto logo após o término da concretagem.

Veja Também: Lajes aliviadas de concreto: conheça essa tecnologia que auxilia no aliviamento de cargas estruturais

concreto em produção em canteiro de obra

O que acontece com concretagens em dias muito quentes?

As obras não podem ficar paradas esperando as melhores oportunidades do mercado! Os projetos têm prazos de entrega. Mas às vezes eles atrasam. E sabe por quê? Sim, o clima! Pois não é possível concretar em temperaturas extremas! Abaixo de 15 graus Celsius, o endurecimento do concreto pode ficar lento demais, o calor de hidratação baixo e a peça final acabar com menor resistência. Já com um calor acima de 35 graus pode acontecer de o endurecimento ser rápido, o calor alto, a água evaporar depressa demais e a peça, além de ficar pouco resistente, acabar com fissuras também. 

“A temperatura ambiente para lançamento do concreto deve estar entre 5 °C e 30 °C. Já a temperatura do concreto por ocasião de seu lançamento deve ser fixada de modo a evitar fissuração de origem térmica.”

“O calor (ambiente) também aumenta a velocidade da reação de hidratação do cimento, resultando na perda da trabalhabilidade do concreto durante o seu transporte, o que leva à necessidade de água adicional para que atinja o abatimento especificado para a obra.”

– é o que diz a ABNT NBR 7212/2012.

imagem ilustrativa de canteiro de obras

Adicionar mais água ou água gelada ao concreto seria a solução correta?

Bem, a resposta para esta pergunta pode ser mais complicada do que parece. Uma coisa é certa, não se pode adicionar mais água além do previsto na mistura do concreto, assim como não se pode colocar mais leite na massa de um bolo. Tudo deve ser calculado pelo especialista! Qualquer ação baseada em achismos é um erro que pode comprometer o resultado da estrutura!

Em dias muito quentes, por exemplo, o que se pode fazer é utilizar aditivos para desacelerar a perda de água no concreto. Umedecer as fôrmas antes da concretagem também ajuda. Assim como controlar a unidade ambiente com nebulização. O que alguns profissionais fazem para amenizar o problema é substituir parte da água na “receita” por gelo – em pedaços pequenos – ou nitrogênio líquido. Ou mesmo utilizar serpentinas ou pequenas tubulações com água gelada dentro do concreto – permanecendo dentro dele, mesmo finalizado o endurecimento. Mas voltamos a dizer que isto é algo que deve ser avaliado e planejado por um especialista em estruturas!

imagem ilustrativa de canteiro de obras

Fontes: Cimento Itambe, Mapa da Obra, AECWeb, Portal do Concreto, TecnosilBR.

Você já conhecia essas curiosidades sobre o processo de concretagem? Comente!

Comentários

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; especialista em Artes Visuais; estudante de Jornalismo Digital e proprietária da empresa Visual Ideias - Redação, Edição e Produção de Conteúdos.