Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Russos usam computador quântico para voltar no tempo

por Larissa Fereguetti | 21/03/2019
Copiado!

Viagens no tempo sempre parecem divertidas, certo? Mas, infelizmente, elas ainda não são possíveis, ao menos não em pessoas. No entanto, alguns cientistas russos usaram um computador quântico para voltar no tempo.

computador quântico para voltar no tempo
Imagem: phys.org

+ Computador quântico para voltar no tempo

Em parceria com pesquisadores dos EUA e da Suíça, os russos restauraram um computador quântico público da IBM para um estado anterior ao que ele estava. Não é como um simples reparo que podemos fazer o tempo todo em computadores comuns apenas voltando configurações. O que os pesquisadores fizeram foi inverter o fluxo de tempo, foi criar um estado que evolui em uma direção oposta à da flecha termodinâmica do tempo, do futuro para o passado.

+ Entenda a pesquisa

A evolução de um sistema quântico é regida pela tão famosa Equação de Schödinger, que dá a probabilidade de uma partícula estar em uma determinada região. Há, também, o Princípio da Incerteza de Heisenberg, que afirma que não é possível saber a posição exata e o momento de uma partícula.

computador quântico para voltar no tempo
Imagem:

A intenção era saber se eles poderiam inverter espontaneamente uma partícula por uma fração de segundo. Seria como ter, em um momento, um triângulo contendo bolas de sinuca se quebrado e as bolas indo em todas as direções e, no momento seguinte, tudo retornando para a ordem. Isso representa violar a segunda lei da termodinâmica, que diz que a entropia de um sistema isolado termodinamicamente tende a aumentar com o tempo, ou seja, vai do estado ordenado para o desordenado. (Lembre-se que, quanto menor a organização, maior a entropia).

computador quântico para voltar no tempo
Imagem: poandpo.com

Os pesquisadores usaram sistemas de 2 e 3 qubits. Depois de fazer vários testes, foi possível restaurar o estado anterior do computador quântico em cerca de 85% para 2 qubits e 50% para 3 qubits. Quanto maior a simulação, mais complexa e menos precisa ela era.

É preciso ficar claro que o teletransporte quântico não tem nada a ver com o teletransporte de pessoas (infelizmente). No entanto, apesar de não ser um avanço no teletransporte humano, a pesquisa pode trazer implicações incríveis para a computação quântica. O resultado do estudo foi publicado na aclamada revista Nature.

Referências: Futurism; IFL Science; Eurekalert.

Copiado!
Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Comentários