Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Entenda como a climatização do ambiente interno é considerada nos projetos

por Guilherme Menezes | 03/03/2021

Na hora de projetar a climatização do ambiente, é preciso levar em consideração diversos fatores

No fim do ano passado explicamos um pouco sobre a diferença entre os tipos de equipamentos de ar-condicionado, hoje vamos falar um pouco sobre a origem da climatização dos ambientes internos. Atualmente este é um aspecto a ser estudado e considerado no projeto, mas como e quando ele surgiu?

Mulher se refrescando em um dos primeiros climatizadores
Fonte: Komeco

Foi por volta de 1920 com o crescimento da influência dos engenheiros que não se limitaram apenas aos projetos estruturais, o condicionamento do ar se tornou característica padrão em fábricas, hotéis, teatros e cinemas.

Quais foram as influências para o desenvolvimento da climatização?

Alguns fatores foram essenciais para o desenvolvimento e crescimento desta tecnologia. Primeiramente, podemos destacar a grande demanda em hotéis e centros de entretenimento, sendo que o crescimento da indústria cinematográfica foi o ápice já que as salas de cinema eram uma forma agradável de as pessoas escaparem do calor de muitas cidades norte-americanas.

Outro fator a ser considerado foi de grandes grupos de empreendedores investirem na ideia, garantindo que o desempenho dos equipamentos de climatização fossem se aperfeiçoando com a crescente demanda.

Inicialmente, esses equipamentos eram limitados pela velocidade de seus compressores. Desta maneira foram necessários grandes investimentos para desenvolver novas tecnologias, algumas delas foram capazes de diminuir o tamanho e aumentar a eficácia. Para isso, realizaram diversos testes com compressores, substâncias refrigeradoras e até vedantes adequados, já que eram utilizados no sistema substâncias tóxicas.

Exaustor de ar condicionado
Fonte: Archtrends

Mas foi apenas em 1930 que o Engenheiro Leo Lewis conseguiu compatibilizar diversas ideias anteriores e desenvolver um sistema em que combinava 3 correntes de ar diferente, assim estabelecendo novos padrões de conforto para teatros e cinemas.

Com a crescente demanda e instalação nas diversas edificações, surgiu o questionamento em relação à saúde das pessoas que estariam nestes ambientes. Ao longo destes anos foi discutido qual seria a proporção correta de ar a ser respirada e, para chegar a uma proporção adequada, diversos fatores deveriam ser considerados, tais como: umidade do ar, poeira no ambiente, idade das pessoas, entre outros.

E como foi a expansão desta tecnologia?

Mesmo com tamanha discussão em relação aos benefícios e malefícios à saúde por ser uma tecnologia em constante desenvolvimento e aperfeiçoamento, ela continuou se espalhando, desde fábricas, cinemas, teatros, hotéis e até mesmo prédios de grandes corporações.

Em 1930 foi quando algumas empresas começaram a produzir sistemas menores de condicionamento de ar. Assim, surgiu o sistema no mercado doméstico. Dessa maneira foi que se viu como uma necessidade possuir este sistema em salas comerciais e em imóveis residenciais.

Controle via celular de ar condicionado ilustrando climatização do ambiente
Fonte: Blog Adias

Qual a preocupação atualmente sobre esses sistemas?

Após todo o desenvolvimento da tecnologia e a discussão sobre questões médicas, chegamos ao ponto em que ainda hoje gera discussão e desenvolvimento de novas tecnologias: a economia de energia.

A preocupação global sobre custos financeiros em gasto energético e ambiental é o que faz o desenvolvimento e avanço tecnológico destes equipamentos, que atualmente possuem pouco consumo energético e mínima agressividade ao meio ambiente.

Claro que novos questionamentos ainda podem surgir e, com isso, proporcionar maiores avanços tecnológicos e aperfeiçoamento da tecnologia. Os equipamentos atuais podem tanto resfriar o ambiente como aquecer usando um ciclo reverso. Em alguns lugares do globo onde a temperatura é muito fria, usam também o sistema de calefação, o qual é capaz de aquecer o ambiente com menor gasto energético. Assim, em diversos projetos, é considerado o clima do país e, de forma direcionada, é feita a escolha de pisos, janelas e até mesmo iluminação, pois são alguns fatores que podem influenciar na temperatura do ambiente e, portanto, em um maior consumo energético.

                E você, o que acha sobre a climatização de ambientes internos? Deixe seu comentário!

Engenharia 360

Guilherme Menezes

Engenheiro Civil, nascido e criado em São Paulo. Atua na área de projetos de Infraestrutura, estruturas e portuária. Se interessa por economia, atualidades e inovação.

Comentários