Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Cientistas treinam peixes-dourados para guiar plataforma com rodas

por Redação 360 | 28/01/2022

Cientistas da Universidade Ben-Gurion de Jerusalém, em Israel, fizeram o que parecia impossível! Eles ensinaram peixes-dourados a dirigir! Sim, é exatamente isso que você leu! Esta conquista foi divulgada na Revista Behavioral Brain Research. Então, o que foi contado é que os pesquisadores fizeram esses pequenos animais guiarem uma plataforma com rodas, chamado Veículo Operado por Peixes (FOV, na sigla em inglês), através da reação dos seus movimentos dentro de um tanque com água.

Esse pequeno carrinho foi equipado com uma tecnologia de sensoriamento remoto que usa lasers para coletar dados tanto sobre a sua localização no solo como a do peixe no interior do tanque. E o que os peixinhos tinham que fazer com isso? Bem, a ideia era eles conduzirem a plataforma em direção a um alvo feita em uma arena de testes – que podiam observar através dos vidros do tanque. Ao alcançar o alvo, eles eram recompensados com comida. Depois de dias, eles já conseguiam até desviar de paredes, mesmo em ambientes desconhecidos, corrigindo facilmente imprecisões de localização.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cientistas da Universidade Ben-Gurion de Jerusalém, em Israel, fizeram o que parecia impossível! Eles ensinaram peixes-dourados a dirigir! Sim, é exatamente isso que você leu! Esta conquista foi divulgada na Revista Behavioral Brain Research. Então, o que foi contado é que os pesquisadores fizeram esses pequenos animais guiarem uma plataforma com rodas, chamado Veículo Operado por Peixes (FOV, na sigla em inglês), através da reação dos seus movimentos dentro de um tanque com água.

Esse pequeno carrinho foi equipado com uma tecnologia de sensoriamento remoto que usa lasers para coletar dados tanto sobre a sua localização no solo como a do peixe no interior do tanque. E o que os peixinhos tinham que fazer com isso? Bem, a ideia era eles conduzirem a plataforma em direção a um alvo feita em uma arena de testes – que podiam observar através dos vidros do tanque. Ao alcançar o alvo, eles eram recompensados com comida. Depois de dias, eles já conseguiam até desviar de paredes, mesmo em ambientes desconhecidos, corrigindo facilmente imprecisões de localização.

“Isso mostra que os peixes-dourados têm a capacidade cognitiva de aprender uma tarefa complexa em um ambiente completamente diferente daquele em que evoluíram.”- Shachar Givon, um dos autores da pesquisa em reportagem de O Globo.

dispositivo com rodas
Imagem reproduzida de Autoblog
dispositivo com rodas
Imagem reproduzida de TechEBlog
dispositivo com rodas
Imagem reproduzida de F5 Folha – UOL

Veja Também: Tunabot – o peixe robótico que promete revolucionar os veículos aquáticos

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO


Fontes: O Globo.

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.