Engenharia 360

Engenheiros japoneses desenvolvem bateria autorreparável

Engenharia 360
por Larissa Fereguetti
| 23/05/2019 | Atualizado em 15/06/2022 2 min

Engenheiros japoneses desenvolvem bateria autorreparável

por Larissa Fereguetti | 23/05/2019 | Atualizado em 15/06/2022

O sonho de consumo de muitos amantes da tecnologia que seja capaz de aguentar, pelo menos, um dia inteiro com uso pesado, seja no celular, no tablet, no notebook ou em outros equipamentos. Afinal, estamos cercados de aparelhos que usam baterias. É exatamente por isso que o desenvolvimento de uma bateria autorreparável é tão importante.

Baterias autorreparáveis

Os responsáveis pela pesquisa são alguns engenheiros da Universidade de Tóquio, no Japão. A invenção consiste em um modelo que pode se autorreparar e, além de ter vida útil maior, ter também maior capacidade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

bateria autorreparável
Imagem: u-tokyo.ac.jp

Normalmente, as baterias são formadas por camadas de material metálico. À medida que são carregadas e descarregadas, essas camadas são corroídas. Quando isso acontece, a capacidade delas vai diminuindo. É por isso que, quando você compra um celular novo, a bateria parece durar mais nos primeiros dias que depois de um ou dois anos de uso contínuo.

Atualmente, os modelos mais comuns são as de lítio (a evolução daqueles aparelhos antigos que você precisava esperar descarregar totalmente para conectar na tomada e evitar “viciar”). A corrosão ocorre porque esse material é unido por uma força fraca chamada de Van der Waals (que você deve ser lembrar das aulas de química do ensino médio). É nesse ponto que o time de engenheiros japoneses entra com a bateria autorreparável. Eles pesquisam um material capaz de resistir a essa corrosão, o Na2RuO3.

Com esse material, não só há menor degradação do aparelho nos ciclos de carga, como as camadas conseguem se autorreparar. Isso acontece porque o Na2RuO3 se mantém ligado por forças coulombicas, que são muito mais fortes que as de Van Der Waals. A vantagem é que isso também permite que elas sejam expostas a maiores capacidades, as mesmas que danificam uma comum.

bateria autorreparável
Imagem: http://askhrgreen.org

Uma aplicação importantíssima dessas novas baterias (mais importante que um celular com carga que dura o dia todo) é no desenvolvimento de veículos elétricos. Um dos grandes problemas atuais é que as baterias precisam de cargas relativamente constantes e demoradas. Quem sabe a solução não está nas autorreparáveis mesmo?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Veja Também: Sabia que há baterias de carros elétricos da Tesla podem durar mais de 100 anos?


Fontes: University of Tokyo; Eurekalert; Interesting Engineering.

Comentários

Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Engenheira, com mestrado e doutorado. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.