Engenharia 360

Inclusão digital na terceira idade: superando barreiras para uma maior qualidade de vida

Engenharia 360
por Redação 360
| 27/03/2023 | Atualizado em 12/04/2023 5 min
Imagem de Freepik

Inclusão digital na terceira idade: superando barreiras para uma maior qualidade de vida

por Redação 360 | 27/03/2023 | Atualizado em 12/04/2023
Imagem de Freepik
Engenharia 360

À medida que envelhecemos, é importante considerar como encaramos as novas tecnologias, mas a desigualdade existente pode acentuar ainda mais a exclusão digital Portanto, é essencial encarar a inclusão digital dos idosos como uma prioridade, levando em conta o respeito à diversidade e à trajetória de cada indivíduo. Até porque envelhecer não significa abrir mão das tecnologias!

inclusão digital na terceira idade
Imagem de Drazen Zigic em Freepik

Veja Também: Educação Digital no Brasil: como a nova Política Nacional prevê integrar tecnologia e ensino

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Nos últimos anos, até tem sido observado um aumento no número de idosos presentes nas redes sociais. No entanto, muitos ainda enfrentam dificuldades em aproveitar as oportunidades oferecidas pelo mundo digital devido à baixa inclusão digital. Para eles, a sensação é de estarem sendo deixados para trás. Infelizmente, nem sempre as novas tecnologias são simples e eficazes, o que acaba por negligenciar sua perspectiva.

Muitas vezes, as empresas não consideram o estilo de vida dessas pessoas em sua abordagem. Concluindo, é necessária uma mudança no mercado, inclusive nas engenharias, para garantir um futuro diferente e mais inclusivo para os idosos no mundo digital.

Por que a inclusão digital dos idosos é essencial

Para começar, investir na educação digital e inclusão digital dos mais velhos é importante para garantir que eles tenham acesso à Internet, saibam usá-la e entendam seu potencial para suas vidas.

No Reino Unido, por exemplo, cerca de dez milhões de idosos não possuem os requisitos mínimos de alfabetização digital, o que pode impactar seu dia a dia, incluindo atividades como entrevistas de emprego e recebimento de receitas médicas online. Nesse caso, a inclusão digital seria o melhor passaporte para o exercício da cidadania, garantindo ainda a satisfação e a qualidade de vida na terceira idade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

inclusão digital na terceira idade
Imagem de Freepik

O impacto das novas tecnologias na adaptação das casas para idosos

A Engenharia de Inteligência Artificial está trazendo mudanças para as casas dos idosos, com novos projetos focados em torná-las mais amigáveis ao envelhecimento. Uma tecnologia baseada em comando de voz pode garantir acesso a serviços e conexões sociais, melhorando o bem-estar dos idosos.

É possível repassar informações para o computador, permitindo que ele lembre compromissos, medicamentos e atividades programadas. Além disso, a Inteligência Artificial aprende a partir do que ouve, o que é útil para quem tem declínio cognitivo moderado e ainda quer viver com independência.

A utilização massiva da Inteligência Artificial é uma tendência em todas as instâncias do cotidiano. Essas soluções terão um impacto significativo na vida dos idosos, especialmente com o déficit de mão de obra de cuidadores.

Veja Também: A Inteligência Artificial ao alcance das mãos: exemplos no nosso cotidiano e nas engenharias

Como o mercado vem explorando o envelhecimento humano

O mercado tem investido em negócios da chamada gerontologia social, visando entender melhor o público idoso e aprimorar o design de produtos, além de utilizar uma linguagem livre de estereótipos. O setor de hospitalidade e lazer tem uma ampla variedade de pontos de contato com o consumidor e qualquer melhoria implementada pode se espalhar e ser bem recebida pelos idosos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para oferecer design e engenharia de qualidade, é necessário garantir o atendimento às necessidades do cliente e respeitar sua individualidade.

Pesquisas recentes destacaram as embalagens de alimentos e remédios como problemáticas para serem abertas e manuseadas, além do controle remoto da TV como um vilão. Simplificar as tecnologias é importante, assim como aprimorar as habilidades digitais dos idosos. Inclusive, agências especializadas em campanhas para o público acima dos 50 defendem a necessidade de mudança radical da linguagem empregada nos produtos para se dirigir ou se referir a esse contingente.

Ao desenvolver novos produtos de design e engenharia para idosos, é importante lembrar que as suas necessidades específicas devem ser consideradas durante o processo de projeto, produção, venda e compra, e que não é o mesmo que produzir para um público mais jovem.

inclusão digital na terceira idade
Imagem de Freepik

Como grandes empresas apostam no mercado da terceira idade

Com a sobrecarga e a precarização do sistema de saúde, a tecnologia tem ganhado um papel cada vez mais importante no manejo de doenças. A Alphabet, holding por trás do Google, tem investido bilhões para se tornar uma potência no setor de saúde. As gigantes de tecnologia do Vale do Silício estão interessadas em aproveitar o mercado impulsionado pelo bônus da longevidade.

Países ricos reservam, em média, 10% do seu Produto Interno Bruto (PIB) para manter a saúde dos cidadãos, justificando a caça ao tesouro dessas empresas. Nos EUA, a Amazon já oferece farmácia online e serviços de telemedicina, enquanto a Alphabet investiu bilhões em 2022. Desde 2008, quando lançou um serviço para reunir informações de saúde em um só lugar, o conglomerado ampliou sua atuação para quatro grandes áreas: wearables, como relógios e óculos de realidade virtual; banco de dados; inteligência artificial voltada para a saúde; e pesquisa para ampliar os limites da longevidade.

inclusão digital na terceira idade
Imagem de DCStudio em Freepik

Para finalizar, o Fitbit, adquirido em 2019, incorporou um novo sensor que monitora mudanças na frequência cardíaca e foi aprovado pelo FDA nos EUA. O Pixel Watch promete competir com o relógio inteligente da Apple. A Alphabet também busca se destacar na categoria médica, oferecendo suporte para armazenamento de informações dos pacientes e ferramentas para auxiliar nos diagnósticos.


Claro que estas estratégias das empresas só têm chances de dar certo se os governos também auxiliarem implementando políticas de educação digital e inclusão digital. Mas, antes de tudo, é necessário fazer as pessoas entenderem o que é a própria inclusão digital! Veja a definição:

Inclusão digital é garantir acesso e uso das tecnologias para todas as pessoas, incluindo habilidades, conhecimentos e acesso a conteúdo relevante. Importante para participar da sociedade da informação, acessar serviços e oportunidades, educação e entretenimento, além de ampliar conhecimentos e rede de contatos.

Veja Também:


Fontes: Olhar Digital, G1, G1 -2, G1 - 3.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Comentários

Engenharia 360

Eduardo Mikail

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, liderada pelo engenheiro Eduardo Mikail, e com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo