Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Novo sistema de prótese manual promete maior precisão e treinamento mínimo

por Kamila Jessie | 26/07/2019

Um novo sistema de controle para mão protética impressa em 3D está mostrando uma grande avanço na realização de movimentos dos dedos, com alto grau de precisão e poucos requisitos de treinamento.

mão prostética
Imagem: robotics.sciencemag.org

Novidade em prótese manual:

A mão protética, recentemente testada por um grupo de sete participantes, requer treinamento mínimo. A tecnologia, especialistas esperam, melhorará muito a qualidade de vida dos amputados.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Controlados por sinais elétricos dos músculos de um ser humano, os participantes do teste, incluindo um amputado de membro superior, foram capazes de testar toda a gama de movimentos do sistema.

O sistema protético de fácil utilização pode ser um grande passo para tornar esta tecnologia mais acessível. Esta abordagem “amigável” com o usuário no treinamento da prótese é muito importante.

mão prostética
Imagem: robotics.sciencemag.org

Alguns dados:

A motivação do trabalho cita que, nos EUA, existem aproximadamente 540.000 amputados de membros superiores, dentre os quais, de 50% a 60% usam mãos protéticas diariamente para tentar melhorar a sua qualidade de vida. Por isso, é uma alta prioridade para os fabricantes de próteses continuarem a investir no conforto dos seus produtos.

Embora os avanços para próteses estejam chegando rapidamente, muito trabalho ainda pode ser feito para melhorar a usabilidade e a acessibilidade dos modelos existentes e futuros.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Imagem: interestingengineering.com

Superando limitações das próteses atuais:

A prótese mioelétrica comercialmente disponível, que normalmente capta sinais elétricos dos músculos, pode custar entre US $ 25.000 e US $ 75.000. Sim, tudo isso. E mesmo diante de tamanho custo, essas próteses exigem muito treinamento para atingir o uso eficaz.

Para superar essas limitações, pesquisadores da Escola de Engenharia da Universidade de Hiroshima, junto a colaboradores de Centro de Reabilitação Robótica do Instituto Hyogo de Tecnologia Assistiva do Japão, criaram uma prótese impressa em 3D mais adaptável.

A mão protética tem cinco dedos acionados de forma independente e usa um sistema de controle único alimentado pela “teoria da sinergia muscular”, que permite movimentos mais complexos.

O sistema essencialmente permite que diferentes dedos sejam movidos com mais eficácia do que os modelos existentes, tudo ao mesmo tempo. Isso facilita muito a realização de movimentos cotidianos, como segurar um caderno ou uma garrafa, por exemplo.

prótese manual
Imagem: robotics.sciencemag.org

Falando em números, os resultados do trabalho indicaram que, usando o novo sistema, os participantes puderam realizar 10 movimentos diferentes dos dedos com mais de 90% de precisão.

Uma das próximas áreas de foco para os pesquisadores é aliviar a fadiga sentida pelos usuários no uso prolongado do sistema protético.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fonte: Science Robotics. Interesting Engineering.

Comentários

Engenharia 360

Kamila Jessie

Doutoranda e mestre em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo, é formada em Engenharia Ambiental e Sanitária.