Engenharia 360

China dá início a um projeto ambicioso de perfuração do "Buraco para o Inferno"

Engenharia 360
por Redação 360
| 02/06/2023 | Atualizado em 21/07/2023 4 min
Imagem de Li Xiang, Xinhua, via CNN Brasil

China dá início a um projeto ambicioso de perfuração do "Buraco para o Inferno"

por Redação 360 | 02/06/2023 | Atualizado em 21/07/2023
Imagem de Li Xiang, Xinhua, via CNN Brasil
Engenharia 360

Neste artigo do Engenharia 360, trazemos a notícia de que cientistas chineses estão realizando a perfuração de um poço de 10 mil metros na crosta terrestre, como parte do apelo do presidente Xi Jinping por uma maior exploração da Terra profunda. A região de Xinjiang, onde o poço está sendo construído, possui uma importância estratégica para a China, mas também enfrenta críticas devido a violações dos direitos humanos. Continue lendo para saber mais sobre essa iniciativa!

O poço mais profundo já perfurado na Terra

O poço mais profundo já perfurado na Terra é o poço profundo de Kola, na Rússia, que alcançou 12,2 mil metros de profundidade em 1989. O objetivo desse poço era avaliar a composição da crosta e do manto terrestre, bem como superar desafios como altas temperaturas e resistência das rochas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Já a China está realizando um projeto de perfuração de um poço na Bacia de Tarim, localizada na Região Autônoma Uigur de Xinjiang, visando explorar áreas profundas da Terra que ainda não foram estudadas, como o sistema Cretáceo. A profundidade planejada para esse poço é de 11.100 metros - não à toa a obra ganhou o apelido nas redes sociais de "Buraco para o Inferno".

perfuração do "Buraco para o Inferno" na China
Imagem reproduzida de Bloomberg via O Globo

Veja Também:

Geologia Descomplicada: Curiosidades Básicas para Engenheiros

Qual a diferença entre Engenharia de Minas e Geologia?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O que os cientistas chineses podem conseguir na Bacia de Tarim?

A China iniciou uma perfuração profunda na região de Xinjiang para obter informações sobre a formação geológica do planeta, estudar eventos como terremotos e erupções vulcânicas, identificar recursos minerais e energéticos, reconstruir a história da Terra e compreender os riscos de desastres ambientais, evolução das rochas, mudanças climáticas e vida.

A região de Xinjiang é estrategicamente importante para a China devido ao seu envolvimento no megaprojeto de infraestrutura "Cinturão e Rota". No entanto, a China não ofereceu explicações detalhadas além dessas informações gerais.

O presidente Xi Jinping enfatizou a importância da exploração da Terra profunda em um discurso para cientistas do país em 2021. Ele fez um apelo para um maior progresso nessa área, destacando a necessidade de expandir o conhecimento científico e os limites da compreensão humana sobre a Terra. Estima-se que seja possível alcançar vestígios do Período Cretáceo, com rochas de aproximadamente 145 milhões de anos.

perfuração do "Buraco para o Inferno" na China
Imagem de Li Xiang, Xinhua, via O Rebate

Veja Também: O que esperar no dia-a-dia de trabalho de um engenheiro na mineração

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quais são as possíveis dificuldades envolvidas na condução do projeto?

A construção do projeto de perfuração na Bacia de Tarim enfrenta várias dificuldades devido ao ambiente desafiador da região, incluindo o solo áspero e as condições subterrâneas complicadas. A profundidade almejada de mais de 10 mil metros apresenta desafios técnicos significativos.

Riscos ambientais

Os possíveis riscos ambientais associados a essa exploração incluem a contaminação dos aquíferos e dos recursos hídricos subterrâneos, vazamentos de substâncias tóxicas durante o processo de perfuração e a possibilidade de danos aos ecossistemas locais. Além disso, a exploração de petróleo na região pode contribuir para a emissão de gases de efeito estufa e o aquecimento global.

Violação dos direitos humanos

Existe uma preocupação sobre a conduta ética do governo chinês em relação a projetos de exploração em áreas sensíveis. Em relação à violação dos direitos humanos na região de Xinjiang, onde está localizada a Bacia de Tarim, é importante ressaltar que o governo chinês tem sido acusado de violações graves dos direitos humanos, principalmente contra a população muçulmana uigur. Essas violações incluem detenções arbitrárias, campos de reeducação, restrições à liberdade religiosa e vigilância em massa.

Quais as técnicas utilizadas pela China na perfuração em Xinjiang?

A China está utilizando técnicas avançadas para perfurar um buraco de 10 km em Xinjiang, conforme relatado pela imprensa. As técnicas incluíram a perfuração com brocas para atravessar a crosta terrestre e a utilização de equipamentos pesados, com cerca de 2.000 toneladas, para enfrentar as complexas condições subterrâneas e penetrar nas diversas camadas continentais. Essas medidas demonstram a sofisticação e o empenho empregados pela China nesse projeto de perfuração de grande escala.

Enfim, podemos ficar animados por esta notícia, entendendo que a exploração realizada pelos chineses deve nos ajudar na compreensão da evolução das rochas - da crosta ao manto terrestre -, mudanças climáticas e evolução da vida. Essa iniciativa amplia o conhecimento científico humano em áreas não estudadas, expandindo o campo da engenharia e ciências geológicas.

Nota: Em julho de 2023, a China inicia nova escavação de poço a 10 mil metros de profundidade. Se quiser saber mais, indicamos a leitura da matéria especial da CNN Brasil.

Veja Também:


Fontes: O Globo, CNN.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Comentários

Engenharia 360

Eduardo Mikail

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, liderada pelo engenheiro Eduardo Mikail, e com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo