Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Microsoft está treinando robôs em simulações da vida real em situações de risco extremo

por Kamila Jessie | 01/04/2020

Em parceria com universidades, a Microsoft vem trabalhando em treinar algoritmos para facilitar a ação de robôs autônomos para resgates em situações de risco.

Perceber, pensar e agir

Os seres humanos inconscientemente usam circuitos de
percepção-ação para fazer quase tudo, desde caminhar por uma calçada lotada até
fazer um gol em um jogo de futebol. Isso é obtido usando informações sensoriais
para decidir a ação apropriada em um loop contínuo em tempo real. Isso é também
o coração dos sistemas autônomos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

pesquisadores analisando DARPA em ação
Imagem: subtchallenge.com

Embora essa tecnologia tenha avançado bastante na capacidade de usar sensores e câmeras para decidir sobre as ações, a atual geração de sistemas autônomos ainda não está nem perto da habilidade humana em tomar essas decisões diretamente a partir de dados visuais. Há um grande esforço relacionado a isso, principalmente em veículos autônomos, mas a gente ainda está acompanhando os passos.

Nesse sentido, a Microsoft vem trabalhando em um projeto de
machine learning, que fundamenta as ações a serem tomadas imediatamente a
partir de imagens coletadas por câmeras. O sistema é treinado por meio de
simulações e aprende a navegar independentemente em ambientes e condições
desafiadores no mundo real, incluindo situações invisíveis.

O desafio DARPA

Implementado em robôs, esses sistemas estão sendo treinados
para encontrar sobreviventes em situações desafiadoras e de alto risco. Por isso
o cenário que parece ter saído de um videogame. O vídeo abaixo mostra o Desafio
Subterrâneo da DARPA, uma das maneiras pelas quais a Microsoft está avançando
no estado da arte na área de sistemas autônomos, apoiando pesquisas focadas na solução
de desafios do mundo real.

No desafio DARPA, o robô da Microsoft, representado pelo
Team Explorer, derivou de uma colaboração entre duas universidades: Carnegie
Mellon University and Oregon State University. O desafio da DARPA se concentra
em ajudar os socorristas e aqueles que lideram missões de busca e resgate,
especialmente em ambientes físicos perigosos, para identificar mais rapidamente
as pessoas que precisam de ajuda.

DARPA entrando em túnel durante treinamento
Imagem: subtchallenge.com

No site da Microsoft Research, foram disponibilizados tanto o artigo científico referente a esses avanços, quanto o código para download. Esses esforços são centrados para implementação em robôs terrestres, equipados com câmeras, mas também drones, que nós sabemos que podem ter um papel crucial em resgates.

Fonte: Microsoft Research Blog.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Kamila Jessie

Doutoranda e mestre em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo, é formada em Engenharia Ambiental e Sanitária.