Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Jogo de simulação é usado para explicar pesquisa de grafeno para o público

por Larissa Fereguetti | 26/07/2019
Copiado!

Uma das maiores dificuldades do cientista (e também dos engenheiros) é conseguir transmitir a informação de modo claro para quem não é da área. E isso não diz respeito só à população em geral, mas também a pesquisadores áreas diferentes. Nesse sentido, uma solução encontrada para explicar uma pesquisa de grafeno para o público foi um jogo de simulação.

Os responsáveis pelo feito são pesquisadores liderados por Toma Susi da Universidade de Viena. Em sua pesquisa, eles usam o UltraSTEM (um microscópio eletrônico de ponta) para manipular materiais ligados com precisão atômica. Esses microscópios usam feixe de elétrons e permitem visualizar até átomos individuais. Para mostrar como isso funciona, eles fizeram uma apresentação realista da pesquisa: um jogo de simulação.

O jogo foi exibido no Museu Técnico de Viena e agora está disponível on-line. Com ele está a pesquisa mais recente em manipulação de impurezas do silício em nanotubos de carbono.

Como funciona o jogo da pesquisa de grafeno?

O microscópio eletrônico é controlado por computador. O contraste da imagem depende do quão espalhados estão os elétrons, o que é determinado pela carga do núcleo. Com o silício tendo mais prótons que o carbono, os pesquisadores podem identificar as impurezas.

Imagem: phys.org

Além de gerar imagens, o feixe de elétrons do microscópio pode ser usado para mover os átomos (como já provado em pesquisas anteriores). O feixe de elétrons varre uma amostra de grafeno linha por linha, revelando a localização dos átomos de carbono que compõem a rede, bem como as impurezas mais brilhantes de silício.

Como o controle do microscópio é feito pelo computador, tudo vira um jogo no qual o feixe de elétrons é direcionado pela movimentação do cursor do mouse. Quer pesquisa mais divertida que essa?

pesquisa de grafeno
Imagem: phys.org

Depois de o jogo ficar em exposição no museu juntamente a amostras usadas na pesquisa e informações científicas sobre o assunto, os pesquisadores querem alcançar um público maior. Para isso, estão lançando um site com o mesmo conteúdo (e uma versão online do jogo para navegador). Ele é chamado Atom Tractor Beam (os fãs de Star Trek piram, já que ele foi inspirado em um feixe de energia da série).

De modo geral, é importante ver a ciência se popularizando e chegando à compreensão de leigos na área. Além disso, o jogo também serve como uma forma de atrair o interesse de crianças e jovens pela ciência e pela Engenharia. Um exemplo que deve se seguido.

Referências: Universidade de Viena; Phys.org

Copiado!
Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Comentários