Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Como games podem ser bons para estudantes e profissionais da engenharia

por Kamila Jessie | 09/05/2019

Nosso ramo de ciência, tecnologia e engenharia é repleto de gamers, não é? Nesse contexto, a gente costuma sofrer críticas quanto aos nossos hábitos nerds, com desculpas não tão científicas. Convenhamos, são anos ouvindo: “ficar perto da tela faz mal para os olhos”, ou “você deveria sair de casa!”. Mas o cenário na verdade é outro: pesquisas confirmam que games podem ser bons para você.

games podem ser bons
Imagem: giphy.com

Como games podem ser bons para o cérebro:

Estudo realizado no Instituto Max Planck de Desenvolvimento Humano, na Alemanha, descobriu que reproduzir vídeo aumenta a massa cinzenta (basicamente o tamanho do cérebro) e ajuda a refinar as habilidades aprendidas. Em outros termos, jogar videogames afeta diretamente regiões do cérebro responsáveis pela memória, orientação espacial, organizações de informação e habilidades motoras mais sutis.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para determinar como os videogames afetam o cérebro, os cientistas selecionaram dois grupos de adultos. O primeiro grupo jogaria Super Mario 64 durante 30 minutos por dia, durante dois meses. O segundo grupo, que deve ter ficado muito chateado por não participar da sessão nostalgia, não jogou nenhum videogame. Foi usada ressonância magnética para medir o tamanho do cérebro dos grupos antes do início do estudo e, novamente, após o período de dois meses.

games podem ser bons
Imagem: giphy.com

Os resultados confirmaram descobertas anteriores – que havia
diferenças na estrutura cerebral dos jogadores de videogame e que, ao jogar,
havia uma “ligação direta entre videogames e um aumento volumétrico do
cérebro”. No caso, tratavam-se de regiões específicas do cérebro: o córtex
pré-frontal, o hipocampo direito e o cerebelo.

Será possível treinar o cérebro? Bom, a princípio, não há nenhuma pretensão de que nos tornemos super-humanos, mas os pesquisadores querem investir em outra área: eles acreditam que os games podem ajudar pessoas com alguma condição cerebral, como Alzheimer, por exemplo.

games podem ser bons
Imagem: giphy.com

Como games podem ser bons para o corpo:

Nossa rotina de aulas e estudo, atividades de laboratório, trabalho do outro lado da cidade, dentre outros compromissos que nos assolam como estudantes e profissionais de engenharia, acabam comprometendo a vontade de ir pra academia. Nesse cenário, a gente pode citar o tal do gamercising ou exergaming. Basicamente, são aqueles jogos com uma perspectiva fitness, que incorporam exercícios na temática.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Esses jogos são convenientes porque você não precisa se deslocar até a academia para fazer exercícios aeróbicos, por exemplo. Você pode jogar por uns 30 minutos antes de tomar um banho e sair para o seu próximo compromisso. Além disso, a atmosfera criada por estar jogando videogame acaba tirando o peso (trocadilho intencional) do exercício físico.

games podem ser bons
Imagem: giphy.com

A atividade física incorporada ao games beneficia o corpo na medida em que ajuda na circulação, flexibilidade, coordenação e equilíbrio das articulações. E graças à tecnologia, muitos desses mesmos jogos acompanham seu progresso como jogador, através do seu número de repetições e até mesmo ajudam você a definir metas para manter você motivado.

Quanto a habilidades motoras refinadas e mais específicas, bom, um estudo do Departamento de Ciências Cirúrgicas da Universidade de Roma, na Itália, descobriu que os cirurgiões que jogavam videogames – mais especificamente, o Nintendo Wii – tornaram-se cirurgiões mais habilidosos. Ao jogar, eles aprimoraram a coordenação entre mãos e olhos e o movimento preciso dos músculos – habilidades essenciais para a prática. Essa precisão cirúrgica (tu dum tss) não é só relevante na medicina: como engenheiros, pode nos ajudar no manuseio de equipamentos elétricos ou instrumentos de laboratório, por exemplo.

Games podem ser bons, mas…

Nós advogamos cientificamente a favor dos games (e emocionalmente também, né?), mas é claro que devemos adicionar que, como qualquer outra atividade, os jogos devem ser consumidos com moderação.

games podem ser bons
Imagem: giphy.com

Se bateu vontade de “engenheirar” no videogame, a gente tem uma lista de clássicos aqui.

Fonte: IDTech.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Kamila Jessie

Doutoranda e mestre em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo, é formada em Engenharia Ambiental e Sanitária.