Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Fundição de metais: entenda melhor o processo

por Larissa Fereguetti | 09/09/2015
Copiado!

Se você nunca ouviu falar em fundição, você provavelmente já viu ou usou diversos objetos produzidos por meio deste processo industrial. A fundição nada mais é do que conformar metais fundidos em um molde, a fim de formar uma peça.

Imagem: mecanicaindustrial.com.br-blog-da-engenharia

Imagem: mecanicaindustrial.com.br

Para entender melhor: o processo de fundição é, de forma vulgar, semelhante ao processo de fazer ovos de chocolate: você eleva o metal a temperatura de fusão (derrete o metal), coloca em um molde (joga na forma) e, depois que ele solidifica, a peça está pronta.

Claro que a facilidade de derreter chocolate não pode ser aplicada ao derretimento de metais, que é bem mais complexo. Por exemplo, as temperaturas devem ser extremamente elevadas e claro, não dá para jogar o metal derretido em uma forma de plástico, né?

Imagem: marlboroughfoundry.com-blog-da-engenharia

Imagem: marlboroughfoundry.com

Antes de explicar mais sobre o processo de fundição, vamos entender sua importância. O setor das indústrias de fundição é caracterizado pela produção de bens intermediários e fornece produtos para os mais diversos segmentos. Por meio da fundição é possível fazer peças de tamanhos e formatos variados, pesando gramas ou toneladas.

Para fundir o metal é necessário utilizar fornos especiais. No entanto, antes de fundir é necessário preparar o modelo (moldagem). O modelo deve ser ligeiramente maior que a peça original devido à contração durante a solidificação. O molde é feito de um material refratário composto de areia e aglomerante. Com o modelo pronto, pode-se partir para a confecção dos machos, que são dispositivos feitos do mesmo material do molde e que serão utilizados para formar os furos e reentrâncias da peça (moldagem e macharia). Aí sim ocorre a fusão do metal, que consiste em levar a um forno até atingir a temperatura de fusão e o metal derreter.

Imagem: ebah.com.br-blog-da-engenharia

Imagem: ebah.com.br

Após a fusão os moldes são preenchidos com o metal líquido (vazamento). Com o metal já solidificado, é necessário retirar do molde (desmoldagem) e retirar as rebarbas e os canais de alimentação (rebarbação). Por último, é feita a limpeza das incrustações da peça. A imagem abaixo resume o processo de fundição.

Imagem: arquivo pessoal-blog-da-engenharia

Imagem: arquivo pessoal

Parece fácil, mas não é. Existem processos variados de fundição e diversas técnicas para fundir um metal e colocar em um molde (não é simples como o chocolate!). O material que será usado nos moldes depende do processo que será utilizado. Normalmente, são utilizadas areias com características refratárias com alguns aditivos químicos. Quando acontece a desmoldagem, a areia pode ser reutilizada para confecção de outros moldes.

Imagem: en.wiki.org-blog-da-engenharia

Imagem: en.wiki.org

Por fim, vale ressaltar que areia utilizada no processo de fundição também pode passar por um processo de regeneração para ser reaproveitada no próprio processo ou receber outro fim. Aliás, essa é uma prática recorrente, visto que os produtos químicos adicionados à areia são um grande problema ambiental quando o descarte é feito de forma incorreta.

Referências:
OKIDA, J. R. Estudo para minimização e reaproveitamento de resíduos sólidos de fundição. Dissertação de Mestrado. Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR. Ponta Grossa, 2006. 137 p.
PENKAITIS, G. Impacto ambiental gerado pela disposição de areias de fundição: Estudo de caso. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo – São Paulo, 2012. 92p.
SHEUNEMANN, R. Regeneração de areia de fundição através de tratamento químico via processo fenton. Dissertação de Mestrado. Universidade de Santa Catarina – Florianópolis, 2005. 71p.

Copiado!
Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Comentários