Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Engenharia 360

Conheça o ThothX Tower, o elevador de 20km

Engenharia 360
por Larissa Fereguetti
| 01/09/2015 2 min

Conheça o ThothX Tower, o elevador de 20km

por Larissa Fereguetti | 01/09/2015
Copiado!

Imagine um elevador que leva até o espaço. É exatamente essa a invenção que a empresa canadense Thoth Technology patenteou.

“- Alguém aperta o botão do espaço, por favor?”

thothx-space-elevator-7-blog-da-engenharia

O projeto consiste em uma torre com 20 quilômetros de altura. Porém, esse projeto não foi pensado exatamente para levar meros terráqueos como nós para um passeio nas alturas. O objetivo principal é lançar foguetes diretamente da estratosfera.

Uma pausa para a revisão: as camadas da atmosfera são cinco: troposfera (0 a 18km), estratosfera (18km a 50km), mesosfera (50km a 80km), termosfera (80km a 300km) e exosfera (300km a 600km).

A ideia é a seguinte: os astronautas subirão os 20 km por um elevador elétrico. Do alto da torre, os aviões espaciais serão lançados em órbita em um único estágio, voltando ao topo para reabastecer e fazer outros voos. O nome do projeto é ThothX Tower e quem inventou o conceito foi Brendan Quine.

foguete-blog-da-engenharia

Imagem: vavnews.com

Mas essa não é uma ideia recente. Um elevador espacial foi proposto pela primeira vez em 1895 por um cientista russo. No entanto, naquela época não havia tecnologia suficiente para que o projeto pudesse ser idealizado do ponto de vista construtivo. E qual a diferença do lançamento da estratosfera para o lançamento normal? A intenção é deixar o lançamento de mais barato e eficiente, com uma queda de 30% no consumo de combustível. Quando lançados, os foguetes precisam liberar uma grande quantidade de massa para conseguir a propulsão para subir. Com o elevador, as cargas e naves chegam mais facilmente a alturas elevadas.

Se você está questionando como uma torre de 20km vai ser, aqui vai a resposta: o projeto prevê uma estrutura que seja parcialmente inflável, com cada parte pressurizada. Alguns dispositivos servirão para deixá-la estável, afinal, manter 20000 metros de pé não deve ser nada fácil.

Além de lançar foguetes, a torre também poderá servir como um ponto turístico e até gerar energia. Ok, talvez até seja possível a gente dar um “rolé” lá em cima. Porém, já dá para imaginar quão difícil será construir uma torre tão alta e com tantos requisitos, mais difícil ainda deve ser conseguir uma “passagem” para dar uma voltinha na estratosfera. Só nos resta aguardar e ver se o projeto sai mesmo do papel, certo?

Referências: Discovery News; Science Alert; Wired.
 

Copiado!
Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Artigo Anterior
Próximo Artigo

Comentários