Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Conheça este dispositivo inteligente capaz de coletar a luz do dia [e entenda para que ele serve]

por Clara Ribeiro | 07/06/2021

Cientistas da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Cingapura, desenvolveram um dispositivo inteligente para coletar a luz do dia e transmiti-la para locais subterrâneos.

Com isso, perceberam que é possível, mais do que nunca, recorrer a fontes de energia tradicionais para iluminação. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A saber, em Cingapura, as autoridades locais estudam a viabilidade de cavar mais fundo no subsolo e criar um novo espaço para a infraestrutura, armazenamento e serviços públicos.

Ademais, espera-se que isso aumente a demanda pela iluminação subterrânea em um futuro próximo. 

Dispositivo inteligente
Imagem extraída de techxplore

Como ocorreu a descoberta?

Para criar um dispositivo de coleta de luz natural e sustentável, a equipe da universidade se inspirou na lupa. Eles perceberam que esse objeto pode ser usado para concentrar a luz do sol em um ponto, então decidiram fazer o teste.

Para se ter uma ideia, utilizaram uma bola de acrílico, uma fibra óptica de plástico e uma espécie de cabo que transporta um feixe de luz de uma extremidade a outra. Assim como motores controlados por chip de computador.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O dispositivo fica acima do solo e a bola de acrílico atua como um concentrador solar. Isso permite que raios de sol paralelos formem um foco nítido em seu lado oposto.

Dispositivo inteligente
Imagem extraída de Futuro Próximo

A luz solar concentrada é, então, coletada em uma extremidade de um cabo de fibra e transportada ao longo dele até a extremidade que é implantada no subsolo e, por fim, emitida diretamente pela extremidade do cabo de fibra.

Vale ressaltar que, ao mesmo tempo, pequenos motores controlados por chips de computador ajustam automaticamente a posição da extremidade de coleta da fibra. Dessa maneira, otimiza-se a quantidade de luz solar que pode ser recebida e transportada conforme o sol se move no céu.

O protótipo criado pelos pesquisadores pesa cerca de 10kg e tem altura de 50 cm. Além disso, para proteger a bola de acrílico das condições ambientais, os cientistas construíram uma tampa em forma de cúpula transparente de 3 mm de espessura usando policarbonato. 

Dispositivo inteligente
Imagem extraída de Futuro próximo

Como é feita a montagem do sistema inteligente? 

O professor assistente, Yoo Seongwoo, da Escola de Engenharia Elétrica e Eletrônica e principal autor do estudo, ressaltou o potencial da descoberta.

“Nossa inovação compreende materiais prontos para uso comercialmente disponíveis, tornando-o potencialmente muito fácil de fabricar em escala. Devido às restrições de espaço em cidades densamente povoadas, projetamos intencionalmente a colheita de luz do dia sistema leve e compacto. Isso tornaria conveniente para o nosso dispositivo ser incorporado na infraestrutura existente no ambiente urbano”, garantiu.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O grupo de pesquisadores da universidade acredita na montagem do dispositivo inteligente como um poste de luz tradicional, acima do solo. 

O dispositivo inteligente captaria a luz solar durante o dia para iluminar espaços subterrâneos e um poste para iluminar acima do solo à noite utilizando eletricidade. 

Dispositivo inteligente
Imagem extraída de Clube de Engenharia

Melhor desempenho que lâmpadas de LED 

Em testes realizados em um depósito completamente escuro para simular um ambiente subterrâneo, os cientistas de Nanyang descobriram a eficácia do dispositivo inteligente para captar a luz solar. 

Afinal, o mesmo produz luz visível usando 1 Watt de energia elétrica de 230 lumens/watt

Só para fazer uma comparação, as lâmpadas LED disponíveis no mercado possuem uma saída de 90 lumens / Watt. Além disso, a qualidade do protótipo inteligente da UTN é comparável aos sistemas de luz do dia disponíveis no mercado; no entanto, com um custo ainda muito elevado. 

E então, o que achou desta tecnologia? Compartilhe esta história de inovação com quem possa interessar!


Fontes: Techxplore.

Comentários

Engenharia 360

Clara Ribeiro

Jornalista especializada em arquitetura e engenharia. Ávida consumidora de informação; viciada em produzir conteúdo; amante das letras, das artes e da ciência.