Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Bioágua: entenda quais as perspectivas que a ciência dá para a agricultura em tempos de crise hídrica

por Redação 360 | 30/09/2021

Com a crise hídrica, a agricultura brasileira sofre. Veja o que se pode fazer para manter a irrigação de hortas e lavouras!

O agronegócio é muito importante para a economia brasileira, destaque no Produto Interno Bruto (PIB). Contudo, devido à crise severa que o mundo tem enfrentado, o setor da agricultura no país chegou o 2° trimestre de 2021 com um recuo de 2,8%. E nessa conta, uma importante vilã é a crise hídrica. Só no ano passado, os eventos climáticos – geadas, estiagens e mais – envolveram 60% das indenizações voltadas aos produtores rurais. E quando se trata de água, o assunto complica, pois ela é essencial para as plantações. A saber, a irrigação das lavouras toma 49,8% do total disponível para uso nos reservatórios, segundo o Atlas da Irrigação de março deste ano pela Agência Nacional das Águas (ANA).

Agora, imagina esse cenário de escassez que vivemos e o quanto isso está impactando a produção nacional – como a de café, que, entre 2020 e 2021, teve queda de 21% segundo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística! Para piorar, um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas apontou que a temperatura global pode subir de 1,5°C a 2°C neste século. Diante disso, precisamos estudar formas de economizar mais água, nos preparando ainda melhor para os períodos de seca. Veja, a seguir, o que a ciência indica para os agricultores!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O que é Bioágua?

A Bioágua é feita a partir da filtragem das chamadas águas cinzas, o que impede a contaminação do lençol freático, além de resultar em uma solução nutritiva para as plantas. Um exemplo disso, na prática, é a água resultante da lavagem de louça e de roupa – nada de vaso sanitário -, que poderia ser “reciclada” para regar as plantações. Claro que não se trata de jogar a água suja sobre as plantas. Antes disso, ela tem que ser tratada, o que poderia ser feito em casa mesmo, através de um filtro – o volume consumido pela família poderia ser destinado às hortas no pátio da residência.

meio ambiente
Imagem reproduzida de Centro Educacional São Francisco de Assis

Uma pesquisa nesta linha tem sido desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com auxílio de agricultores. A metodologia estudada poderia ser praticada de forma integrada a uma cisterna de produção.

Imagem reproduzida de CicloVivo
meio ambiente
Imagem reproduzida de DocPlayer

Quais as alternativas para a agricultura?

Hoje, com as atuais condições ambientais, está mais difícil realizar o planejamento de safras e, consequentemente, há ainda mais redução na produtividade. Mas os pesquisadores têm tentado encontrar outras soluções para a irrigação de lavouras. Veja os dois exemplos a seguir!

Uso da água subterrânea

Uma das alternativas estudadas é usar, na agricultura, a combinação de diferentes fontes de água para a irrigação. A começar com a exploração da água subterrânea, que não sofre com a variação do clima e pode abastecer os plantios pelas raízes. A ideia é criar uma barragem subterrânea para armazenar a água da chuva dentro do solo, impedindo que, após ela ser absorvida, siga para riachos, por exemplo. Contudo, essa fonte tem limitação de uso, também acaba em breve e elimina a chance de aumentar o nível dos rios, bacias e lagos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

meio ambiente
Imagem reproduzida de Conceitos

Outras águas subterrâneas que se pode tentar acessar são as dos lençóis freáticos e aquíferos, mas é preciso atenção quanto a possíveis contaminações. Elas podem ser acessadas por fontes, quando alcançam a superfície, ou pela escavação de poços – ambas as ações precisam de aprovação dos órgãos gestores da região.

Rega automatizada

Outra boa solução, pensando principalmente na questão da economia de água para irrigação na agricultura, é a rega automatizada, com sistema que decide quando é o momento de regar as plantas ou não. Um exemplo é o IrrigoSystem, desenvolvido pelo pesquisador Alan Kardek, da Universidade Federal de Ouro Preto, baseado em sensores instalados na lavoura, que medem os parâmetros elétricos do solo e, deste modo, a umidade nele. O aparelho funciona a partir de energia solar e manda os dados, sem fio. Com isso, a irrigação acontece apenas quando o solo está precisando da água.

meio ambiente
Imagem reproduzida de irrigosystem.ufop

Veja Também: Aumento na conta de luz: crise hídrica ou estrutural? | 360 Explica


Fontes: G1.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.