Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

O primeiro celular sem bateria do mundo faz chamadas coletando energia ambiente

por Bernardo Lopes Frizero | 31/07/2017
Copiado!

Você se lembra de quando os celulares possuíam baterias que duravam mais de uma semana? Seria bom se os de hoje em dia tivessem ao menos metade dessa autonomia, não é? Porém o que você vai ler agora vai muito além disso: um novo aparelho que simplesmente não possui bateria!

Pois é, pesquisadores da Universidade de Washington inventaram um celular que não requer baterias. Ao invés disso, o telefone colhe os poucos microwatts de energia necessária a partir de sinais de rádio ou até mesmo da luz.

Crédito: Washington.edu

+Saiba mais

A equipe também fez chamadas através do aplicativo do Skype usando o telefone sem bateria, demonstrando que o protótipo desenvolvido já não é algo tão teórico assim e apresentando alguns pontos “comerciais” bem interessantes.
“Construímos o que acreditamos ser o primeiro celular que consome “energia quase zero”, disse o autor Shyam Gollakota, professor da Escola de Ciências da Computação e Engenharia na Universidade de Washington. “Para alcançar esse consumo de energia realmente muito baixo, você precisa executar um telefone coletando energia do meio ambiente”.
O celular sem bateria tira proveito de pequenas vibrações no microfone ou no alto-falante, o que ocorre justamente quando uma pessoa está em uma chamada, seja falando ou ouvindo. Usando o poder colhido da luz ambiente com uma minúscula célula solar (aproximadamente o tamanho de um grão de arroz), o dispositivo conseguiu se comunicar com uma estação base a 15 metros de distância.

O protótipo de telefone sem bateria pode operar a partir da energia coletada de sinais de rádio ambientais transmitidos por uma estação base até 31 metros de distância. Para transmitir a fala, o telefone usa vibrações do microfone do dispositivo para codificar padrões de fala nos sinais refletidos. Para receber a fala, converte sinais de rádio codificados em vibrações sonoras que são captadas pelo alto-falante do telefone.
Segundo Joshua Smith, professor do Departamento de Engenharia Elétrica da UW, “a prova do conceito que desenvolvemos é emocionante e pensamos que poderia impactar os dispositivos do dia a dia”. Todos nós concordamos com ela, certo?

+Próximos passos do celular sem bateria

Como próximos passos, a equipe de pesquisa planeja se concentrar em melhorar o alcance operacional do telefone sem bateria e criptografar conversas para torná-los seguros. O time também está trabalhando para transmitir vídeos. Estamos todos torcendo para essa tecnologia chegar logo ao mercado!
Fonte: Washington.edu

Copiado!

Comentários